news:

Esporte

Cruzeiro seguiu exemplo do protocolo de saúde da Alemanha

Publicado por TV Minas em 20/07/2020 às 14h34

foto_principal.jpg

Médico ressalta controle eficaz da COVID-19 realizado no clube celeste.

 

O protocolo de saúde adotado na Alemanha para a volta do campeonato, em meio à pandemia do novo coronavírus, serviu de exemplo para vários países. No Brasil, o Cruzeiro seguiu a mesma linha das medidas preventivas adotadas pelos alemães, com bateria de exames semanais de testes de PCR, por meio de amostras colhidas de secreção nasal com uso de cotonete, além de questionário aplicado diariamente a jogadores e funcionários na Toca da Raposa 2.

 

O médico do Cruzeiro, Sérgio Campolina, considera que o modelo adotado na Alemanha, primeiro país a retomar as partidas, é o mais eficaz para detectar a presença do novo coronavírus. Até o momento, desde o início da pandemia, o clube mineiro teve três jogadores infectados, o zagueiro Leo, o volante Jean e o atacante Vinícius Popó, que cumpriram quarentena de 14 dias em casa, além de realizar novos exames para comprovar resultado negativo. 

 

Campolina disse que o método traz segurança a todos para o retorno do Campeonato Mineiro. O Cruzeiro receberá a URT, domingo que vem, às 19h, no Mineirão, pela 10ª rodada. O médico assegurou que o clube seguirá as recomendações do protocolo criado pela Federação Mineira de Futebol, aprovado pelas autoridades de saúde do estado e da prefeitura, e que contou com a participação de profissionais da área esportiva na elaboração. 

 

“Nosso protocolo foi montado em cima de experiências anteriores do que ocorreu em outras ligas. É um modelo que se mostrou mais confiável foi o alemão, então a gente tem feito exames semanais de PCR, que mostra a presença do vírus, é um teste qualitativo, e o controle diário com questionário. De acordo com o resultado, a gente faz uma extensão dos testes. Realizamos também, de quatro em quatro semanas, avaliação sorológica, o que nos dá mais informação epidemiológica”, explicou o médico, em entrevista à Rádio Itatiaia. 

 

 

Relatórios

 

Campolina informou ainda que, com a volta do Estadual, os testes, inclusive os de PCR, ficarão a cargo exclusivamente da FMF. No caso do Brasileiro e da Copa do Brasil, a partir de agosto, a CBF fechou parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein para aplicação dos exames. O médico explicou que, conforme o protocolo aprovado pelas autoridades, os jogadores iniciarão concentração 48h antes das partidas, quando terão secreção coletada para avaliação.

 

Mesmo assim, o médico cruzeirense disse que o clube permanecerá no controle diário do grupo e dos funcionários, por meio do questionário. “Na primeira semana, haverá dois testes, um da federação e outro nosso. Está dentro do nosso prazo, mas a partir do momento em que começar a maratona, ficaremos com os testes só da federação. Mas controlando com o questionário, que se mostra mais eficaz no controle da doença”, reforçou.

 

“Os clubes deverão enviar à federação um relatório semanal pré-jogo, ou seja, de avaliação diária dos atletas e integrantes da comissão envolvidos, sem alterações clínicas compatíveis com diagnóstico de COVID-19. Além disso, teremos que enviar o relatório de exames de PCR, qualitativo positivo. Em relação aos exames realizados pela federação, que também são o PCR, terão que ser realizados 48 horas antes do jogo, período de exigência para que os times se concentrem antes das partidas”, acrescentou.

 

 

Sem comemoração

 

Entre as exigências do protocolo está a proibição de um gesto sagrado no futebol: a comemoração de gols por parte dos jogadores. Abraços e aproximação não são permitidos, de acordo com o documento preparado para a volta do Estadual. Entretanto, Sérgio Campolina disse que será um desafio para todos controlar as emoções durante as partidas. 

 

“O duro que eu vejo é a questão do campo, a questão de comemorar o gol. Vai ser uma confusão de sentimentos, nosso time está parado há tanto tempo e precisamos viver bons momentos e não poderemos comemorar. Vamos ter que controlar essa situação, mas o grupo está consciente e não teremos problemas de adaptação com as regras da federação, que foram montadas de acordo com protocolos pré-estabelecidos, inclusive o nosso”, comentou.

 

Patrocinador:

Médico ressalta controle eficaz da COVID-19 realizado no clube celeste.


 


O protocolo de saúde adotado na Alemanha para a volta do campeonato, em meio à pandemia do novo coronavírus, serviu de exemplo para vários países. No Brasil, o Cruzeiro seguiu a mesma linha das medidas preventivas adotadas pelos alemães, com bateria de exames semanais de testes de PCR, por meio de amostras colhidas de secreção nasal com uso de cotonete, além de questionário aplicado diariamente a jogadores e funcionários na Toca da Raposa 2.


 


O médico do Cruzeiro, Sérgio Campolina, considera que o modelo adotado na Alemanha, primeiro país a retomar as partidas, é o mais eficaz para detectar a presença do novo coronavírus. Até o momento, desde o início da pandemia, o clube mineiro teve três jogadores infectados, o zagueiro Leo, o volante Jean e o atacante Vinícius Popó, que cumpriram quarentena de 14 dias em casa, além de realizar novos exames para comprovar resultado negativo. 


 


Campolina disse que o método traz segurança a todos para o retorno do Campeonato Mineiro. O Cruzeiro receberá a URT, domingo que vem, às 19h, no Mineirão, pela 10ª rodada. O médico assegurou que o clube seguirá as recomendações do protocolo criado pela Federação Mineira de Futebol, aprovado pelas autoridades de saúde do estado e da prefeitura, e que contou com a participação de profissionais da área esportiva na elaboração. 


 


“Nosso protocolo foi montado em cima de experiências anteriores do que ocorreu em outras ligas. É um modelo que se mostrou mais confiável foi o alemão, então a gente tem feito exames semanais de PCR, que mostra a presença do vírus, é um teste qualitativo, e o controle diário com questionário. De acordo com o resultado, a gente faz uma extensão dos testes. Realizamos também, de quatro em quatro semanas, avaliação sorológica, o que nos dá mais informação epidemiológica”, explicou o médico, em entrevista à Rádio Itatiaia. 


 


 


Relatórios


 


Campolina informou ainda que, com a volta do Estadual, os testes, inclusive os de PCR, ficarão a cargo exclusivamente da FMF. No caso do Brasileiro e da Copa do Brasil, a partir de agosto, a CBF fechou parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein para aplicação dos exames. O médico explicou que, conforme o protocolo aprovado pelas autoridades, os jogadores iniciarão concentração 48h antes das partidas, quando terão secreção coletada para avaliação.


PATROCINADORES

 


Mesmo assim, o médico cruzeirense disse que o clube permanecerá no controle diário do grupo e dos funcionários, por meio do questionário. “Na primeira semana, haverá dois testes, um da federação e outro nosso. Está dentro do nosso prazo, mas a partir do momento em que começar a maratona, ficaremos com os testes só da federação. Mas controlando com o questionário, que se mostra mais eficaz no controle da doença”, reforçou.


 


“Os clubes deverão enviar à federação um relatório semanal pré-jogo, ou seja, de avaliação diária dos atletas e integrantes da comissão envolvidos, sem alterações clínicas compatíveis com diagnóstico de COVID-19. Além disso, teremos que enviar o relatório de exames de PCR, qualitativo positivo. Em relação aos exames realizados pela federação, que também são o PCR, terão que ser realizados 48 horas antes do jogo, período de exigência para que os times se concentrem antes das partidas”, acrescentou.


 


 


Sem comemoração


 


Entre as exigências do protocolo está a proibição de um gesto sagrado no futebol: a comemoração de gols por parte dos jogadores. Abraços e aproximação não são permitidos, de acordo com o documento preparado para a volta do Estadual. Entretanto, Sérgio Campolina disse que será um desafio para todos controlar as emoções durante as partidas. 


 


“O duro que eu vejo é a questão do campo, a questão de comemorar o gol. Vai ser uma confusão de sentimentos, nosso time está parado há tanto tempo e precisamos viver bons momentos e não poderemos comemorar. Vamos ter que controlar essa situação, mas o grupo está consciente e não teremos problemas de adaptação com as regras da federação, que foram montadas de acordo com protocolos pré-estabelecidos, inclusive o nosso”, comentou.


 


Patrocinador:



Médico ressalta controle eficaz da COVID-19 realizado no clube celeste.



O protocolo de saúde adotado na Alemanha para a volta do campeonato, em meio à pandemia do novo coronavírus, serviu de exemplo para vários países. No Brasil, o Cruzeiro seguiu a mesma linha das medidas preventivas adotadas pelos alemães, com bateria de exames semanais de testes de PCR, por meio de amostras colhidas de secreção nasal com uso de cotonete, além de questionário aplicado diariamente a jogadores e funcionários na Toca da Raposa 2.



O médico do Cruzeiro, Sérgio Campolina, considera que o modelo adotado na Alemanha, primeiro país a retomar as partidas, é o mais eficaz para detectar a presença do novo coronavírus. Até o momento, desde o início da pandemia, o clube mineiro teve três jogadores infectados, o zagueiro Leo, o volante Jean e o atacante Vinícius Popó, que cumpriram quarentena de 14 dias em casa, além de realizar novos exames para comprovar resultado negativo. 



Campolina disse que o método traz segurança a todos para o retorno do Campeonato Mineiro. O Cruzeiro receberá a URT, domingo que vem, às 19h, no Mineirão, pela 10ª rodada. O médico assegurou que o clube seguirá as recomendações do protocolo criado pela Federação Mineira de Futebol, aprovado pelas autoridades de saúde do estado e da prefeitura, e que contou com a participação de profissionais da área esportiva na elaboração. 



“Nosso protocolo foi montado em cima de experiências anteriores do que ocorreu em outras ligas. É um modelo que se mostrou mais confiável foi o alemão, então a gente tem feito exames semanais de PCR, que mostra a presença do vírus, é um teste qualitativo, e o controle diário com questionário. De acordo com o resultado, a gente faz uma extensão dos testes. Realizamos também, de quatro em quatro semanas, avaliação sorológica, o que nos dá mais informação epidemiológica”, explicou o médico, em entrevista à Rádio Itatiaia. 



PATROCINADORES

Relatórios



Campolina informou ainda que, com a volta do Estadual, os testes, inclusive os de PCR, ficarão a cargo exclusivamente da FMF. No caso do Brasileiro e da Copa do Brasil, a partir de agosto, a CBF fechou parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein para aplicação dos exames. O médico explicou que, conforme o protocolo aprovado pelas autoridades, os jogadores iniciarão concentração 48h antes das partidas, quando terão secreção coletada para avaliação.



Mesmo assim, o médico cruzeirense disse que o clube permanecerá no controle diário do grupo e dos funcionários, por meio do questionário. “Na primeira semana, haverá dois testes, um da federação e outro nosso. Está dentro do nosso prazo, mas a partir do momento em que começar a maratona, ficaremos com os testes só da federação. Mas controlando com o questionário, que se mostra mais eficaz no controle da doença”, reforçou.



“Os clubes deverão enviar à federação um relatório semanal pré-jogo, ou seja, de avaliação diária dos atletas e integrantes da comissão envolvidos, sem alterações clínicas compatíveis com diagnóstico de COVID-19. Além disso, teremos que enviar o relatório de exames de PCR, qualitativo positivo. Em relação aos exames realizados pela federação, que também são o PCR, terão que ser realizados 48 horas antes do jogo, período de exigência para que os times se concentrem antes das partidas”, acrescentou.



PATROCINADORES

Sem comemoração



Entre as exigências do protocolo está a proibição de um gesto sagrado no futebol: a comemoração de gols por parte dos jogadores. Abraços e aproximação não são permitidos, de acordo com o documento preparado para a volta do Estadual. Entretanto, Sérgio Campolina disse que será um desafio para todos controlar as emoções durante as partidas. 



“O duro que eu vejo é a questão do campo, a questão de comemorar o gol. Vai ser uma confusão de sentimentos, nosso time está parado há tanto tempo e precisamos viver bons momentos e não poderemos comemorar. Vamos ter que controlar essa situação, mas o grupo está consciente e não teremos problemas de adaptação com as regras da federação, que foram montadas de acordo com protocolos pré-estabelecidos, inclusive o nosso”, comentou.



Patrocinador:





Veja Também