news:

Sul de Minas

Moradores encontram dificuldades com Defensoria Pública no Sul de MG

Publicado por TV Minas em 25/09/2015

foto_principal.jpg

Atendimento em Pouso Alegre (MG) acontece apenas uma vez por mês. Moradores falam que número de defensores não dá conta do atendimento.

 

Moradores de Pouso Alegre (MG) reclamam da dificuldade enfrentada para conseguir atendimento na Defensoria Pública do município. Eles dizem que o número de advogados não é suficiente para atender a todas as pessoas que precisam dos serviços.

 

No dia reservado para atendimento, a fila em frente ao prédio da defensoria chega a dobrar a esquina e quem precisa do serviço chega a madrugar na porta do local.

 

"Estou aqui desde as 5h15, sem banheiro, sem nada", conta Vicente Ribeiro de Pádua.
Para o atendimento que acontece uma vez ao mês, somente no período da tarde, são disponibilizadas 56 vagas, sendo 44 para a área da família e 12 para causa cíveis. Quantidade insuficiente para atender as mais de 70 pessoas que precisam de defensores públicos na cidade e, por isso, muita gente acaba voltando para casa sem atendimento.

 

Segundo a Defensoria Pública de Pouso Alegre, ainda não há previsão de quando será o próximo agendamento. O motivo é que apartir da próxima segunda-feira (28) será implantado o processo judicial eletrônico e os defensores precisam se familiarizar com o novo sistema para garantir agilidade nos processos.

Atendimento em Pouso Alegre (MG) acontece apenas uma vez por mês. Moradores falam que número de defensores não dá conta do atendimento.


 


Moradores de Pouso Alegre (MG) reclamam da dificuldade enfrentada para conseguir atendimento na Defensoria Pública do município. Eles dizem que o número de advogados não é suficiente para atender a todas as pessoas que precisam dos serviços.


 


PATROCINADORES

No dia reservado para atendimento, a fila em frente ao prédio da defensoria chega a dobrar a esquina e quem precisa do serviço chega a madrugar na porta do local.


 


"Estou aqui desde as 5h15, sem banheiro, sem nada", conta Vicente Ribeiro de Pádua.
Para o atendimento que acontece uma vez ao mês, somente no período da tarde, são disponibilizadas 56 vagas, sendo 44 para a área da família e 12 para causa cíveis. Quantidade insuficiente para atender as mais de 70 pessoas que precisam de defensores públicos na cidade e, por isso, muita gente acaba voltando para casa sem atendimento.


 


Segundo a Defensoria Pública de Pouso Alegre, ainda não há previsão de quando será o próximo agendamento. O motivo é que apartir da próxima segunda-feira (28) será implantado o processo judicial eletrônico e os defensores precisam se familiarizar com o novo sistema para garantir agilidade nos processos.


Atendimento em Pouso Alegre (MG) acontece apenas uma vez por mês. Moradores falam que número de defensores não dá conta do atendimento.



Moradores de Pouso Alegre (MG) reclamam da dificuldade enfrentada para conseguir atendimento na Defensoria Pública do município. Eles dizem que o número de advogados não é suficiente para atender a todas as pessoas que precisam dos serviços.



No dia reservado para atendimento, a fila em frente ao prédio da defensoria chega a dobrar a esquina e quem precisa do serviço chega a madrugar na porta do local.



PATROCINADORES

"Estou aqui desde as 5h15, sem banheiro, sem nada", conta Vicente Ribeiro de Pádua.
Para o atendimento que acontece uma vez ao mês, somente no período da tarde, são disponibilizadas 56 vagas, sendo 44 para a área da família e 12 para causa cíveis. Quantidade insuficiente para atender as mais de 70 pessoas que precisam de defensores públicos na cidade e, por isso, muita gente acaba voltando para casa sem atendimento.



Segundo a Defensoria Pública de Pouso Alegre, ainda não há previsão de quando será o próximo agendamento. O motivo é que apartir da próxima segunda-feira (28) será implantado o processo judicial eletrônico e os defensores precisam se familiarizar com o novo sistema para garantir agilidade nos processos.



Veja Também