news:

Notícias

Servidores de MG passarão Natal sem saber quando terão 13º deste ano

Publicado por TV Minas em 22/12/2018

foto_principal.jpg

Para amenizar a situação, o Executivo anunciou que vai prorrogar o pagamento do IPVA do funcionalismo. Nova promessa é dar resposta até dia 27.

 

Os cerca de 600 mil servidores de Minas Gerais vão passar o Natal sem qualquer perspectiva de quando vão receber o 13º salário de 2018. Embora a alegação seja a de que a Secretaria da Fazenda faz um esforço para pagar pelo menos alguma parte do benefício este ano, a conta deve ficar mesmo para o governador eleito Romeu Zema (Novo). 

 

Tanto que a única sinalização que o Executivo deu nessa sexta-feira (21), em reunião com representantes dos sindicatos, foi anunciar que vai prorrogar para abril o prazo de pagamento do IPVA para os integrantes do funcionalismo. Após o encontro, a nova promessa aos servidores é de uma resposta até a próxima quinta-feira (27), faltando quatro dias para terminar o ano.

 

No ano passado, o governo anunciou a escala do 13º – com pagamentos até abril deste ano – no dia 21 de dezembro. Em 2018, o estado vem prometendo uma resposta aos servidores desde o 14, mas já adiou quatro vezes o anúncio sempre com o argumento de que não foi possível fechar as contas. A próxima gestão, do governador eleito Romeu Zema, estima no relatório da transição com um gasto extra de R$ 2,450 bilhões no início do próximo ano, por causa da dívida do 13º com o funcionalismo.

 

 

Salário garantido

 

Calazans disse que as únicas garantias que foram dadas aos servidores por enquanto são a de que o restante dos salários de dezembro, relativos ao mês trabalhado em novembro, será pago no dia 28 de dezembro e a de que a escala do IPVA será prorrogada para eles. “Há uma grande especulação e grande apreensão do funcionalismo de que o estado não terá condições de pagar o salário este mês. Estamos garantindo que no dia 28 completaremos o salário de todo mundo, não vamos deixar em pagar”, disse. 

 

Na sexta-feira (21), somente os servidores da segurança pública, da Rede Fhemig, Hemominas e Ipsemg receberam uma segunda parcela de R$ 2  mil, completando R$ 4 mil do salário. Os demais servidores só tiveram até agora R$ 2 mil pagos no dia 13. Todos terão o restante do contracheque depositado no dia 28. 

 

Apesar de a conta ficar para o próximo governador, Calazans acredita que o pagamento do 13º será honrado. “Ano passado foram quatro parcelas, era um momento ainda mais desfavorável. Acreditamos que o governo Zema vá garantir o pagamento, porque há interlocução com o governo federal e no início do ano tem a arrecadação extra do IPVA”, disse. 

Para amenizar a situação, o Executivo anunciou que vai prorrogar o pagamento do IPVA do funcionalismo. Nova promessa é dar resposta até dia 27.


 


Os cerca de 600 mil servidores de Minas Gerais vão passar o Natal sem qualquer perspectiva de quando vão receber o 13º salário de 2018. Embora a alegação seja a de que a Secretaria da Fazenda faz um esforço para pagar pelo menos alguma parte do benefício este ano, a conta deve ficar mesmo para o governador eleito Romeu Zema (Novo). 


 


Tanto que a única sinalização que o Executivo deu nessa sexta-feira (21), em reunião com representantes dos sindicatos, foi anunciar que vai prorrogar para abril o prazo de pagamento do IPVA para os integrantes do funcionalismo. Após o encontro, a nova promessa aos servidores é de uma resposta até a próxima quinta-feira (27), faltando quatro dias para terminar o ano.


 


No ano passado, o governo anunciou a escala do 13º – com pagamentos até abril deste ano – no dia 21 de dezembro. Em 2018, o estado vem prometendo uma resposta aos servidores desde o 14, mas já adiou quatro vezes o anúncio sempre com o argumento de que não foi possível fechar as contas. A próxima gestão, do governador eleito Romeu Zema, estima no relatório da transição com um gasto extra de R$ 2,450 bilhões no início do próximo ano, por causa da dívida do 13º com o funcionalismo.


 


PATROCINADORES

 


Salário garantido


 


Calazans disse que as únicas garantias que foram dadas aos servidores por enquanto são a de que o restante dos salários de dezembro, relativos ao mês trabalhado em novembro, será pago no dia 28 de dezembro e a de que a escala do IPVA será prorrogada para eles. “Há uma grande especulação e grande apreensão do funcionalismo de que o estado não terá condições de pagar o salário este mês. Estamos garantindo que no dia 28 completaremos o salário de todo mundo, não vamos deixar em pagar”, disse. 


 


Na sexta-feira (21), somente os servidores da segurança pública, da Rede Fhemig, Hemominas e Ipsemg receberam uma segunda parcela de R$ 2  mil, completando R$ 4 mil do salário. Os demais servidores só tiveram até agora R$ 2 mil pagos no dia 13. Todos terão o restante do contracheque depositado no dia 28. 


 


Apesar de a conta ficar para o próximo governador, Calazans acredita que o pagamento do 13º será honrado. “Ano passado foram quatro parcelas, era um momento ainda mais desfavorável. Acreditamos que o governo Zema vá garantir o pagamento, porque há interlocução com o governo federal e no início do ano tem a arrecadação extra do IPVA”, disse. 


Para amenizar a situação, o Executivo anunciou que vai prorrogar o pagamento do IPVA do funcionalismo. Nova promessa é dar resposta até dia 27.



Os cerca de 600 mil servidores de Minas Gerais vão passar o Natal sem qualquer perspectiva de quando vão receber o 13º salário de 2018. Embora a alegação seja a de que a Secretaria da Fazenda faz um esforço para pagar pelo menos alguma parte do benefício este ano, a conta deve ficar mesmo para o governador eleito Romeu Zema (Novo). 



Tanto que a única sinalização que o Executivo deu nessa sexta-feira (21), em reunião com representantes dos sindicatos, foi anunciar que vai prorrogar para abril o prazo de pagamento do IPVA para os integrantes do funcionalismo. Após o encontro, a nova promessa aos servidores é de uma resposta até a próxima quinta-feira (27), faltando quatro dias para terminar o ano.



PATROCINADORES

No ano passado, o governo anunciou a escala do 13º – com pagamentos até abril deste ano – no dia 21 de dezembro. Em 2018, o estado vem prometendo uma resposta aos servidores desde o 14, mas já adiou quatro vezes o anúncio sempre com o argumento de que não foi possível fechar as contas. A próxima gestão, do governador eleito Romeu Zema, estima no relatório da transição com um gasto extra de R$ 2,450 bilhões no início do próximo ano, por causa da dívida do 13º com o funcionalismo.



Salário garantido



PATROCINADORES

Calazans disse que as únicas garantias que foram dadas aos servidores por enquanto são a de que o restante dos salários de dezembro, relativos ao mês trabalhado em novembro, será pago no dia 28 de dezembro e a de que a escala do IPVA será prorrogada para eles. “Há uma grande especulação e grande apreensão do funcionalismo de que o estado não terá condições de pagar o salário este mês. Estamos garantindo que no dia 28 completaremos o salário de todo mundo, não vamos deixar em pagar”, disse. 



Na sexta-feira (21), somente os servidores da segurança pública, da Rede Fhemig, Hemominas e Ipsemg receberam uma segunda parcela de R$ 2  mil, completando R$ 4 mil do salário. Os demais servidores só tiveram até agora R$ 2 mil pagos no dia 13. Todos terão o restante do contracheque depositado no dia 28. 



Apesar de a conta ficar para o próximo governador, Calazans acredita que o pagamento do 13º será honrado. “Ano passado foram quatro parcelas, era um momento ainda mais desfavorável. Acreditamos que o governo Zema vá garantir o pagamento, porque há interlocução com o governo federal e no início do ano tem a arrecadação extra do IPVA”, disse. 



Veja Também