news:

Notícias

MP do Rio quer ouvir Flávio Bolsonaro sobre movimentações suspeitas

Publicado por TV Minas em 21/12/2018

foto_principal.jpg

Ex-assessor do deputado voltou a não comparecer a depoimento marcado pelos promotores, alegando internação para 'procedimento invasivo com anestesia'.

 

O Ministério Público do Rio de Janeiro quer ouvir o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) na investigação sobre a suspeita de movimentações financeiras irregulares feitas por Fabrício José Carlos Queiroz, seu ex-motorista. Queiroz voltou a alegar problema de saúde para faltar a um depoimento no MP – como ele não apareceu na última quarta, 19, a audiência havia sido remarcada para a tarde desta sexta, 21.

 

Em nota, o Ministério Público afirmou que enviará ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro “sugerindo” o comparecimento de Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, no dia 10 de janeiro “para que preste esclarecimentos acerca dos fatos”. Parentes de Queiroz serão ouvidos no próximo dia 8.

 

O comunicado diz que o advogado do ex-motorista foi à sede do MP para justificar a ausência do cliente. Afirmou que ele foi internado, hoje, para se submeter a “procedimento invasivo com anestesia”. O defensor de Queiroz ficou de apresentar até a próxima sexta documento que comprovará a internação. Na nota, o MP afirma que alguns deputados citados no relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) “procuraram, voluntariamente, a instituição para manifestar interesse em apresentar seus esclarecimentos”.

Ex-assessor do deputado voltou a não comparecer a depoimento marcado pelos promotores, alegando internação para 'procedimento invasivo com anestesia'.


 


O Ministério Público do Rio de Janeiro quer ouvir o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) na investigação sobre a suspeita de movimentações financeiras irregulares feitas por Fabrício José Carlos Queiroz, seu ex-motorista. Queiroz voltou a alegar problema de saúde para faltar a um depoimento no MP – como ele não apareceu na última quarta, 19, a audiência havia sido remarcada para a tarde desta sexta, 21.


PATROCINADORES

 


Em nota, o Ministério Público afirmou que enviará ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro “sugerindo” o comparecimento de Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, no dia 10 de janeiro “para que preste esclarecimentos acerca dos fatos”. Parentes de Queiroz serão ouvidos no próximo dia 8.


 


O comunicado diz que o advogado do ex-motorista foi à sede do MP para justificar a ausência do cliente. Afirmou que ele foi internado, hoje, para se submeter a “procedimento invasivo com anestesia”. O defensor de Queiroz ficou de apresentar até a próxima sexta documento que comprovará a internação. Na nota, o MP afirma que alguns deputados citados no relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) “procuraram, voluntariamente, a instituição para manifestar interesse em apresentar seus esclarecimentos”.


Ex-assessor do deputado voltou a não comparecer a depoimento marcado pelos promotores, alegando internação para 'procedimento invasivo com anestesia'.



O Ministério Público do Rio de Janeiro quer ouvir o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) na investigação sobre a suspeita de movimentações financeiras irregulares feitas por Fabrício José Carlos Queiroz, seu ex-motorista. Queiroz voltou a alegar problema de saúde para faltar a um depoimento no MP – como ele não apareceu na última quarta, 19, a audiência havia sido remarcada para a tarde desta sexta, 21.



Em nota, o Ministério Público afirmou que enviará ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro “sugerindo” o comparecimento de Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, no dia 10 de janeiro “para que preste esclarecimentos acerca dos fatos”. Parentes de Queiroz serão ouvidos no próximo dia 8.



PATROCINADORES

O comunicado diz que o advogado do ex-motorista foi à sede do MP para justificar a ausência do cliente. Afirmou que ele foi internado, hoje, para se submeter a “procedimento invasivo com anestesia”. O defensor de Queiroz ficou de apresentar até a próxima sexta documento que comprovará a internação. Na nota, o MP afirma que alguns deputados citados no relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) “procuraram, voluntariamente, a instituição para manifestar interesse em apresentar seus esclarecimentos”.



Veja Também