news:

Notícias

Temer sanciona reajuste dos ministros do STF e auxílio-moradia é revogado

Publicado por TV Minas em 26/11/2018

foto_principal.jpg

Estudo da área técnica aponta que o custo extra no orçamento será de R$ 4,1 bilhões por ano.

 

O presidente Michel Temer (MDB) sancionou na tarde desta segunda-feira o reajusta para os ministros do Supremo Tribunal Federaç (STF). A remuneração agora passará dos atuais R$ 33 mil para R$ 39 mil mensais.

 

O reajuste de 16,38% nos salários de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) foi aprovado em 7 de novembro pelos senadores. Com isso, o teto do funcionalismo público passa de R$ 33.763,00 para R$ 39.293,32.

 

Parecer da Comissão de Assuntos Legislativos do Senado, feito por técnicos da assessoria legislativa da casa, aponta que o custo extra no orçamento será de R$ 4,1 bilhões por ano. Isso porque a remuneração dos ministros serve de base para o pagamento de outras categorias no serviço público. 

 

No Judiciário, o custo extra será de R$ 717,1 milhões, enquanto no Ministério Público a cifra chegará a R$ 258 milhões. Já no Executivo, o impacto alcançará R$ 400 milhões. E para os estados, os custos podem ser de R$ 2,6 bilhões  

 

 

Auxílio-moradia

 

A tendência agora, de acordo o presidente do STF, Dias Tóffoli, e do vice, Luiz Fux, é que com a aprovação do reajuste o benefício do auxílio-moradia seja revogado. 

 

O pagamento de R$ 4,3 mil é concedido atualmente a juízes e procuradores no Brasil inteiro com base em liminares do próprio Fux e resoluções posteriores do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).


O benefício esteve prestes a cair em março deste ano, mas em um movimento inesperado o julgamento marcado foi suspenso na véspera, com a remessa feita por Fux para a análise na Câmara de Conciliação e Arbitragem da Advocacia-Geral da União (AGU). 

 

Depois de três meses de negociação com as partes - associações de procuradores e de juízes, Ministério da Transparência e Estados -, a AGU devolveu as ações para o Supremo sem acordo.

Estudo da área técnica aponta que o custo extra no orçamento será de R$ 4,1 bilhões por ano.


 


O presidente Michel Temer (MDB) sancionou na tarde desta segunda-feira o reajusta para os ministros do Supremo Tribunal Federaç (STF). A remuneração agora passará dos atuais R$ 33 mil para R$ 39 mil mensais.


 


O reajuste de 16,38% nos salários de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) foi aprovado em 7 de novembro pelos senadores. Com isso, o teto do funcionalismo público passa de R$ 33.763,00 para R$ 39.293,32.


 


Parecer da Comissão de Assuntos Legislativos do Senado, feito por técnicos da assessoria legislativa da casa, aponta que o custo extra no orçamento será de R$ 4,1 bilhões por ano. Isso porque a remuneração dos ministros serve de base para o pagamento de outras categorias no serviço público. 


 


No Judiciário, o custo extra será de R$ 717,1 milhões, enquanto no Ministério Público a cifra chegará a R$ 258 milhões. Já no Executivo, o impacto alcançará R$ 400 milhões. E para os estados, os custos podem ser de R$ 2,6 bilhões  


PATROCINADORES

 


 


Auxílio-moradia


 


A tendência agora, de acordo o presidente do STF, Dias Tóffoli, e do vice, Luiz Fux, é que com a aprovação do reajuste o benefício do auxílio-moradia seja revogado. 


 


O pagamento de R$ 4,3 mil é concedido atualmente a juízes e procuradores no Brasil inteiro com base em liminares do próprio Fux e resoluções posteriores do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).



O benefício esteve prestes a cair em março deste ano, mas em um movimento inesperado o julgamento marcado foi suspenso na véspera, com a remessa feita por Fux para a análise na Câmara de Conciliação e Arbitragem da Advocacia-Geral da União (AGU). 


 


Depois de três meses de negociação com as partes - associações de procuradores e de juízes, Ministério da Transparência e Estados -, a AGU devolveu as ações para o Supremo sem acordo.


Estudo da área técnica aponta que o custo extra no orçamento será de R$ 4,1 bilhões por ano.



O presidente Michel Temer (MDB) sancionou na tarde desta segunda-feira o reajusta para os ministros do Supremo Tribunal Federaç (STF). A remuneração agora passará dos atuais R$ 33 mil para R$ 39 mil mensais.



O reajuste de 16,38% nos salários de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) foi aprovado em 7 de novembro pelos senadores. Com isso, o teto do funcionalismo público passa de R$ 33.763,00 para R$ 39.293,32.



PATROCINADORES

Parecer da Comissão de Assuntos Legislativos do Senado, feito por técnicos da assessoria legislativa da casa, aponta que o custo extra no orçamento será de R$ 4,1 bilhões por ano. Isso porque a remuneração dos ministros serve de base para o pagamento de outras categorias no serviço público. 



No Judiciário, o custo extra será de R$ 717,1 milhões, enquanto no Ministério Público a cifra chegará a R$ 258 milhões. Já no Executivo, o impacto alcançará R$ 400 milhões. E para os estados, os custos podem ser de R$ 2,6 bilhões  



Auxílio-moradia



PATROCINADORES

A tendência agora, de acordo o presidente do STF, Dias Tóffoli, e do vice, Luiz Fux, é que com a aprovação do reajuste o benefício do auxílio-moradia seja revogado. 



O pagamento de R$ 4,3 mil é concedido atualmente a juízes e procuradores no Brasil inteiro com base em liminares do próprio Fux e resoluções posteriores do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).




O benefício esteve prestes a cair em março deste ano, mas em um movimento inesperado o julgamento marcado foi suspenso na véspera, com a remessa feita por Fux para a análise na Câmara de Conciliação e Arbitragem da Advocacia-Geral da União (AGU). 



Depois de três meses de negociação com as partes - associações de procuradores e de juízes, Ministério da Transparência e Estados -, a AGU devolveu as ações para o Supremo sem acordo.



Veja Também