news:

Sul de Minas

Cobra foi capturada em cidade sul-mineira próximo a local onde ocorrem queimadas

Publicado por TV Minas em 31/07/2020 às 12h48

foto_principal.jpg

Com o período de estiagem e baixa umidade do ar, o número de focos de incêndio, normalmente criminosos, aumenta e prejudica não só a vegetação e a saúde das pessoas, mas também os animais que compõem a fauna da região. Em Lavras e região, o número de animais que aparece na cidade fugindo do fogo tem aumentado consideravelmente se comparado com outros períodos de anos anteriores.

 

O fogo atinge a vegetação que circunda a cidade. Muitos animais não conseguem escapar e morrem queimados, os que fogem vão parar na área urbana. Bichos como cobra, ouriço, lobo, tamanduás e diversas espécies que são as mais prejudicadas com as queimadas, muitas vezes quando conseguem fugir do fogo, morrem atropeladas.

 

Esta semana a Polícia Ambiental recolheu um tamanduá que foi atropelado na rodovia MG-164, em Candeias. Recentemente foi uma família de capivaras que apareceu na estrada do Madeira e só não foi atropelada porque um motorista parou o seu veículo e afugentou os animais para dentro da mata, as capivaras estavam fugindo de uma queimada do outro lado da pista. As imagens feitas pelo motorista circularam nas redes sociais.

 

Na manhã de quarta-feira, dia 29, o Corpo de Bombeiros foi acionado para comparecer ao bairro Colinas da Serra, onde uma cobra serpenteava pela rua. Quando os bombeiros chegaram, constataram que se tratava de uma cobra perigosa, uma jararaca (Bothrops jararaca), o animal tinha em torno de um metro de comprimento.

 

Os bombeiros capturaram o réptil e o levaram para o serpentário da Polícia Militar do Meio Ambiente. Segundo os bombeiros, este tipo de ocorrência não é comum. As cobras e outros animais saem de seus habitats naturais devido à ação do homem, ou com a especulação imobiliária ou queimadas.  

 

Patrocinador:

Com o período de estiagem e baixa umidade do ar, o número de focos de incêndio, normalmente criminosos, aumenta e prejudica não só a vegetação e a saúde das pessoas, mas também os animais que compõem a fauna da região. Em Lavras e região, o número de animais que aparece na cidade fugindo do fogo tem aumentado consideravelmente se comparado com outros períodos de anos anteriores.


 


O fogo atinge a vegetação que circunda a cidade. Muitos animais não conseguem escapar e morrem queimados, os que fogem vão parar na área urbana. Bichos como cobra, ouriço, lobo, tamanduás e diversas espécies que são as mais prejudicadas com as queimadas, muitas vezes quando conseguem fugir do fogo, morrem atropeladas.


 


Esta semana a Polícia Ambiental recolheu um tamanduá que foi atropelado na rodovia MG-164, em Candeias. Recentemente foi uma família de capivaras que apareceu na estrada do Madeira e só não foi atropelada porque um motorista parou o seu veículo e afugentou os animais para dentro da mata, as capivaras estavam fugindo de uma queimada do outro lado da pista. As imagens feitas pelo motorista circularam nas redes sociais.


 


PATROCINADORES

Na manhã de quarta-feira, dia 29, o Corpo de Bombeiros foi acionado para comparecer ao bairro Colinas da Serra, onde uma cobra serpenteava pela rua. Quando os bombeiros chegaram, constataram que se tratava de uma cobra perigosa, uma jararaca (Bothrops jararaca), o animal tinha em torno de um metro de comprimento.


 


Os bombeiros capturaram o réptil e o levaram para o serpentário da Polícia Militar do Meio Ambiente. Segundo os bombeiros, este tipo de ocorrência não é comum. As cobras e outros animais saem de seus habitats naturais devido à ação do homem, ou com a especulação imobiliária ou queimadas.  


 


Patrocinador:



Com o período de estiagem e baixa umidade do ar, o número de focos de incêndio, normalmente criminosos, aumenta e prejudica não só a vegetação e a saúde das pessoas, mas também os animais que compõem a fauna da região. Em Lavras e região, o número de animais que aparece na cidade fugindo do fogo tem aumentado consideravelmente se comparado com outros períodos de anos anteriores.



O fogo atinge a vegetação que circunda a cidade. Muitos animais não conseguem escapar e morrem queimados, os que fogem vão parar na área urbana. Bichos como cobra, ouriço, lobo, tamanduás e diversas espécies que são as mais prejudicadas com as queimadas, muitas vezes quando conseguem fugir do fogo, morrem atropeladas.



Esta semana a Polícia Ambiental recolheu um tamanduá que foi atropelado na rodovia MG-164, em Candeias. Recentemente foi uma família de capivaras que apareceu na estrada do Madeira e só não foi atropelada porque um motorista parou o seu veículo e afugentou os animais para dentro da mata, as capivaras estavam fugindo de uma queimada do outro lado da pista. As imagens feitas pelo motorista circularam nas redes sociais.



PATROCINADORES

Na manhã de quarta-feira, dia 29, o Corpo de Bombeiros foi acionado para comparecer ao bairro Colinas da Serra, onde uma cobra serpenteava pela rua. Quando os bombeiros chegaram, constataram que se tratava de uma cobra perigosa, uma jararaca (Bothrops jararaca), o animal tinha em torno de um metro de comprimento.



Os bombeiros capturaram o réptil e o levaram para o serpentário da Polícia Militar do Meio Ambiente. Segundo os bombeiros, este tipo de ocorrência não é comum. As cobras e outros animais saem de seus habitats naturais devido à ação do homem, ou com a especulação imobiliária ou queimadas.  



Patrocinador:





Veja Também