news:

Esporte

Atlético, Cruzeiro e América em queda no Brasileirão pós-Copa

Publicado por TV Minas em 27/10/2018

foto_principal.jpg

A parada do Campeonato Brasileiro durante a Copa do Mundo 2018 criou um novo recorte para analisar momentos das 20 equipes na competição. E o Atlético é o segundo clube que mais desandou nos pontos corridos após a conquista da França na Rússia. Cruzeiro e América não fogem do quadro negativo, com o trio mineiro em descenso desde que o Brasileirão foi retomado.

 

Antes de a bola rolar no Mundial entre junho e julho, foram disputadas 12 rodadas da maior competição nacional de futebol. O Atlético terminou o Brasileiro pré-Copa na vice-liderança, com 23 pontos. Passados 18 rodadas, só conseguiu repetir a mesma pontuação (23) e chegar aos atuais 46 pontos. 

 

Os 64% de aproveitamento antes do torneio na Rússia deram lugar a apenas 42% de rendimento entre a 13ª e a 30ª rodada. Algo que valeu a cabeça do técnico Thiago Larghi, ainda que o Galo não tenha saído da zona de classificação para a Libertadores (G6). 

 

Para o agora ex-treinador do Atlético, uma das explicações foi a remontagem do elenco. Só entre junho e julho, a diretoria alvinegra contratou oito novos jogadores. 

 

“Troca muito grande de jogadores, tanto no início quanto no meio da temporada. Muito difícil conseguir dar padrão de jogo, um time que tenta propor o jogo e troca muito jogadores. Saírem 10 e chegarem 10 é muito difícil montar um time de futebol com qualidade e conseguir resultado dessa maneira”, afirmou, à Rádio 98FM.

 

No Cruzeiro, os empates minaram a tentativa de melhor colocação na tabela. Apenas cinco vitórias de um time que teve pela frente quartas de final de Libertadores e a decisão (vencida) da Copa do Brasil. O clube celeste, em ritmo de férias, precisa apenas de mais cinco pontos para descansar no Brasileirão.

 

Algo ainda distante para o América. Mesmo com um início promissor, o técnico Adilson Batista recebe o fantasma do rebaixamento. Com Enderson Moreira, o Coelho se manteve em 13º lugar. Atualmente, ocupa a 16ª colocação, com um rendimento de 37% pós-Copa, contra os 39% antes da parada. 

 

Os alviverdes ainda foram preejudicados pela vitória do Ceará diante do Cruzeiro, na quarta-feira. O time de Lisca Doido, que enfrenta o Atlético na próxima segunda-feira, vai na contra-mão de Minas e é o segundo que mais evoluiu após a Rússia, só atrás do Atlético-PR

A parada do Campeonato Brasileiro durante a Copa do Mundo 2018 criou um novo recorte para analisar momentos das 20 equipes na competição. E o Atlético é o segundo clube que mais desandou nos pontos corridos após a conquista da França na Rússia. Cruzeiro e América não fogem do quadro negativo, com o trio mineiro em descenso desde que o Brasileirão foi retomado.


 


Antes de a bola rolar no Mundial entre junho e julho, foram disputadas 12 rodadas da maior competição nacional de futebol. O Atlético terminou o Brasileiro pré-Copa na vice-liderança, com 23 pontos. Passados 18 rodadas, só conseguiu repetir a mesma pontuação (23) e chegar aos atuais 46 pontos. 


 


Os 64% de aproveitamento antes do torneio na Rússia deram lugar a apenas 42% de rendimento entre a 13ª e a 30ª rodada. Algo que valeu a cabeça do técnico Thiago Larghi, ainda que o Galo não tenha saído da zona de classificação para a Libertadores (G6). 


 


Para o agora ex-treinador do Atlético, uma das explicações foi a remontagem do elenco. Só entre junho e julho, a diretoria alvinegra contratou oito novos jogadores. 


PATROCINADORES

 


“Troca muito grande de jogadores, tanto no início quanto no meio da temporada. Muito difícil conseguir dar padrão de jogo, um time que tenta propor o jogo e troca muito jogadores. Saírem 10 e chegarem 10 é muito difícil montar um time de futebol com qualidade e conseguir resultado dessa maneira”, afirmou, à Rádio 98FM.


 


No Cruzeiro, os empates minaram a tentativa de melhor colocação na tabela. Apenas cinco vitórias de um time que teve pela frente quartas de final de Libertadores e a decisão (vencida) da Copa do Brasil. O clube celeste, em ritmo de férias, precisa apenas de mais cinco pontos para descansar no Brasileirão.


 


Algo ainda distante para o América. Mesmo com um início promissor, o técnico Adilson Batista recebe o fantasma do rebaixamento. Com Enderson Moreira, o Coelho se manteve em 13º lugar. Atualmente, ocupa a 16ª colocação, com um rendimento de 37% pós-Copa, contra os 39% antes da parada. 


 


Os alviverdes ainda foram preejudicados pela vitória do Ceará diante do Cruzeiro, na quarta-feira. O time de Lisca Doido, que enfrenta o Atlético na próxima segunda-feira, vai na contra-mão de Minas e é o segundo que mais evoluiu após a Rússia, só atrás do Atlético-PR


A parada do Campeonato Brasileiro durante a Copa do Mundo 2018 criou um novo recorte para analisar momentos das 20 equipes na competição. E o Atlético é o segundo clube que mais desandou nos pontos corridos após a conquista da França na Rússia. Cruzeiro e América não fogem do quadro negativo, com o trio mineiro em descenso desde que o Brasileirão foi retomado.



Antes de a bola rolar no Mundial entre junho e julho, foram disputadas 12 rodadas da maior competição nacional de futebol. O Atlético terminou o Brasileiro pré-Copa na vice-liderança, com 23 pontos. Passados 18 rodadas, só conseguiu repetir a mesma pontuação (23) e chegar aos atuais 46 pontos. 



Os 64% de aproveitamento antes do torneio na Rússia deram lugar a apenas 42% de rendimento entre a 13ª e a 30ª rodada. Algo que valeu a cabeça do técnico Thiago Larghi, ainda que o Galo não tenha saído da zona de classificação para a Libertadores (G6). 



PATROCINADORES

Para o agora ex-treinador do Atlético, uma das explicações foi a remontagem do elenco. Só entre junho e julho, a diretoria alvinegra contratou oito novos jogadores. 



“Troca muito grande de jogadores, tanto no início quanto no meio da temporada. Muito difícil conseguir dar padrão de jogo, um time que tenta propor o jogo e troca muito jogadores. Saírem 10 e chegarem 10 é muito difícil montar um time de futebol com qualidade e conseguir resultado dessa maneira”, afirmou, à Rádio 98FM.



PATROCINADORES

No Cruzeiro, os empates minaram a tentativa de melhor colocação na tabela. Apenas cinco vitórias de um time que teve pela frente quartas de final de Libertadores e a decisão (vencida) da Copa do Brasil. O clube celeste, em ritmo de férias, precisa apenas de mais cinco pontos para descansar no Brasileirão.



Algo ainda distante para o América. Mesmo com um início promissor, o técnico Adilson Batista recebe o fantasma do rebaixamento. Com Enderson Moreira, o Coelho se manteve em 13º lugar. Atualmente, ocupa a 16ª colocação, com um rendimento de 37% pós-Copa, contra os 39% antes da parada. 



Os alviverdes ainda foram preejudicados pela vitória do Ceará diante do Cruzeiro, na quarta-feira. O time de Lisca Doido, que enfrenta o Atlético na próxima segunda-feira, vai na contra-mão de Minas e é o segundo que mais evoluiu após a Rússia, só atrás do Atlético-PR



Veja Também