news:

Esporte

Fim do mistério: Sebastian Vettel será piloto da Aston Martin a partir de 2021

Publicado por TV Minas em 10/09/2020 às 14h35

foto_principal.jpg

Cumprindo sua última temporada pela Ferrari, tetracampeão mundial confirmou a ida para sua nova equipe no próximo ano no lugar do mexicano Sergio Pérez.

 

A Aston Martin (atual Racing Point) será o destino de Sebastian Vettel em 2021. Após a já anunciada ida de Carlos Sainz para a Ferrari na próxima temporada, o futuro do tetracampeão mundial ficou incerto na Fórmula 1 por alguns meses, porém na manhã desta quinta-feira a escuderia britânica anunciou a contratação do veterano piloto alemão.

 

O tempo de compromisso entre as partes, porém, ainda não foi revelado. Vettel, de 33 anos, substitui o mexicano Sergio Pérez, que anunciou na quarta-feira sua saída do time.

 

Também utilizando o Twitter, Vettel confirmou o acerto com a escuderia que ano que vem passará a se chamar Aston Martin.

 

- Ainda tenho muito amor pela Fórmula 1 e minha única motivação é correr na frente do grid. Fazer isso com a Aston Martin será um grande privilégio - enfatizou o alemão de 33 anos e "dono da F1" por quatro temporadas consecutivas com a RBR (2010/2011/2012/2013).

 

Após encerrar seu casamento de seis anos com o time italiano, Vettel terá como companheiro o jovem Lance Stroll, filho do dono da equipe. O executivo mereceu muitos elogios por parte do tetracampeão, que aposta em um novo rumo em sua carreira, com direito a sonhos altos.

 

- A energia e o compromisso de Lawrence (Stroll) com o esporte são inspiradores, e acredito que juntos podemos construir algo muito especial.

 

 

Sebastian Vettel comemora seu primeiro título da F1 em Abu Dhabi-2010.

 

 

Quinta equipe para Vettel


A Aston Martin será a quinta equipe de Sebastian Vettel na Fórmula 1. O alemão estreou na categoria em 2007, substituindo Robert Kubica no GP dos Estados Unidos na BMW Sauber e marcou um ponto na oitava colocação. Ainda naquele ano, o piloto apoiado pela RBR passou a correr pela equipe-satélite STR, pela qual venceu sua primeira corrida, na Itália, em 2008.

 

Em 2009, Vettel se transferiu para a RBR, pela qual teve sua melhor fase na Fórmula 1. Logo no primeiro ano, venceu quatro corridas e ficou com o vice-campeonato. Nas quatro temporadas seguintes, o alemão foi soberano e enfileirou quatro títulos. Depois de um ano ruim, em 2014, o tetracampeão acertou com a Ferrari.

 

Na equipe italiana começou um processo semelhante ao do ídolo Michael Schumacher e foi conquistando bons resultados aos poucos. Em 2017 e 2018, Vettel esteve na briga pelo título com Lewis Hamilton, mas foi derrotado. Pior: passou a cometer erros seguidos nas corridas e teve sua credibilidade afetada.

 

Em 2019, com a chegada do jovem Charles Leclerc, a espiral negativa de Vettel prosseguiu, e o alemão foi constantemente superado pelo monegasco, sem contar a continuidade dos erros. Em 2020, a Ferrari procurou o tetracampeão e avisou que não renovaria seu contrato, além de confirmar a contratação de Carlos Sainz.

 

Vettel passou a procurar alternativas, e a Aston Martin surgiu como possibilidade mais interessante no mercado. Com uma equipe organizada e com um carro competitivo, copiado da Mercedes de 2019 segundo as escuderias adversárias, o alemão tentará reencontrar os bons resultados. Neste ano, com a Ferrari em crise, Sebastian é apenas o 13º na tabela.

 

 

Sebastian Vettel sai do carro após o erro no GP da Alemanha de 2018, em Hockenheim.

Cumprindo sua última temporada pela Ferrari, tetracampeão mundial confirmou a ida para sua nova equipe no próximo ano no lugar do mexicano Sergio Pérez.


 


A Aston Martin (atual Racing Point) será o destino de Sebastian Vettel em 2021. Após a já anunciada ida de Carlos Sainz para a Ferrari na próxima temporada, o futuro do tetracampeão mundial ficou incerto na Fórmula 1 por alguns meses, porém na manhã desta quinta-feira a escuderia britânica anunciou a contratação do veterano piloto alemão.


 


O tempo de compromisso entre as partes, porém, ainda não foi revelado. Vettel, de 33 anos, substitui o mexicano Sergio Pérez, que anunciou na quarta-feira sua saída do time.


 


Também utilizando o Twitter, Vettel confirmou o acerto com a escuderia que ano que vem passará a se chamar Aston Martin.


 


- Ainda tenho muito amor pela Fórmula 1 e minha única motivação é correr na frente do grid. Fazer isso com a Aston Martin será um grande privilégio - enfatizou o alemão de 33 anos e "dono da F1" por quatro temporadas consecutivas com a RBR (2010/2011/2012/2013).


 


Após encerrar seu casamento de seis anos com o time italiano, Vettel terá como companheiro o jovem Lance Stroll, filho do dono da equipe. O executivo mereceu muitos elogios por parte do tetracampeão, que aposta em um novo rumo em sua carreira, com direito a sonhos altos.


 


- A energia e o compromisso de Lawrence (Stroll) com o esporte são inspiradores, e acredito que juntos podemos construir algo muito especial.


 


 



PATROCINADORES

Sebastian Vettel comemora seu primeiro título da F1 em Abu Dhabi-2010.


 


 


Quinta equipe para Vettel



A Aston Martin será a quinta equipe de Sebastian Vettel na Fórmula 1. O alemão estreou na categoria em 2007, substituindo Robert Kubica no GP dos Estados Unidos na BMW Sauber e marcou um ponto na oitava colocação. Ainda naquele ano, o piloto apoiado pela RBR passou a correr pela equipe-satélite STR, pela qual venceu sua primeira corrida, na Itália, em 2008.


 


Em 2009, Vettel se transferiu para a RBR, pela qual teve sua melhor fase na Fórmula 1. Logo no primeiro ano, venceu quatro corridas e ficou com o vice-campeonato. Nas quatro temporadas seguintes, o alemão foi soberano e enfileirou quatro títulos. Depois de um ano ruim, em 2014, o tetracampeão acertou com a Ferrari.


 


Na equipe italiana começou um processo semelhante ao do ídolo Michael Schumacher e foi conquistando bons resultados aos poucos. Em 2017 e 2018, Vettel esteve na briga pelo título com Lewis Hamilton, mas foi derrotado. Pior: passou a cometer erros seguidos nas corridas e teve sua credibilidade afetada.


 


Em 2019, com a chegada do jovem Charles Leclerc, a espiral negativa de Vettel prosseguiu, e o alemão foi constantemente superado pelo monegasco, sem contar a continuidade dos erros. Em 2020, a Ferrari procurou o tetracampeão e avisou que não renovaria seu contrato, além de confirmar a contratação de Carlos Sainz.


 


Vettel passou a procurar alternativas, e a Aston Martin surgiu como possibilidade mais interessante no mercado. Com uma equipe organizada e com um carro competitivo, copiado da Mercedes de 2019 segundo as escuderias adversárias, o alemão tentará reencontrar os bons resultados. Neste ano, com a Ferrari em crise, Sebastian é apenas o 13º na tabela.


 


 



Sebastian Vettel sai do carro após o erro no GP da Alemanha de 2018, em Hockenheim.


Cumprindo sua última temporada pela Ferrari, tetracampeão mundial confirmou a ida para sua nova equipe no próximo ano no lugar do mexicano Sergio Pérez.



A Aston Martin (atual Racing Point) será o destino de Sebastian Vettel em 2021. Após a já anunciada ida de Carlos Sainz para a Ferrari na próxima temporada, o futuro do tetracampeão mundial ficou incerto na Fórmula 1 por alguns meses, porém na manhã desta quinta-feira a escuderia britânica anunciou a contratação do veterano piloto alemão.



O tempo de compromisso entre as partes, porém, ainda não foi revelado. Vettel, de 33 anos, substitui o mexicano Sergio Pérez, que anunciou na quarta-feira sua saída do time.



Também utilizando o Twitter, Vettel confirmou o acerto com a escuderia que ano que vem passará a se chamar Aston Martin.



- Ainda tenho muito amor pela Fórmula 1 e minha única motivação é correr na frente do grid. Fazer isso com a Aston Martin será um grande privilégio - enfatizou o alemão de 33 anos e "dono da F1" por quatro temporadas consecutivas com a RBR (2010/2011/2012/2013).



Após encerrar seu casamento de seis anos com o time italiano, Vettel terá como companheiro o jovem Lance Stroll, filho do dono da equipe. O executivo mereceu muitos elogios por parte do tetracampeão, que aposta em um novo rumo em sua carreira, com direito a sonhos altos.



PATROCINADORES

- A energia e o compromisso de Lawrence (Stroll) com o esporte são inspiradores, e acredito que juntos podemos construir algo muito especial.





Sebastian Vettel comemora seu primeiro título da F1 em Abu Dhabi-2010.



Quinta equipe para Vettel




A Aston Martin será a quinta equipe de Sebastian Vettel na Fórmula 1. O alemão estreou na categoria em 2007, substituindo Robert Kubica no GP dos Estados Unidos na BMW Sauber e marcou um ponto na oitava colocação. Ainda naquele ano, o piloto apoiado pela RBR passou a correr pela equipe-satélite STR, pela qual venceu sua primeira corrida, na Itália, em 2008.



PATROCINADORES

Em 2009, Vettel se transferiu para a RBR, pela qual teve sua melhor fase na Fórmula 1. Logo no primeiro ano, venceu quatro corridas e ficou com o vice-campeonato. Nas quatro temporadas seguintes, o alemão foi soberano e enfileirou quatro títulos. Depois de um ano ruim, em 2014, o tetracampeão acertou com a Ferrari.



Na equipe italiana começou um processo semelhante ao do ídolo Michael Schumacher e foi conquistando bons resultados aos poucos. Em 2017 e 2018, Vettel esteve na briga pelo título com Lewis Hamilton, mas foi derrotado. Pior: passou a cometer erros seguidos nas corridas e teve sua credibilidade afetada.



Em 2019, com a chegada do jovem Charles Leclerc, a espiral negativa de Vettel prosseguiu, e o alemão foi constantemente superado pelo monegasco, sem contar a continuidade dos erros. Em 2020, a Ferrari procurou o tetracampeão e avisou que não renovaria seu contrato, além de confirmar a contratação de Carlos Sainz.



Vettel passou a procurar alternativas, e a Aston Martin surgiu como possibilidade mais interessante no mercado. Com uma equipe organizada e com um carro competitivo, copiado da Mercedes de 2019 segundo as escuderias adversárias, o alemão tentará reencontrar os bons resultados. Neste ano, com a Ferrari em crise, Sebastian é apenas o 13º na tabela.





Sebastian Vettel sai do carro após o erro no GP da Alemanha de 2018, em Hockenheim.



Veja Também