news:

Ciência & Tecnologia

Inaugurado cabo submarino para transmissão de dados entre Brasil e África

Publicado por TV Minas em 03/11/2018

foto_principal.jpg

Acaba de entrar em operação o South Atlantic Cable System (SACS), cabo submarino da multinacional Telecom Angola Cables, o primeiro a transferir dados entre Brasil e África. É hoje a rota mais direta, rápida e segura para o tráfego da internet no hemisfério sul. Agora, os provedores de serviços de dados das duas regiões deixarão de ser dependentes das tradicionais e sobrecarregadas rotas de tráfego do hemisfério norte.

 

De acordo com o gerente comercial da Angola Cables Brasil, André Martins, o SACS traz ainda ao Brasil uma conectividade inédita à Europa, via África, de forma privada, ou seja, sem precisar passar obrigatoriamente pelos Estados Unidos. Ele ainda destaca que o diferencial é a baixa latência: velocidade cinco vezes maior. A transmissão de Fortaleza para Luanda, por exemplo, antes feita em 350 milissegundos(ms), passa para 63ms.

 

E não para por aí. O SACS permite novas extensões, conforme disse o CEO da Angola Cables, António Nunes. “Trata-se de um mundo de oportunidades, na medida em que as portas se abrem também ao continente asiático. Estamos criando uma nova rota rumo à Ásia.”

 

O crescimento exponencial de interconexões provoca um boom de cabos submarinos. Também foi recém-anunciada a conclusão da instalação de outro importante cabo, ligando Fortaleza (Brasil) e Camarões (África), pelo Consórcio South Atlantic Inter Link (Sail). O projeto prevê o uso de tecnologia de transmissão 100G.

 

Com o veloz avanço no tráfego mundial de internet, a América Latina e a África tornam-se mercados emergentes estratégicos para a indústria global de telecomunicações. Enquanto o SACS foi construído e implantado pela renomada companhia japonesa NEC, o Sail é um investimento da China Unicom e da Camtel, realizado pela Huawei Marine Networks, fornecedora líder global na indústria de cabos submarinos.

 

Uma questão que fica: a queda dos custos para o tráfego de dados, gerando economia para as operadoras, implicará redução do preço para o cliente? As empresas de cabeamento garantem que esse seria o resultado para o consumidor final.

 

 

Encontro de executivos

 

O CEO Fórum 2018 será realizado na próxima sexta (9), em Uberlândia. Com o tema “Inove, conecte e acenda”, o evento realizado pela Amcham promove a interação entre empresas e instituições públicas para desenvolvimento de negócios inovadores no Triângulo Mineiro. São cerca de 400 executivos e 15 palestrantes: um dos destaques é o dinamarquês Peter Kronstrom, à frente do Copenhagen Institute for Future Studies (CIFS) na América Latina, que falará sobre gestão de transição e cultura organizacional. Informações: amcham.com.br/uberlandia.

 

 

Soluções que escalam

 

Conheça o negócio de sete startups que participaram do Programa Conecta, realizado pelo BMG UpTech e pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) com o objetivo de apoiar soluções para a atividade transportadora. Elas agora viajarão para aceleração na sede do centro de tecnologia Plug and Play, no Vale do Silício (EUA).

 

1. Innovations: gamificação empresarial em análise de pessoas

 

2. ByeBnk: soluções financeiras em blockchain

 

3. dLieve Tecnologia Logística: plataforma de gestão em tempo real de entregas

 

4. Everlog: plataforma de gestão de fretes para o embarcador, com foco na recuperação de valores pagos indevidamente

 

5. Trackage: solução IoT (Internet das Coisas) com monitoramento inteligente de processos, empilhadeiras, tratores, cargas, frotas e demais ativos industriais

 

6. Biosolvit: absorvedor natural de óleos

 

7. Órbita Tecnologia: visão computacional para indústria 4.0, com uma solução para o modal ferroviário

Acaba de entrar em operação o South Atlantic Cable System (SACS), cabo submarino da multinacional Telecom Angola Cables, o primeiro a transferir dados entre Brasil e África. É hoje a rota mais direta, rápida e segura para o tráfego da internet no hemisfério sul. Agora, os provedores de serviços de dados das duas regiões deixarão de ser dependentes das tradicionais e sobrecarregadas rotas de tráfego do hemisfério norte.


 


De acordo com o gerente comercial da Angola Cables Brasil, André Martins, o SACS traz ainda ao Brasil uma conectividade inédita à Europa, via África, de forma privada, ou seja, sem precisar passar obrigatoriamente pelos Estados Unidos. Ele ainda destaca que o diferencial é a baixa latência: velocidade cinco vezes maior. A transmissão de Fortaleza para Luanda, por exemplo, antes feita em 350 milissegundos(ms), passa para 63ms.


 


E não para por aí. O SACS permite novas extensões, conforme disse o CEO da Angola Cables, António Nunes. “Trata-se de um mundo de oportunidades, na medida em que as portas se abrem também ao continente asiático. Estamos criando uma nova rota rumo à Ásia.”


 


O crescimento exponencial de interconexões provoca um boom de cabos submarinos. Também foi recém-anunciada a conclusão da instalação de outro importante cabo, ligando Fortaleza (Brasil) e Camarões (África), pelo Consórcio South Atlantic Inter Link (Sail). O projeto prevê o uso de tecnologia de transmissão 100G.


 


Com o veloz avanço no tráfego mundial de internet, a América Latina e a África tornam-se mercados emergentes estratégicos para a indústria global de telecomunicações. Enquanto o SACS foi construído e implantado pela renomada companhia japonesa NEC, o Sail é um investimento da China Unicom e da Camtel, realizado pela Huawei Marine Networks, fornecedora líder global na indústria de cabos submarinos.


 


Uma questão que fica: a queda dos custos para o tráfego de dados, gerando economia para as operadoras, implicará redução do preço para o cliente? As empresas de cabeamento garantem que esse seria o resultado para o consumidor final.


 


 


Encontro de executivos


 


O CEO Fórum 2018 será realizado na próxima sexta (9), em Uberlândia. Com o tema “Inove, conecte e acenda”, o evento realizado pela Amcham promove a interação entre empresas e instituições públicas para desenvolvimento de negócios inovadores no Triângulo Mineiro. São cerca de 400 executivos e 15 palestrantes: um dos destaques é o dinamarquês Peter Kronstrom, à frente do Copenhagen Institute for Future Studies (CIFS) na América Latina, que falará sobre gestão de transição e cultura organizacional. Informações: amcham.com.br/uberlandia.


 


PATROCINADORES

 


Soluções que escalam


 


Conheça o negócio de sete startups que participaram do Programa Conecta, realizado pelo BMG UpTech e pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) com o objetivo de apoiar soluções para a atividade transportadora. Elas agora viajarão para aceleração na sede do centro de tecnologia Plug and Play, no Vale do Silício (EUA).


 


1. Innovations: gamificação empresarial em análise de pessoas


 


2. ByeBnk: soluções financeiras em blockchain


 


3. dLieve Tecnologia Logística: plataforma de gestão em tempo real de entregas


 


4. Everlog: plataforma de gestão de fretes para o embarcador, com foco na recuperação de valores pagos indevidamente


 


5. Trackage: solução IoT (Internet das Coisas) com monitoramento inteligente de processos, empilhadeiras, tratores, cargas, frotas e demais ativos industriais


 


6. Biosolvit: absorvedor natural de óleos


 


7. Órbita Tecnologia: visão computacional para indústria 4.0, com uma solução para o modal ferroviário


Acaba de entrar em operação o South Atlantic Cable System (SACS), cabo submarino da multinacional Telecom Angola Cables, o primeiro a transferir dados entre Brasil e África. É hoje a rota mais direta, rápida e segura para o tráfego da internet no hemisfério sul. Agora, os provedores de serviços de dados das duas regiões deixarão de ser dependentes das tradicionais e sobrecarregadas rotas de tráfego do hemisfério norte.



De acordo com o gerente comercial da Angola Cables Brasil, André Martins, o SACS traz ainda ao Brasil uma conectividade inédita à Europa, via África, de forma privada, ou seja, sem precisar passar obrigatoriamente pelos Estados Unidos. Ele ainda destaca que o diferencial é a baixa latência: velocidade cinco vezes maior. A transmissão de Fortaleza para Luanda, por exemplo, antes feita em 350 milissegundos(ms), passa para 63ms.



E não para por aí. O SACS permite novas extensões, conforme disse o CEO da Angola Cables, António Nunes. “Trata-se de um mundo de oportunidades, na medida em que as portas se abrem também ao continente asiático. Estamos criando uma nova rota rumo à Ásia.”



O crescimento exponencial de interconexões provoca um boom de cabos submarinos. Também foi recém-anunciada a conclusão da instalação de outro importante cabo, ligando Fortaleza (Brasil) e Camarões (África), pelo Consórcio South Atlantic Inter Link (Sail). O projeto prevê o uso de tecnologia de transmissão 100G.



Com o veloz avanço no tráfego mundial de internet, a América Latina e a África tornam-se mercados emergentes estratégicos para a indústria global de telecomunicações. Enquanto o SACS foi construído e implantado pela renomada companhia japonesa NEC, o Sail é um investimento da China Unicom e da Camtel, realizado pela Huawei Marine Networks, fornecedora líder global na indústria de cabos submarinos.



Uma questão que fica: a queda dos custos para o tráfego de dados, gerando economia para as operadoras, implicará redução do preço para o cliente? As empresas de cabeamento garantem que esse seria o resultado para o consumidor final.



PATROCINADORES

Encontro de executivos



O CEO Fórum 2018 será realizado na próxima sexta (9), em Uberlândia. Com o tema “Inove, conecte e acenda”, o evento realizado pela Amcham promove a interação entre empresas e instituições públicas para desenvolvimento de negócios inovadores no Triângulo Mineiro. São cerca de 400 executivos e 15 palestrantes: um dos destaques é o dinamarquês Peter Kronstrom, à frente do Copenhagen Institute for Future Studies (CIFS) na América Latina, que falará sobre gestão de transição e cultura organizacional. Informações: amcham.com.br/uberlandia.



Soluções que escalam



Conheça o negócio de sete startups que participaram do Programa Conecta, realizado pelo BMG UpTech e pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) com o objetivo de apoiar soluções para a atividade transportadora. Elas agora viajarão para aceleração na sede do centro de tecnologia Plug and Play, no Vale do Silício (EUA).



PATROCINADORES

1. Innovations: gamificação empresarial em análise de pessoas



2. ByeBnk: soluções financeiras em blockchain



3. dLieve Tecnologia Logística: plataforma de gestão em tempo real de entregas



4. Everlog: plataforma de gestão de fretes para o embarcador, com foco na recuperação de valores pagos indevidamente



5. Trackage: solução IoT (Internet das Coisas) com monitoramento inteligente de processos, empilhadeiras, tratores, cargas, frotas e demais ativos industriais



6. Biosolvit: absorvedor natural de óleos



7. Órbita Tecnologia: visão computacional para indústria 4.0, com uma solução para o modal ferroviário



Veja Também