Bolsonaro concordou em manter país no Acordo de Paris, diz Salles

Publicado por Tv Minas em 16/01/2019 às 21h54

Em SP, ministro do Meio Ambiente afirmou que, 'por ora', não haverá rompimento. Presidente já defendeu saída do país do acordo caso não haja mudanças.

 

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou nesta segunda-feira, 14, que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) concordou, por enquanto, em manter o Brasil no Acordo de Paris, que estabeleceu a meta de limitar o aumento da temperatura do planeta a 1,5ºC até 2100.

 

Salles reconheceu que há oposição ao acordo climático dentro do governo, mas ponderou que, “por ora, a participação do Brasil está mantida”. As declarações foram dadas após almoço no Secovi-SP, com empresários do setor imobiliário.

 

Na semana passada, em entrevista à Rádio Eldorado, o ministro já havia defendido a permanência do país no Acordo de Paris e foi alvo de críticas de membros do governo. “Não precisamos sair do acordo do clima, é preciso ter muito cuidado e saber identificar oportunidades de avanços em parcerias e recursos que decorram dessa agenda e, por outro lado identificar riscos que nós temos que evitar de ingerência internacional sobre o território, a produção agropecuária e o patrimônio genético”, disse.

 

Antes da posse de Bolsonaro, a posição do presidente em relação ao tema era oscilante. Ele chegou a defender a saída do país do acordo, mas depois recuou e prometeu lutar por mudanças no texto.

 

Salles não detalhou as alterações a serem propostas pelo presidente. “As metas de redução de emissão, que o Brasil e os outros países concordaram, estão OK. O problema é como você internaliza esses princípios e estes valores na legislação do país. A nossa única preocupação é se esta legislação restringe a liberdade e a ação de empreendedorismo e a gestão do território. Vamos estar muito atentos a isso”, afirmou.

 

 

Veja também:

 

Bolsonaro se reúne com Macri para discutir Venezuela e Mercosul

 

Bolsonaro assina decreto que flexibiliza a posse de armas

Fonte: VEJA

Compartilhe essa matéria: