news:

Notícias

Pesquisa aponta que 63% são contra retorno às aulas presenciais

Publicado por TV Minas em 06/08/2020 às 16h52

foto_principal.jpg

Estudo conduzido pelo Ibope e divulgado pela Rede Nossa São Paulo aponta que famílias não se sentem seguras em mandar crianças para escola.

 

Pesquisa, realizada pelo Ibope Inteligência e divulgada nesta quinta-feira (6) pela Rede Nossa São Paulo, aponta que 60% das pessoas ouvidas se dizem contra o retorno às aulas presenciais no Estado. Apenas 26% é a favor e 11% não tem opinião formada ainda.

 

Famílias não se sentem seguras em mandar as crianças e adolescentes para a escola. O principal argumento apontado pelos entrevistados é que "não vale a pena arriscar a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área" (61%). 58% das pessoas ouvidas "não acreditam que conseguirão manter o distanciamento social entre as crianças pequenas" e para 43% a rede de ensino não tem como garantir a higienização adequada dos ambientes.

 

Entre aqueles que são favoráveis ao retorno às aulas presenciais em setembro,  65% concordam com o argumento de que "a retomada das aulas presenciais será feita aos poucos, por fases, garantindo a segurança e a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área". Para 37%, "a rede de ensino considera um sistema de revezamento de alunos, garantindo menor número dentro da sala de aula e menor circulação durante os períodos.

 

Outros 35% entendem que as crianças, jovens e adultos precisam estudar e a mesma porcentagem destaca que é preciso preservar a saúde mental das crianças pequenas.

 

O governo do Estado de São Paulo anunciou um possível retorno de 35% dos estudantes no dia 8 de setembro desde que 80% das regiões estejam na fase amarela. Anúncios de protocolos para o retorno serão anunciados nesta sexta-feira (7) no Palácio dos Bandeirantes. A expectativa é que o retorno seja adiado.

 

Patrocinador:

Estudo conduzido pelo Ibope e divulgado pela Rede Nossa São Paulo aponta que famílias não se sentem seguras em mandar crianças para escola.


 


Pesquisa, realizada pelo Ibope Inteligência e divulgada nesta quinta-feira (6) pela Rede Nossa São Paulo, aponta que 60% das pessoas ouvidas se dizem contra o retorno às aulas presenciais no Estado. Apenas 26% é a favor e 11% não tem opinião formada ainda.


 


Famílias não se sentem seguras em mandar as crianças e adolescentes para a escola. O principal argumento apontado pelos entrevistados é que "não vale a pena arriscar a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área" (61%). 58% das pessoas ouvidas "não acreditam que conseguirão manter o distanciamento social entre as crianças pequenas" e para 43% a rede de ensino não tem como garantir a higienização adequada dos ambientes.


 


Entre aqueles que são favoráveis ao retorno às aulas presenciais em setembro,  65% concordam com o argumento de que "a retomada das aulas presenciais será feita aos poucos, por fases, garantindo a segurança e a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área". Para 37%, "a rede de ensino considera um sistema de revezamento de alunos, garantindo menor número dentro da sala de aula e menor circulação durante os períodos.


PATROCINADORES

 


Outros 35% entendem que as crianças, jovens e adultos precisam estudar e a mesma porcentagem destaca que é preciso preservar a saúde mental das crianças pequenas.


 


O governo do Estado de São Paulo anunciou um possível retorno de 35% dos estudantes no dia 8 de setembro desde que 80% das regiões estejam na fase amarela. Anúncios de protocolos para o retorno serão anunciados nesta sexta-feira (7) no Palácio dos Bandeirantes. A expectativa é que o retorno seja adiado.


 


Patrocinador:



Estudo conduzido pelo Ibope e divulgado pela Rede Nossa São Paulo aponta que famílias não se sentem seguras em mandar crianças para escola.



Pesquisa, realizada pelo Ibope Inteligência e divulgada nesta quinta-feira (6) pela Rede Nossa São Paulo, aponta que 60% das pessoas ouvidas se dizem contra o retorno às aulas presenciais no Estado. Apenas 26% é a favor e 11% não tem opinião formada ainda.



PATROCINADORES

Famílias não se sentem seguras em mandar as crianças e adolescentes para a escola. O principal argumento apontado pelos entrevistados é que "não vale a pena arriscar a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área" (61%). 58% das pessoas ouvidas "não acreditam que conseguirão manter o distanciamento social entre as crianças pequenas" e para 43% a rede de ensino não tem como garantir a higienização adequada dos ambientes.



Entre aqueles que são favoráveis ao retorno às aulas presenciais em setembro,  65% concordam com o argumento de que "a retomada das aulas presenciais será feita aos poucos, por fases, garantindo a segurança e a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área". Para 37%, "a rede de ensino considera um sistema de revezamento de alunos, garantindo menor número dentro da sala de aula e menor circulação durante os períodos.



PATROCINADORES

Outros 35% entendem que as crianças, jovens e adultos precisam estudar e a mesma porcentagem destaca que é preciso preservar a saúde mental das crianças pequenas.



O governo do Estado de São Paulo anunciou um possível retorno de 35% dos estudantes no dia 8 de setembro desde que 80% das regiões estejam na fase amarela. Anúncios de protocolos para o retorno serão anunciados nesta sexta-feira (7) no Palácio dos Bandeirantes. A expectativa é que o retorno seja adiado.



Patrocinador:





Veja Também