news:

Notícias

Em 24 horas, taxa de ocupação dos leitos de UTI em MG salta de 72% para 88%

Publicado por TV Minas em 19/06/2020 às 17h26

foto_principal.jpg

Seiscentas pessoas já morreram em decorrência da doença em MG. Foram 30 óbitos a mais em 24 horas. Lockdown pode ser aplicado se avanço continuar.

 

A taxa de ocupação dos leitos de UTI em Minas Gerais aumentou de 72% para 88% em 24 horas. Caso o avanço da pandemia do novo coronavírus continuar, um protocolo para lockdown - medida de fechamento de regiões para obrigar ao isolamento social – , já criado pelo governo do estado, pode ser aplicado em alguns municípios.

 

“Este aumento nos obriga a exigir dos senhores a apelar por suas próprias vidas. Pedimos para reforçar os cuidados com distanciamento, manter todos os cuidados.

 

Cada vez mais alertamos para a necessidade de distanciamento social”, disse o secretário adjunto de Estado de Saúde, Marcelo Cabral, que disse na coletiva de imprensa desta sexta-feira (19) que perdeu um amigo para a Covid-19.


Seiscentas pessoas já morreram em decorrência da doença em Minas Gerais. Foram 30 óbitos a mais em 24 horas. Outras 242 mortes ainda estão em investigação. Ao todo, o estado já teve 26.052 casos confirmados da doença.

 

O pico da contaminação está previsto para 15 de julho. “Infelizmente tivemos 600 mortes.

 

Os cálculos estão cada vez mais próximos da realidade e este pico está se aproximando. Se acautelem. Mais um fim de semana chegando e os cuidados devem ser redobrados”, disse Marcelo Cabral.

Seiscentas pessoas já morreram em decorrência da doença em MG. Foram 30 óbitos a mais em 24 horas. Lockdown pode ser aplicado se avanço continuar.


 


A taxa de ocupação dos leitos de UTI em Minas Gerais aumentou de 72% para 88% em 24 horas. Caso o avanço da pandemia do novo coronavírus continuar, um protocolo para lockdown - medida de fechamento de regiões para obrigar ao isolamento social – , já criado pelo governo do estado, pode ser aplicado em alguns municípios.


 


“Este aumento nos obriga a exigir dos senhores a apelar por suas próprias vidas. Pedimos para reforçar os cuidados com distanciamento, manter todos os cuidados.


 


PATROCINADORES

Cada vez mais alertamos para a necessidade de distanciamento social”, disse o secretário adjunto de Estado de Saúde, Marcelo Cabral, que disse na coletiva de imprensa desta sexta-feira (19) que perdeu um amigo para a Covid-19.



Seiscentas pessoas já morreram em decorrência da doença em Minas Gerais. Foram 30 óbitos a mais em 24 horas. Outras 242 mortes ainda estão em investigação. Ao todo, o estado já teve 26.052 casos confirmados da doença.


 


O pico da contaminação está previsto para 15 de julho. “Infelizmente tivemos 600 mortes.


 


Os cálculos estão cada vez mais próximos da realidade e este pico está se aproximando. Se acautelem. Mais um fim de semana chegando e os cuidados devem ser redobrados”, disse Marcelo Cabral.


Seiscentas pessoas já morreram em decorrência da doença em MG. Foram 30 óbitos a mais em 24 horas. Lockdown pode ser aplicado se avanço continuar.



A taxa de ocupação dos leitos de UTI em Minas Gerais aumentou de 72% para 88% em 24 horas. Caso o avanço da pandemia do novo coronavírus continuar, um protocolo para lockdown - medida de fechamento de regiões para obrigar ao isolamento social – , já criado pelo governo do estado, pode ser aplicado em alguns municípios.



“Este aumento nos obriga a exigir dos senhores a apelar por suas próprias vidas. Pedimos para reforçar os cuidados com distanciamento, manter todos os cuidados.



PATROCINADORES

Cada vez mais alertamos para a necessidade de distanciamento social”, disse o secretário adjunto de Estado de Saúde, Marcelo Cabral, que disse na coletiva de imprensa desta sexta-feira (19) que perdeu um amigo para a Covid-19.




Seiscentas pessoas já morreram em decorrência da doença em Minas Gerais. Foram 30 óbitos a mais em 24 horas. Outras 242 mortes ainda estão em investigação. Ao todo, o estado já teve 26.052 casos confirmados da doença.



O pico da contaminação está previsto para 15 de julho. “Infelizmente tivemos 600 mortes.



Os cálculos estão cada vez mais próximos da realidade e este pico está se aproximando. Se acautelem. Mais um fim de semana chegando e os cuidados devem ser redobrados”, disse Marcelo Cabral.



Veja Também