news:

Entretenimento e Curiosidade

Internautas pedem cancelamento da Netflix após lançamento de filme polêmico

Publicado por TV Minas em 11/09/2020 às 18h50

foto_principal.jpg

O filme causou polêmica inicialmente por causa de seu cartaz, que trazia as garotas da trupe em poses sexualizadas.

 

Após a Netflix estrear a produção francesa Cuties nesta quinta-feira (10), usuários do Twitter levantaram a hashtag #CancelNetflix (‘cancelem a Netflix’, em tradução livre) em protesto ao suposto retrato sexualizado das crianças de 11 anos que protagonizam o filme.

 

O longa, dirigido por Maïmouna Doucouré, mostra uma garota que, buscando se livrar do ambiente conservador de sua casa, se envolve com um grupo de dança.

 

O filme causou polêmica inicialmente por causa de seu cartaz, que trazia as garotas da trupe em poses sexualizadas, e pela sinopse, que dizia que Amy (Fathia Youssouf) entrava “em contato com sua feminilidade”.

 

O pôster divulgado pela Netflix, no entanto, é totalmente diferente da divulgação original do filme na França. Confira:

 

 

 

 

Após as primeiras manifestações, a Netflix divulgou uma declaração dizendo que o cartaz "não é ok e não representa o filme premiado em Sundance". 

 

A diretora, por sua vez, defendeu a obra, dizendo à Time que "o filme tenta mostrar que nossas crianças deveriam ter o tempo necessário para serem crianças, e nós, adultos, deveríamos proteger sua inocência e mantê-las inocentes o máximo possível". 

 

A abordagem da Netflix na divulgação do filme ainda incentivou a criação de uma petição online pedindo que usuários cancelassem suas contas. Em entrevista à Deadline, Doucuré revelou ter recebido diversas ameaças de morte desde a divulgação do filme na plataforma.

O filme causou polêmica inicialmente por causa de seu cartaz, que trazia as garotas da trupe em poses sexualizadas.


 


Após a Netflix estrear a produção francesa Cuties nesta quinta-feira (10), usuários do Twitter levantaram a hashtag #CancelNetflix (‘cancelem a Netflix’, em tradução livre) em protesto ao suposto retrato sexualizado das crianças de 11 anos que protagonizam o filme.


 


O longa, dirigido por Maïmouna Doucouré, mostra uma garota que, buscando se livrar do ambiente conservador de sua casa, se envolve com um grupo de dança.


 


O filme causou polêmica inicialmente por causa de seu cartaz, que trazia as garotas da trupe em poses sexualizadas, e pela sinopse, que dizia que Amy (Fathia Youssouf) entrava “em contato com sua feminilidade”.


 


O pôster divulgado pela Netflix, no entanto, é totalmente diferente da divulgação original do filme na França. Confira:


PATROCINADORES

 


 



 


 


Após as primeiras manifestações, a Netflix divulgou uma declaração dizendo que o cartaz "não é ok e não representa o filme premiado em Sundance". 


 


A diretora, por sua vez, defendeu a obra, dizendo à Time que "o filme tenta mostrar que nossas crianças deveriam ter o tempo necessário para serem crianças, e nós, adultos, deveríamos proteger sua inocência e mantê-las inocentes o máximo possível". 


 


A abordagem da Netflix na divulgação do filme ainda incentivou a criação de uma petição online pedindo que usuários cancelassem suas contas. Em entrevista à Deadline, Doucuré revelou ter recebido diversas ameaças de morte desde a divulgação do filme na plataforma.


O filme causou polêmica inicialmente por causa de seu cartaz, que trazia as garotas da trupe em poses sexualizadas.



Após a Netflix estrear a produção francesa Cuties nesta quinta-feira (10), usuários do Twitter levantaram a hashtag #CancelNetflix (‘cancelem a Netflix’, em tradução livre) em protesto ao suposto retrato sexualizado das crianças de 11 anos que protagonizam o filme.



O longa, dirigido por Maïmouna Doucouré, mostra uma garota que, buscando se livrar do ambiente conservador de sua casa, se envolve com um grupo de dança.



PATROCINADORES

O filme causou polêmica inicialmente por causa de seu cartaz, que trazia as garotas da trupe em poses sexualizadas, e pela sinopse, que dizia que Amy (Fathia Youssouf) entrava “em contato com sua feminilidade”.



O pôster divulgado pela Netflix, no entanto, é totalmente diferente da divulgação original do filme na França. Confira:





PATROCINADORES

Após as primeiras manifestações, a Netflix divulgou uma declaração dizendo que o cartaz "não é ok e não representa o filme premiado em Sundance". 



A diretora, por sua vez, defendeu a obra, dizendo à Time que "o filme tenta mostrar que nossas crianças deveriam ter o tempo necessário para serem crianças, e nós, adultos, deveríamos proteger sua inocência e mantê-las inocentes o máximo possível". 



A abordagem da Netflix na divulgação do filme ainda incentivou a criação de uma petição online pedindo que usuários cancelassem suas contas. Em entrevista à Deadline, Doucuré revelou ter recebido diversas ameaças de morte desde a divulgação do filme na plataforma.



Veja Também