news:

Bem Estar

Com que frequência devemos ir ao médico?

Publicado por TV Minas em 27/10/2018

foto_principal.jpg

Especialista fala sobre a necessidade de visitar o consultório em cada faixa etária.

 

Apesar de ser notório que as idas regulares ao consultório médico ajuda na prevenção de inúmeras doenças, nem todos mantêm esse hábito. O problema é que grande parte das pessoas só procura ajuda médica quando apresenta sintomas desagradáveis ou incapacitantes.

 

Segundo o médico do trabalho Aier Adriano Costa, do aplicativo Docway, a grande maioria da população não tem o costume de cuidar da saúde. "As pessoas têm o hábito de se automedicar ou procurar uma solução rápida para o problema com familiares, vizinhos e até no Google. O que acontece, é que isso pode acarretar um problema sério posteriormente", comenta o especialista.

 

Ainda segundo ele, check ups são muito importantes, mas poucos são os que mantêm este hábito. Tal acompanhamento é necessário para avaliar como está o funcionamento do corpo do paciente e, em caso de enfermidades, tratá-las. "Algumas doenças são insidiosas e só vêm apresentar sintomas relevantes quando já estão em estágio avançado. O costume de consultar um médico não apenas quando se está doente faz muito bem pra saúde e pra uma boa qualidade de vida", diz o médico.

 

Aier Costa recomenda que as idas ao consultório se tornem um hábito, para evitar maiores problemas no futuro: "Não deixem que apenas a doença leve ao médico, um acompanhamento adequado previne inúmeros problemas, a sua saúde agradece".

 

 

Cada idade exige uma "frequência" diferente de idas ao médico, sabia? Abaixo, o especialista fala sobre isso:

 

Crianças

 

"Após a saída do hospital, caso esteja tudo bem com o recém-nascido, a primeira visita deve acontecer entre no 15º dia de vida. Passado esse período, as consultas devem ser feitas aos 2, 4, 6, 9 e 12 meses no 1º ano de vida. No 2º ano, o pediatra deve ser consultado para o acompanhamento do bebê aos 15, 18, 21 e 24 meses", explica Aier Costa. A partir daí, segundo ele, é necessário que se verifique o peso e a estatura a cada seis meses até o 5º ano de vida e depois anualmente entre 6 e 18 anos. "Obviamente, se o paciente apresentar alguma doença de base ou quaisquer alterações ao longo deste acompanhamento, essa periodicidade pode sofrer alterações", alerta o especialista.

 

 

Grávidas

 

Elas devem procurar o médico assim que tiverem o diagnóstico de gravidez ou mesmo na suspeita, para iniciar o acompanhamento da gestação. "Até o sexto mês, as visitas ao obstetra devem ser mensais. Depois disso, podem ocorrer de 15 em 15 dias, de acordo com o decorrer da gestação. Caso a gestante venha a sentir algo diferente, deve procurar imediatamente o médico", orienta Aier.

 

 

Adultos

 

Devem realizar um check up com todos os exames necessários uma vez ao ano, caso não possuam nenhum problema já diagnosticado de saúde. "Exames de audição e visão devem ser feitos a partir dos 40 anos, ou antes, caso existam queixas pertinentes. Os exames específicos, ginecológicos e urológicos, por exemplo, como mamografias, ultrassonografias e consultas aos especialistas, devem ser realizadas na periodicidade recomendada por cada especialidade de acordo com as idades dos pacientes".

 

 

Idosos

 

Se estão saudáveis, podem seguir a mesma recomendação dos adultos e ir apenas uma vez por ano. Mas se apresentam alguma doença, devem ir ao médico com a frequência determinada por ele, diz o especialista.

Especialista fala sobre a necessidade de visitar o consultório em cada faixa etária.


 


Apesar de ser notório que as idas regulares ao consultório médico ajuda na prevenção de inúmeras doenças, nem todos mantêm esse hábito. O problema é que grande parte das pessoas só procura ajuda médica quando apresenta sintomas desagradáveis ou incapacitantes.


 


Segundo o médico do trabalho Aier Adriano Costa, do aplicativo Docway, a grande maioria da população não tem o costume de cuidar da saúde. "As pessoas têm o hábito de se automedicar ou procurar uma solução rápida para o problema com familiares, vizinhos e até no Google. O que acontece, é que isso pode acarretar um problema sério posteriormente", comenta o especialista.


 


Ainda segundo ele, check ups são muito importantes, mas poucos são os que mantêm este hábito. Tal acompanhamento é necessário para avaliar como está o funcionamento do corpo do paciente e, em caso de enfermidades, tratá-las. "Algumas doenças são insidiosas e só vêm apresentar sintomas relevantes quando já estão em estágio avançado. O costume de consultar um médico não apenas quando se está doente faz muito bem pra saúde e pra uma boa qualidade de vida", diz o médico.


 


Aier Costa recomenda que as idas ao consultório se tornem um hábito, para evitar maiores problemas no futuro: "Não deixem que apenas a doença leve ao médico, um acompanhamento adequado previne inúmeros problemas, a sua saúde agradece".


 


 


Cada idade exige uma "frequência" diferente de idas ao médico, sabia? Abaixo, o especialista fala sobre isso:


 


Crianças


 


PATROCINADORES

"Após a saída do hospital, caso esteja tudo bem com o recém-nascido, a primeira visita deve acontecer entre no 15º dia de vida. Passado esse período, as consultas devem ser feitas aos 2, 4, 6, 9 e 12 meses no 1º ano de vida. No 2º ano, o pediatra deve ser consultado para o acompanhamento do bebê aos 15, 18, 21 e 24 meses", explica Aier Costa. A partir daí, segundo ele, é necessário que se verifique o peso e a estatura a cada seis meses até o 5º ano de vida e depois anualmente entre 6 e 18 anos. "Obviamente, se o paciente apresentar alguma doença de base ou quaisquer alterações ao longo deste acompanhamento, essa periodicidade pode sofrer alterações", alerta o especialista.


 


 


Grávidas


 


Elas devem procurar o médico assim que tiverem o diagnóstico de gravidez ou mesmo na suspeita, para iniciar o acompanhamento da gestação. "Até o sexto mês, as visitas ao obstetra devem ser mensais. Depois disso, podem ocorrer de 15 em 15 dias, de acordo com o decorrer da gestação. Caso a gestante venha a sentir algo diferente, deve procurar imediatamente o médico", orienta Aier.


 


 


Adultos


 


Devem realizar um check up com todos os exames necessários uma vez ao ano, caso não possuam nenhum problema já diagnosticado de saúde. "Exames de audição e visão devem ser feitos a partir dos 40 anos, ou antes, caso existam queixas pertinentes. Os exames específicos, ginecológicos e urológicos, por exemplo, como mamografias, ultrassonografias e consultas aos especialistas, devem ser realizadas na periodicidade recomendada por cada especialidade de acordo com as idades dos pacientes".


 


 


Idosos


 


Se estão saudáveis, podem seguir a mesma recomendação dos adultos e ir apenas uma vez por ano. Mas se apresentam alguma doença, devem ir ao médico com a frequência determinada por ele, diz o especialista.


Especialista fala sobre a necessidade de visitar o consultório em cada faixa etária.



Apesar de ser notório que as idas regulares ao consultório médico ajuda na prevenção de inúmeras doenças, nem todos mantêm esse hábito. O problema é que grande parte das pessoas só procura ajuda médica quando apresenta sintomas desagradáveis ou incapacitantes.



Segundo o médico do trabalho Aier Adriano Costa, do aplicativo Docway, a grande maioria da população não tem o costume de cuidar da saúde. "As pessoas têm o hábito de se automedicar ou procurar uma solução rápida para o problema com familiares, vizinhos e até no Google. O que acontece, é que isso pode acarretar um problema sério posteriormente", comenta o especialista.



Ainda segundo ele, check ups são muito importantes, mas poucos são os que mantêm este hábito. Tal acompanhamento é necessário para avaliar como está o funcionamento do corpo do paciente e, em caso de enfermidades, tratá-las. "Algumas doenças são insidiosas e só vêm apresentar sintomas relevantes quando já estão em estágio avançado. O costume de consultar um médico não apenas quando se está doente faz muito bem pra saúde e pra uma boa qualidade de vida", diz o médico.



Aier Costa recomenda que as idas ao consultório se tornem um hábito, para evitar maiores problemas no futuro: "Não deixem que apenas a doença leve ao médico, um acompanhamento adequado previne inúmeros problemas, a sua saúde agradece".



PATROCINADORES

Cada idade exige uma "frequência" diferente de idas ao médico, sabia? Abaixo, o especialista fala sobre isso:



Crianças



"Após a saída do hospital, caso esteja tudo bem com o recém-nascido, a primeira visita deve acontecer entre no 15º dia de vida. Passado esse período, as consultas devem ser feitas aos 2, 4, 6, 9 e 12 meses no 1º ano de vida. No 2º ano, o pediatra deve ser consultado para o acompanhamento do bebê aos 15, 18, 21 e 24 meses", explica Aier Costa. A partir daí, segundo ele, é necessário que se verifique o peso e a estatura a cada seis meses até o 5º ano de vida e depois anualmente entre 6 e 18 anos. "Obviamente, se o paciente apresentar alguma doença de base ou quaisquer alterações ao longo deste acompanhamento, essa periodicidade pode sofrer alterações", alerta o especialista.



Grávidas



PATROCINADORES

Elas devem procurar o médico assim que tiverem o diagnóstico de gravidez ou mesmo na suspeita, para iniciar o acompanhamento da gestação. "Até o sexto mês, as visitas ao obstetra devem ser mensais. Depois disso, podem ocorrer de 15 em 15 dias, de acordo com o decorrer da gestação. Caso a gestante venha a sentir algo diferente, deve procurar imediatamente o médico", orienta Aier.



Adultos



Devem realizar um check up com todos os exames necessários uma vez ao ano, caso não possuam nenhum problema já diagnosticado de saúde. "Exames de audição e visão devem ser feitos a partir dos 40 anos, ou antes, caso existam queixas pertinentes. Os exames específicos, ginecológicos e urológicos, por exemplo, como mamografias, ultrassonografias e consultas aos especialistas, devem ser realizadas na periodicidade recomendada por cada especialidade de acordo com as idades dos pacientes".



Idosos



Se estão saudáveis, podem seguir a mesma recomendação dos adultos e ir apenas uma vez por ano. Mas se apresentam alguma doença, devem ir ao médico com a frequência determinada por ele, diz o especialista.



Veja Também