news:

Notícias

Idosos morrem soterrados em mina de pedras preciosas no Norte de Minas

Publicado por TV Minas em 18/06/2020 às 17h55 - Atualizado às 18h17

foto_principal.jpg

Os corpos só foram localizados na madrugada e início da manhã desta quinta-feira, 18.

 

Dois garimpeiros morreram em uma mina de extração de pedras preciosas após um soterramento nessa quarta-feira.

 

O local fica em Rubelita, no Norte de Minas Gerais. Um dos corpos só foi localizado nesta quinta. 

 

Militares do Corpo de Bombeiros de Salinas, a 48 quilômetros da cidade, seguiram para o local por volta das 20h para socorrer as vítimas. Lá, eles foram informados que os homens trabalhavam na extração de água-marinha em uma mina da Fazenda Bananal, quando as paredes da vala cederam e os soterraram. 


Familiares disseram aos bombeiros que os homens, identificados como  José Elizio dos Santos, de 63 anos, e Amintas Costa Aguiar, de 68, costumavam voltar para casa por volta das 16h30, mas não retornaram. Assim, a filha de um deles foi até a mina para tentar localizar o pai. Foi quando ela percebeu o deslizamento de terra. 

 

Segundo a tenente Elen Carvalho, comandante do 8º Pelotão de Bombeiros de Salinas, a mina era pequena, com cerca de 6 metros de extensão. “Como a gente percebeu, não tinha uma estrutura de escoramento. O material que havia sido retirado foi colocado na borda. Isso pode ter ocasionado um sobrepeso e a própria borda não ter suportado e cedido sobre os mineiros”, explicou.

 

As vítimas não seriam profissionais da atividade. "Eram dois idosos aposentados que faziam a mineração mais como um hobby na propriedade de um terceiro. Não tinha nenhuma relação de trabalho entre o proprietário e os idosos segundo familiares e ele", contou a militar. 

 

As buscas exigiram o apoio de máquinas. Os trabalhos continuaram ao longo da noite e madrugada. Segundo os bombeiros de Salinas, o primeiro corpo foi localizado às 4h e o outro por volta das 6h50. Eles estavam a cinco metros abaixo do nível do solo.

 

A Polícia Civil foi chamada e os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros pela funerária local. Ainda segundo os bombeiros, a regularidade do funcionamento da mina será verificada.

Os corpos só foram localizados na madrugada e início da manhã desta quinta-feira, 18.


 


Dois garimpeiros morreram em uma mina de extração de pedras preciosas após um soterramento nessa quarta-feira.


 


O local fica em Rubelita, no Norte de Minas Gerais. Um dos corpos só foi localizado nesta quinta. 


 


Militares do Corpo de Bombeiros de Salinas, a 48 quilômetros da cidade, seguiram para o local por volta das 20h para socorrer as vítimas. Lá, eles foram informados que os homens trabalhavam na extração de água-marinha em uma mina da Fazenda Bananal, quando as paredes da vala cederam e os soterraram. 



Familiares disseram aos bombeiros que os homens, identificados como  José Elizio dos Santos, de 63 anos, e Amintas Costa Aguiar, de 68, costumavam voltar para casa por volta das 16h30, mas não retornaram. Assim, a filha de um deles foi até a mina para tentar localizar o pai. Foi quando ela percebeu o deslizamento de terra. 


PATROCINADORES

 


Segundo a tenente Elen Carvalho, comandante do 8º Pelotão de Bombeiros de Salinas, a mina era pequena, com cerca de 6 metros de extensão. “Como a gente percebeu, não tinha uma estrutura de escoramento. O material que havia sido retirado foi colocado na borda. Isso pode ter ocasionado um sobrepeso e a própria borda não ter suportado e cedido sobre os mineiros”, explicou.


 


As vítimas não seriam profissionais da atividade. "Eram dois idosos aposentados que faziam a mineração mais como um hobby na propriedade de um terceiro. Não tinha nenhuma relação de trabalho entre o proprietário e os idosos segundo familiares e ele", contou a militar. 


 


As buscas exigiram o apoio de máquinas. Os trabalhos continuaram ao longo da noite e madrugada. Segundo os bombeiros de Salinas, o primeiro corpo foi localizado às 4h e o outro por volta das 6h50. Eles estavam a cinco metros abaixo do nível do solo.


 


A Polícia Civil foi chamada e os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros pela funerária local. Ainda segundo os bombeiros, a regularidade do funcionamento da mina será verificada.


Os corpos só foram localizados na madrugada e início da manhã desta quinta-feira, 18.



Dois garimpeiros morreram em uma mina de extração de pedras preciosas após um soterramento nessa quarta-feira.



O local fica em Rubelita, no Norte de Minas Gerais. Um dos corpos só foi localizado nesta quinta. 



PATROCINADORES

Militares do Corpo de Bombeiros de Salinas, a 48 quilômetros da cidade, seguiram para o local por volta das 20h para socorrer as vítimas. Lá, eles foram informados que os homens trabalhavam na extração de água-marinha em uma mina da Fazenda Bananal, quando as paredes da vala cederam e os soterraram. 




Familiares disseram aos bombeiros que os homens, identificados como  José Elizio dos Santos, de 63 anos, e Amintas Costa Aguiar, de 68, costumavam voltar para casa por volta das 16h30, mas não retornaram. Assim, a filha de um deles foi até a mina para tentar localizar o pai. Foi quando ela percebeu o deslizamento de terra. 



Segundo a tenente Elen Carvalho, comandante do 8º Pelotão de Bombeiros de Salinas, a mina era pequena, com cerca de 6 metros de extensão. “Como a gente percebeu, não tinha uma estrutura de escoramento. O material que havia sido retirado foi colocado na borda. Isso pode ter ocasionado um sobrepeso e a própria borda não ter suportado e cedido sobre os mineiros”, explicou.



PATROCINADORES

As vítimas não seriam profissionais da atividade. "Eram dois idosos aposentados que faziam a mineração mais como um hobby na propriedade de um terceiro. Não tinha nenhuma relação de trabalho entre o proprietário e os idosos segundo familiares e ele", contou a militar. 



As buscas exigiram o apoio de máquinas. Os trabalhos continuaram ao longo da noite e madrugada. Segundo os bombeiros de Salinas, o primeiro corpo foi localizado às 4h e o outro por volta das 6h50. Eles estavam a cinco metros abaixo do nível do solo.



A Polícia Civil foi chamada e os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros pela funerária local. Ainda segundo os bombeiros, a regularidade do funcionamento da mina será verificada.



Veja Também