news:

Sul de Minas

Pouso Alegre continua atraindo investimentos

Publicado por TV Minas em 27/11/2018

foto_principal.jpg

Mesmo diante da lenta retomada econômica brasileira, Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, tem conseguido atrair uma série de investimentos privados. Nos últimos meses, importantes empresas dos setores alimentício, logístico e farmacêutico anunciaram aportes no município. Entre as inversões, há novas operações, expansão das atividades já existentes ou o aprimoramento da logística de distribuição na região.

 

Somente o setor farmacêutico prevê, até 2020, aportes superiores a R$ 1 bilhão no município. Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Dino Frascecato, outros três empreendimentos já estão previstos e em andamento para o início de 2019 em Pouso Alegre.

 

“Teremos a vinda de mais uma indústria farmacêutica, inclusive com CD (centro de distribuição) e outras duas fábricas na área de autopeças. Todas as três estão bastante avançadas, embora ainda não tenhamos assinado os protocolos de intenções. A expectativa é que isso ocorra nos próximos meses, para instalação no decorrer do ano que vem”, explicou.

 

Tamanha pujança, na avaliação do secretário, se explica principalmente pelas condições de infraestrutura oferecidas pelo município. Neste sentido, ele chamou a atenção para a localização geográfica, estando Pouso Alegre próxima de grandes centros consumidores, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

 

“Outros quesitos como disponibilidade de energia e qualidade de mão de obra também são diferenciais na atração de novos empreendimentos para o município ou expansão de algum já existente”, argumentou.

 

 

Empregos

 

E na esteira de investimentos milionários em Pouso Alegre, o mercado formal de trabalho também segue aquecido. Para se ter uma ideia, a cidade vem se destacando no decorrer deste ano, entre os maiores saldos entre os municípios com mais de 30 mil habitantes do Estado.

 

Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no acumulado de janeiro a setembro foram 14.559 contratações e 12.898 demissões, totalizando um superávit de 1.661 nos nove meses. Somente em setembro foram 233 postos de trabalho gerados.

 

Por fim, Frascecato ressaltou o desempenho de Pouso Alegre no ranking das cidades brasileiras com população acima de 100 mil habitantes mais promissoras para investir, empreender e negociar. De acordo com o levantamento da revista Exame, a cidade apareceu na 29ª posição neste exercício.

 

Em Minas Gerais, o município ocupa o segundo lugar, atrás apenas de Belo Horizonte, e lidera o Sul de Minas. Lavras gurou na 59ª colocação, enquanto Poços de Caldas ocupou a 68ª posição e Varginha, a 81ª. Para o levantamento foram analisados 42 indicadores, abrangendo os segmentos de sócio-demografia, econômico, saúde, educação, financeiro, transporte, infraestrutura e segurança. “De um ano para cá passamos da 90ª para a 29ª posição. Arrisco dizer que no ano que vem ou no próximo estaremos entre as 15 maiores do País”, apostou.

Mesmo diante da lenta retomada econômica brasileira, Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, tem conseguido atrair uma série de investimentos privados. Nos últimos meses, importantes empresas dos setores alimentício, logístico e farmacêutico anunciaram aportes no município. Entre as inversões, há novas operações, expansão das atividades já existentes ou o aprimoramento da logística de distribuição na região.


 


Somente o setor farmacêutico prevê, até 2020, aportes superiores a R$ 1 bilhão no município. Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Dino Frascecato, outros três empreendimentos já estão previstos e em andamento para o início de 2019 em Pouso Alegre.


 


“Teremos a vinda de mais uma indústria farmacêutica, inclusive com CD (centro de distribuição) e outras duas fábricas na área de autopeças. Todas as três estão bastante avançadas, embora ainda não tenhamos assinado os protocolos de intenções. A expectativa é que isso ocorra nos próximos meses, para instalação no decorrer do ano que vem”, explicou.


 


Tamanha pujança, na avaliação do secretário, se explica principalmente pelas condições de infraestrutura oferecidas pelo município. Neste sentido, ele chamou a atenção para a localização geográfica, estando Pouso Alegre próxima de grandes centros consumidores, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.


 


“Outros quesitos como disponibilidade de energia e qualidade de mão de obra também são diferenciais na atração de novos empreendimentos para o município ou expansão de algum já existente”, argumentou.


 


PATROCINADORES

 


Empregos


 


E na esteira de investimentos milionários em Pouso Alegre, o mercado formal de trabalho também segue aquecido. Para se ter uma ideia, a cidade vem se destacando no decorrer deste ano, entre os maiores saldos entre os municípios com mais de 30 mil habitantes do Estado.


 


Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no acumulado de janeiro a setembro foram 14.559 contratações e 12.898 demissões, totalizando um superávit de 1.661 nos nove meses. Somente em setembro foram 233 postos de trabalho gerados.


 


Por fim, Frascecato ressaltou o desempenho de Pouso Alegre no ranking das cidades brasileiras com população acima de 100 mil habitantes mais promissoras para investir, empreender e negociar. De acordo com o levantamento da revista Exame, a cidade apareceu na 29ª posição neste exercício.


 


Em Minas Gerais, o município ocupa o segundo lugar, atrás apenas de Belo Horizonte, e lidera o Sul de Minas. Lavras gurou na 59ª colocação, enquanto Poços de Caldas ocupou a 68ª posição e Varginha, a 81ª. Para o levantamento foram analisados 42 indicadores, abrangendo os segmentos de sócio-demografia, econômico, saúde, educação, financeiro, transporte, infraestrutura e segurança. “De um ano para cá passamos da 90ª para a 29ª posição. Arrisco dizer que no ano que vem ou no próximo estaremos entre as 15 maiores do País”, apostou.


Mesmo diante da lenta retomada econômica brasileira, Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, tem conseguido atrair uma série de investimentos privados. Nos últimos meses, importantes empresas dos setores alimentício, logístico e farmacêutico anunciaram aportes no município. Entre as inversões, há novas operações, expansão das atividades já existentes ou o aprimoramento da logística de distribuição na região.



Somente o setor farmacêutico prevê, até 2020, aportes superiores a R$ 1 bilhão no município. Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Dino Frascecato, outros três empreendimentos já estão previstos e em andamento para o início de 2019 em Pouso Alegre.



“Teremos a vinda de mais uma indústria farmacêutica, inclusive com CD (centro de distribuição) e outras duas fábricas na área de autopeças. Todas as três estão bastante avançadas, embora ainda não tenhamos assinado os protocolos de intenções. A expectativa é que isso ocorra nos próximos meses, para instalação no decorrer do ano que vem”, explicou.



PATROCINADORES

Tamanha pujança, na avaliação do secretário, se explica principalmente pelas condições de infraestrutura oferecidas pelo município. Neste sentido, ele chamou a atenção para a localização geográfica, estando Pouso Alegre próxima de grandes centros consumidores, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.



“Outros quesitos como disponibilidade de energia e qualidade de mão de obra também são diferenciais na atração de novos empreendimentos para o município ou expansão de algum já existente”, argumentou.



Empregos



PATROCINADORES

E na esteira de investimentos milionários em Pouso Alegre, o mercado formal de trabalho também segue aquecido. Para se ter uma ideia, a cidade vem se destacando no decorrer deste ano, entre os maiores saldos entre os municípios com mais de 30 mil habitantes do Estado.



Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), no acumulado de janeiro a setembro foram 14.559 contratações e 12.898 demissões, totalizando um superávit de 1.661 nos nove meses. Somente em setembro foram 233 postos de trabalho gerados.



Por fim, Frascecato ressaltou o desempenho de Pouso Alegre no ranking das cidades brasileiras com população acima de 100 mil habitantes mais promissoras para investir, empreender e negociar. De acordo com o levantamento da revista Exame, a cidade apareceu na 29ª posição neste exercício.



Em Minas Gerais, o município ocupa o segundo lugar, atrás apenas de Belo Horizonte, e lidera o Sul de Minas. Lavras gurou na 59ª colocação, enquanto Poços de Caldas ocupou a 68ª posição e Varginha, a 81ª. Para o levantamento foram analisados 42 indicadores, abrangendo os segmentos de sócio-demografia, econômico, saúde, educação, financeiro, transporte, infraestrutura e segurança. “De um ano para cá passamos da 90ª para a 29ª posição. Arrisco dizer que no ano que vem ou no próximo estaremos entre as 15 maiores do País”, apostou.



Veja Também