news:

Sul de Minas

Governador nomeia novo Conselho Diretor da FUVS

Publicado por TV Minas em 21/09/2018

foto_principal.jpg

Matéria extraída do Terra do Mandu

 

Os três escolhidos fazem uma votação entre si para eleger o presidente da fundação para os próximos quatro anos. Medida inicial será pacificar e reestruturar a FUVS e garantir os atendimentos, principalmente, no Hospital das Clínicas Samuel Libânio, mantido pela instituição.

 

O governador Fernando Pimentel nomeou o novo Conselho Diretor da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS). Os nomes indicados pelo governador foram divulgados no Diário Oficial de Minas Gerais desta sexta-feira (21). São três titulares e três suplentes escolhidos após o processo eleitoral realizado pela Fundação em dezembro.

 

Os titulares nomeados são José Walter da Mota Matos, Elieser Castro e Paiva, e Lucas da Silveira. Os indicados vão se reunir ainda nesta sexta para eleger o presidente do Conselho que deve assumir a direção da FUVS após o processo de transição com a direção interina que está na instituição, o que deve ocorrer nos próximos dias.

 

 

Os indicados:

 

 

 

Fim de uma novela

 

A definição saiu nove meses depois da eleição que definiu duas listas com seis nomes para que o governador indicasse três deles. A indicação põe fim a uma novela que se arrasta há mais de um ano. O resultado da eleição ocorrida em dezembro estava sendo questionado na justiça e, por isso, os nomes não foram escolhidos de imediato. Porém, mesmo sem o julgamento dessa ação, Pimentel fez a nomeação do novo Conselho Diretor.

 

Nesta manhã, a reportagem do Terra do Mandu conversou com o delegado José Walter, cotado para ser o presidente da FUVS. Segundo ele, o objetivo é reestruturar e pacificar toda a instituição que vinha sendo alvo de disputa e prestar os melhores serviços possíveis para toda a comunidade.

 

“Com essa nomeação, o governo reconhece o resultado das eleições. A ação na justiça que discutia o processo eleitoral é extinta. E nós vamos ter paz para poder caminhar, e enfrentar as dificuldades que a instituição atravessa, como a questão financeira”, disse José Walter que ainda contou que a composição do novo conselho foi definida após um entendimento político para que todos que dependem das instituições administradas pela FUVS não saia perdendo.

 

 

Milhões de pessoas atendidas

 

A fundação atende milhões de pessoas do Sul de Minas através de suas instituições e é o segundo maior empregador de Pouso Alegre, atrás apenas da prefeitura. A FUVS é mantenedora do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, da Universidade do Vale do Sapucaí, do Colégio Anglo e Colégio João Paulo II e uma rádio educativa.

 

 

Disputa judicial

 

Desde março de 2017 a escolha do conselho diretor da fundação se tornou uma disputa político-judicial. Uma mudança no estatuto retirou a prerrogativa do governador de indicar os membros do conselho e uma eleição foi realizada após essa mudança. O Estado de Minas Gerais conseguiu anular as alterações no estatuto na justiça; um conselho provisório foi nomeado sob protestos; e a nova eleição foi finalizada em dezembro passado, mas o resultado estava sendo discutido judicialmente. Enquanto isso, um Conselho Diretor Interino ficou à frente da instituição.

Matéria extraída do Terra do Mandu


 


Os três escolhidos fazem uma votação entre si para eleger o presidente da fundação para os próximos quatro anos. Medida inicial será pacificar e reestruturar a FUVS e garantir os atendimentos, principalmente, no Hospital das Clínicas Samuel Libânio, mantido pela instituição.


 


O governador Fernando Pimentel nomeou o novo Conselho Diretor da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS). Os nomes indicados pelo governador foram divulgados no Diário Oficial de Minas Gerais desta sexta-feira (21). São três titulares e três suplentes escolhidos após o processo eleitoral realizado pela Fundação em dezembro.


 


Os titulares nomeados são José Walter da Mota Matos, Elieser Castro e Paiva, e Lucas da Silveira. Os indicados vão se reunir ainda nesta sexta para eleger o presidente do Conselho que deve assumir a direção da FUVS após o processo de transição com a direção interina que está na instituição, o que deve ocorrer nos próximos dias.


 


 


Os indicados:


 



 


 


Fim de uma novela


PATROCINADORES

 


A definição saiu nove meses depois da eleição que definiu duas listas com seis nomes para que o governador indicasse três deles. A indicação põe fim a uma novela que se arrasta há mais de um ano. O resultado da eleição ocorrida em dezembro estava sendo questionado na justiça e, por isso, os nomes não foram escolhidos de imediato. Porém, mesmo sem o julgamento dessa ação, Pimentel fez a nomeação do novo Conselho Diretor.


 


Nesta manhã, a reportagem do Terra do Mandu conversou com o delegado José Walter, cotado para ser o presidente da FUVS. Segundo ele, o objetivo é reestruturar e pacificar toda a instituição que vinha sendo alvo de disputa e prestar os melhores serviços possíveis para toda a comunidade.


 


“Com essa nomeação, o governo reconhece o resultado das eleições. A ação na justiça que discutia o processo eleitoral é extinta. E nós vamos ter paz para poder caminhar, e enfrentar as dificuldades que a instituição atravessa, como a questão financeira”, disse José Walter que ainda contou que a composição do novo conselho foi definida após um entendimento político para que todos que dependem das instituições administradas pela FUVS não saia perdendo.


 


 


Milhões de pessoas atendidas


 


A fundação atende milhões de pessoas do Sul de Minas através de suas instituições e é o segundo maior empregador de Pouso Alegre, atrás apenas da prefeitura. A FUVS é mantenedora do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, da Universidade do Vale do Sapucaí, do Colégio Anglo e Colégio João Paulo II e uma rádio educativa.


 


 


Disputa judicial


 


Desde março de 2017 a escolha do conselho diretor da fundação se tornou uma disputa político-judicial. Uma mudança no estatuto retirou a prerrogativa do governador de indicar os membros do conselho e uma eleição foi realizada após essa mudança. O Estado de Minas Gerais conseguiu anular as alterações no estatuto na justiça; um conselho provisório foi nomeado sob protestos; e a nova eleição foi finalizada em dezembro passado, mas o resultado estava sendo discutido judicialmente. Enquanto isso, um Conselho Diretor Interino ficou à frente da instituição.


Matéria extraída do Terra do Mandu



Os três escolhidos fazem uma votação entre si para eleger o presidente da fundação para os próximos quatro anos. Medida inicial será pacificar e reestruturar a FUVS e garantir os atendimentos, principalmente, no Hospital das Clínicas Samuel Libânio, mantido pela instituição.



O governador Fernando Pimentel nomeou o novo Conselho Diretor da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí (FUVS). Os nomes indicados pelo governador foram divulgados no Diário Oficial de Minas Gerais desta sexta-feira (21). São três titulares e três suplentes escolhidos após o processo eleitoral realizado pela Fundação em dezembro.



Os titulares nomeados são José Walter da Mota Matos, Elieser Castro e Paiva, e Lucas da Silveira. Os indicados vão se reunir ainda nesta sexta para eleger o presidente do Conselho que deve assumir a direção da FUVS após o processo de transição com a direção interina que está na instituição, o que deve ocorrer nos próximos dias.



Os indicados:



PATROCINADORES



Fim de uma novela



A definição saiu nove meses depois da eleição que definiu duas listas com seis nomes para que o governador indicasse três deles. A indicação põe fim a uma novela que se arrasta há mais de um ano. O resultado da eleição ocorrida em dezembro estava sendo questionado na justiça e, por isso, os nomes não foram escolhidos de imediato. Porém, mesmo sem o julgamento dessa ação, Pimentel fez a nomeação do novo Conselho Diretor.



Nesta manhã, a reportagem do Terra do Mandu conversou com o delegado José Walter, cotado para ser o presidente da FUVS. Segundo ele, o objetivo é reestruturar e pacificar toda a instituição que vinha sendo alvo de disputa e prestar os melhores serviços possíveis para toda a comunidade.



PATROCINADORES

“Com essa nomeação, o governo reconhece o resultado das eleições. A ação na justiça que discutia o processo eleitoral é extinta. E nós vamos ter paz para poder caminhar, e enfrentar as dificuldades que a instituição atravessa, como a questão financeira”, disse José Walter que ainda contou que a composição do novo conselho foi definida após um entendimento político para que todos que dependem das instituições administradas pela FUVS não saia perdendo.



Milhões de pessoas atendidas



A fundação atende milhões de pessoas do Sul de Minas através de suas instituições e é o segundo maior empregador de Pouso Alegre, atrás apenas da prefeitura. A FUVS é mantenedora do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, da Universidade do Vale do Sapucaí, do Colégio Anglo e Colégio João Paulo II e uma rádio educativa.



Disputa judicial



Desde março de 2017 a escolha do conselho diretor da fundação se tornou uma disputa político-judicial. Uma mudança no estatuto retirou a prerrogativa do governador de indicar os membros do conselho e uma eleição foi realizada após essa mudança. O Estado de Minas Gerais conseguiu anular as alterações no estatuto na justiça; um conselho provisório foi nomeado sob protestos; e a nova eleição foi finalizada em dezembro passado, mas o resultado estava sendo discutido judicialmente. Enquanto isso, um Conselho Diretor Interino ficou à frente da instituição.



Veja Também