news:

Sul de Minas

Uso indevido de van é denunciado por vereadores de cidade sul-mineira

Publicado por TV Minas em 30/12/2018

foto_principal.jpg

Os vereadores de Alterosa Edson João Batista, o Carequinha, José Neto Cabral, o Maguineti, e Gustavo Gaiane Silva fizeram um boletim de ocorrência referente a ausência de um micro-ônibus.

 

O micro-ônibus atende a Secretaria Municipal de Educação, que até o momento, pode estar em uma praia no litoral brasileiro. Fotos com servidores foram postadas.

 

A polícia foi acionada na última sexta-feira (28), na Câmara Municipal de Alterosa a pedido de três vereadores. Segundo o boletim de ocorrência. Para que fosse registrada a reclamação de que um veículo micro-ônibus. Placa HOA3437, da prefeitura de Alterosa, estaria sendo utilizado para fins particulares.

 

Os vereadores informaram que, no dia 21 de dezembro, o veículo havia se deslocado para a cidade de Curitiba (PR). E que até o momento não teria retornado.

 

A Polícia Militar compareceu ao pátio da Prefeitura Municipal de Alterosa. Onde o secretário de transportes da prefeitura, João Paulo, informou que o referido veículo realmente não se encontrava no pátio. Estando ainda na cidade de Curitiba, o que deveria ter retornado no dia 23 de dezembro. Diante do não retorno do veículo o secretário realizou contato telefônico. Sendo assim, foi informado de que o veículo havia apresentado problemas mecânicos. E que o retorno previsto seria para o dia 29 de dezembro, declarando que as despesas com o conserto foram custeadas pelos requisitantes.

 

O secretário municipal de gabinete Mauro Gil Campos de Oliveira acompanhou a lavratura do boletim de ocorrência e, após ser indagado, confirmou que realmente foi autorizado o deslocamento, conforme requisição anexada ao boletim, devidamente assinada pela solicitante, Cleonice de Fátima Fraleone, e pelo prefeito municipal, Hermes de Souza Silva, alegando que a referida autorização ocorreu por se tratar de evento cultural/religioso, sem ônus para o município, uma vez que as despesas com combustível, motorista e pedágio ficaram condicionadas ao deferimento do pedido.

 

O secretário esclareceu que tais pedidos são hábito tanto nesta Prefeitura como nas prefeituras da região, inclusive com solicitações de vereadores, muitas das vezes.

 

Maguineti disse que a busca pelo veículo se deu após um dos funcionários, Odair José de Faria, o Boca, postar uma foto em uma rede social na praia. “Procuramos o veículo no almoxarifado, juntamente com a Polícia Militar, e não encontramos. Mesmo tendo sido autorizado pelo prefeito, um veículo público não pode ser usado para fins particulares. Nem cultural, nem religioso e muito menos para diversão, levar família para a praia. Não podemos deixar isso acontecer e vamos tomar atitudes cabíveis, como vereadores”, disse o parlamentar.

 

A secretária de Educação Leidinéa Cabral disse à reportagem que, com o final do período letivo, a responsabilidade sobre os veículos passam automaticamente para o setor de Transportes e que ela não tinha, até a manhã deste sábado, 29, qualquer informação a respeito do caso.

 

O vice-prefeito Abimael Moreira Pinto disse por telefone estar viajando e que também não sabia nada a respeito do assunto.

 

O prefeito Hermes de Souza Silva foi procurado durante toda a manhã por telefone, mas não atendeu às ligações.

Os vereadores de Alterosa Edson João Batista, o Carequinha, José Neto Cabral, o Maguineti, e Gustavo Gaiane Silva fizeram um boletim de ocorrência referente a ausência de um micro-ônibus.


 


O micro-ônibus atende a Secretaria Municipal de Educação, que até o momento, pode estar em uma praia no litoral brasileiro. Fotos com servidores foram postadas.


 


A polícia foi acionada na última sexta-feira (28), na Câmara Municipal de Alterosa a pedido de três vereadores. Segundo o boletim de ocorrência. Para que fosse registrada a reclamação de que um veículo micro-ônibus. Placa HOA3437, da prefeitura de Alterosa, estaria sendo utilizado para fins particulares.


 


Os vereadores informaram que, no dia 21 de dezembro, o veículo havia se deslocado para a cidade de Curitiba (PR). E que até o momento não teria retornado.


 


A Polícia Militar compareceu ao pátio da Prefeitura Municipal de Alterosa. Onde o secretário de transportes da prefeitura, João Paulo, informou que o referido veículo realmente não se encontrava no pátio. Estando ainda na cidade de Curitiba, o que deveria ter retornado no dia 23 de dezembro. Diante do não retorno do veículo o secretário realizou contato telefônico. Sendo assim, foi informado de que o veículo havia apresentado problemas mecânicos. E que o retorno previsto seria para o dia 29 de dezembro, declarando que as despesas com o conserto foram custeadas pelos requisitantes.


 


PATROCINADORES

O secretário municipal de gabinete Mauro Gil Campos de Oliveira acompanhou a lavratura do boletim de ocorrência e, após ser indagado, confirmou que realmente foi autorizado o deslocamento, conforme requisição anexada ao boletim, devidamente assinada pela solicitante, Cleonice de Fátima Fraleone, e pelo prefeito municipal, Hermes de Souza Silva, alegando que a referida autorização ocorreu por se tratar de evento cultural/religioso, sem ônus para o município, uma vez que as despesas com combustível, motorista e pedágio ficaram condicionadas ao deferimento do pedido.


 


O secretário esclareceu que tais pedidos são hábito tanto nesta Prefeitura como nas prefeituras da região, inclusive com solicitações de vereadores, muitas das vezes.


 


Maguineti disse que a busca pelo veículo se deu após um dos funcionários, Odair José de Faria, o Boca, postar uma foto em uma rede social na praia. “Procuramos o veículo no almoxarifado, juntamente com a Polícia Militar, e não encontramos. Mesmo tendo sido autorizado pelo prefeito, um veículo público não pode ser usado para fins particulares. Nem cultural, nem religioso e muito menos para diversão, levar família para a praia. Não podemos deixar isso acontecer e vamos tomar atitudes cabíveis, como vereadores”, disse o parlamentar.


 


A secretária de Educação Leidinéa Cabral disse à reportagem que, com o final do período letivo, a responsabilidade sobre os veículos passam automaticamente para o setor de Transportes e que ela não tinha, até a manhã deste sábado, 29, qualquer informação a respeito do caso.


 


O vice-prefeito Abimael Moreira Pinto disse por telefone estar viajando e que também não sabia nada a respeito do assunto.


 


O prefeito Hermes de Souza Silva foi procurado durante toda a manhã por telefone, mas não atendeu às ligações.


Os vereadores de Alterosa Edson João Batista, o Carequinha, José Neto Cabral, o Maguineti, e Gustavo Gaiane Silva fizeram um boletim de ocorrência referente a ausência de um micro-ônibus.



O micro-ônibus atende a Secretaria Municipal de Educação, que até o momento, pode estar em uma praia no litoral brasileiro. Fotos com servidores foram postadas.



A polícia foi acionada na última sexta-feira (28), na Câmara Municipal de Alterosa a pedido de três vereadores. Segundo o boletim de ocorrência. Para que fosse registrada a reclamação de que um veículo micro-ônibus. Placa HOA3437, da prefeitura de Alterosa, estaria sendo utilizado para fins particulares.



Os vereadores informaram que, no dia 21 de dezembro, o veículo havia se deslocado para a cidade de Curitiba (PR). E que até o momento não teria retornado.



PATROCINADORES

A Polícia Militar compareceu ao pátio da Prefeitura Municipal de Alterosa. Onde o secretário de transportes da prefeitura, João Paulo, informou que o referido veículo realmente não se encontrava no pátio. Estando ainda na cidade de Curitiba, o que deveria ter retornado no dia 23 de dezembro. Diante do não retorno do veículo o secretário realizou contato telefônico. Sendo assim, foi informado de que o veículo havia apresentado problemas mecânicos. E que o retorno previsto seria para o dia 29 de dezembro, declarando que as despesas com o conserto foram custeadas pelos requisitantes.



O secretário municipal de gabinete Mauro Gil Campos de Oliveira acompanhou a lavratura do boletim de ocorrência e, após ser indagado, confirmou que realmente foi autorizado o deslocamento, conforme requisição anexada ao boletim, devidamente assinada pela solicitante, Cleonice de Fátima Fraleone, e pelo prefeito municipal, Hermes de Souza Silva, alegando que a referida autorização ocorreu por se tratar de evento cultural/religioso, sem ônus para o município, uma vez que as despesas com combustível, motorista e pedágio ficaram condicionadas ao deferimento do pedido.



O secretário esclareceu que tais pedidos são hábito tanto nesta Prefeitura como nas prefeituras da região, inclusive com solicitações de vereadores, muitas das vezes.



PATROCINADORES

Maguineti disse que a busca pelo veículo se deu após um dos funcionários, Odair José de Faria, o Boca, postar uma foto em uma rede social na praia. “Procuramos o veículo no almoxarifado, juntamente com a Polícia Militar, e não encontramos. Mesmo tendo sido autorizado pelo prefeito, um veículo público não pode ser usado para fins particulares. Nem cultural, nem religioso e muito menos para diversão, levar família para a praia. Não podemos deixar isso acontecer e vamos tomar atitudes cabíveis, como vereadores”, disse o parlamentar.



A secretária de Educação Leidinéa Cabral disse à reportagem que, com o final do período letivo, a responsabilidade sobre os veículos passam automaticamente para o setor de Transportes e que ela não tinha, até a manhã deste sábado, 29, qualquer informação a respeito do caso.



O vice-prefeito Abimael Moreira Pinto disse por telefone estar viajando e que também não sabia nada a respeito do assunto.



O prefeito Hermes de Souza Silva foi procurado durante toda a manhã por telefone, mas não atendeu às ligações.



Veja Também