news:

Notícias

Marido é preso suspeito de matar a mulher dentro do carro e simular assalto

Publicado por TV Minas em 17/09/2020 às 21h04 - Atualizado às 18h05

foto_principal.jpg

O homem chegou a levar a mulher para o hospital. Médico desconfiou da versão dele e chamou a polícia.

 

Um homem de 44 anos foi preso em flagrante por feminicídio, na tarde desta quarta-feira (16), depois de confessar à polícia o assassinato da mulher dele, de 37 anos.

 

O crime foi no bairro Jaqueline, na Região Norte de Belo Horizonte.

 

A Polícia Militar (PM) informou que, antes de a mulher sair para trabalhar, na madrugada desta quarta, o casal teria brigado dentro de casa, por causa de ciúmes.

 

Dentro do carro, no trajeto para o local onde a mulher trabalhava, o suspeito parou o veículo e deu 11 facadas no corpo da companheira. Nove golpes foram no coração, segundo a corporação.

 

De acordo com a PM, a cuidadora de idosos Vanuza do Carmo dos Santos morreu na hora, mas o marido dela chegou a levar o corpo para o Hospital Risoleta Neves, no bairro Vila Clóris, na Região Norte de Belo Horizonte, alegando que ela teria sido vítima de um assalto.

 

 

Mulher é assassinada com nove facadas no peito pelo marido, em BH.

 

 

O médico desconfiou da versão do suspeito e acionou a polícia. A unidade de saúde confirmou que ela já chegou sem vida ao local.

 

"Ele alegou ao médico que, enquanto levava a mulher para o trabalho, dois homens teriam abordado o carro onde eles estavam e pediram o celular da esposa dele.

 

Com a negativa, os homens teriam golpeado a mulher com uma facada, mas o laudo médico mostrou que as facadas aconteceram de dentro do carro", contou o Tenente-Coronel Bruno de Assunção Coelho, comandante do 13º batalhão que atendeu a ocorrência.

 

O homem foi levado para o Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil e, segundo a corporação, durante depoimento, ele confessou a autoria do crime.

 

 

Segundo PM a faca supostamente usada no crime foi encontrada em uma mata.

 

 

"Relacionamento conturbado"

 

Em conversa com o G1, a irmã da vítima, Márcia da Penha Lima Nunes, disse que o casamento da irmã era "conturbado".

 

"Ele sempre foi agressivo, já agrediu ela e o filho de 13 anos. Minha irmã queria separar, mas ele não aceitava. Eles moravam na mesma casa, mas não tinha vida de casado mais", disse a irmã.


Márcia ainda contou que, nesta última briga, antes do crime, o filho do casal disse que teve que se esconder debaixo da cama, com medo do pai e do que ele poderia fazer com a mãe.


"Meu sobrinho, desde muito novo, presenciava tudo. Ele já foi espancado por tentar defender a mãe. Tudo muito triste. Era uma 'prisão' que minha irmã não conseguia sair", lamentou.


A irmã de Vanuza disse que espera que a justiça seja feita para que a família consiga seguir a vida.

 

"Nossa família está dilacerada, Vanuza era a caçula de 10 irmãos. Muito trabalhadeira, fazia de tudo para colocar as coisas dentro de casa. Vaidosa demais, sempre muito bem arrumada. Estamos vivendo um pesadelo, mas agora é pensar no meu sobrinho que está sem a mãe", afirmou Márcia.


Em nota, a Polícia Civil informou que as investigações ainda estão em andamento.

 

 

Mulher é assassinada pelo marido que simulou assalto.

O homem chegou a levar a mulher para o hospital. Médico desconfiou da versão dele e chamou a polícia.


 


Um homem de 44 anos foi preso em flagrante por feminicídio, na tarde desta quarta-feira (16), depois de confessar à polícia o assassinato da mulher dele, de 37 anos.


 


O crime foi no bairro Jaqueline, na Região Norte de Belo Horizonte.


 


A Polícia Militar (PM) informou que, antes de a mulher sair para trabalhar, na madrugada desta quarta, o casal teria brigado dentro de casa, por causa de ciúmes.


 


Dentro do carro, no trajeto para o local onde a mulher trabalhava, o suspeito parou o veículo e deu 11 facadas no corpo da companheira. Nove golpes foram no coração, segundo a corporação.


 


De acordo com a PM, a cuidadora de idosos Vanuza do Carmo dos Santos morreu na hora, mas o marido dela chegou a levar o corpo para o Hospital Risoleta Neves, no bairro Vila Clóris, na Região Norte de Belo Horizonte, alegando que ela teria sido vítima de um assalto.


 


 



Mulher é assassinada com nove facadas no peito pelo marido, em BH.


 


 


O médico desconfiou da versão do suspeito e acionou a polícia. A unidade de saúde confirmou que ela já chegou sem vida ao local.


 


"Ele alegou ao médico que, enquanto levava a mulher para o trabalho, dois homens teriam abordado o carro onde eles estavam e pediram o celular da esposa dele.


 


Com a negativa, os homens teriam golpeado a mulher com uma facada, mas o laudo médico mostrou que as facadas aconteceram de dentro do carro", contou o Tenente-Coronel Bruno de Assunção Coelho, comandante do 13º batalhão que atendeu a ocorrência.


PATROCINADORES

 


O homem foi levado para o Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil e, segundo a corporação, durante depoimento, ele confessou a autoria do crime.


 


 



Segundo PM a faca supostamente usada no crime foi encontrada em uma mata.


 


 


"Relacionamento conturbado"


 


Em conversa com o G1, a irmã da vítima, Márcia da Penha Lima Nunes, disse que o casamento da irmã era "conturbado".


 


"Ele sempre foi agressivo, já agrediu ela e o filho de 13 anos. Minha irmã queria separar, mas ele não aceitava. Eles moravam na mesma casa, mas não tinha vida de casado mais", disse a irmã.



Márcia ainda contou que, nesta última briga, antes do crime, o filho do casal disse que teve que se esconder debaixo da cama, com medo do pai e do que ele poderia fazer com a mãe.



"Meu sobrinho, desde muito novo, presenciava tudo. Ele já foi espancado por tentar defender a mãe. Tudo muito triste. Era uma 'prisão' que minha irmã não conseguia sair", lamentou.



A irmã de Vanuza disse que espera que a justiça seja feita para que a família consiga seguir a vida.


 


"Nossa família está dilacerada, Vanuza era a caçula de 10 irmãos. Muito trabalhadeira, fazia de tudo para colocar as coisas dentro de casa. Vaidosa demais, sempre muito bem arrumada. Estamos vivendo um pesadelo, mas agora é pensar no meu sobrinho que está sem a mãe", afirmou Márcia.



Em nota, a Polícia Civil informou que as investigações ainda estão em andamento.


 


 



Mulher é assassinada pelo marido que simulou assalto.


O homem chegou a levar a mulher para o hospital. Médico desconfiou da versão dele e chamou a polícia.



Um homem de 44 anos foi preso em flagrante por feminicídio, na tarde desta quarta-feira (16), depois de confessar à polícia o assassinato da mulher dele, de 37 anos.



O crime foi no bairro Jaqueline, na Região Norte de Belo Horizonte.



A Polícia Militar (PM) informou que, antes de a mulher sair para trabalhar, na madrugada desta quarta, o casal teria brigado dentro de casa, por causa de ciúmes.



Dentro do carro, no trajeto para o local onde a mulher trabalhava, o suspeito parou o veículo e deu 11 facadas no corpo da companheira. Nove golpes foram no coração, segundo a corporação.



De acordo com a PM, a cuidadora de idosos Vanuza do Carmo dos Santos morreu na hora, mas o marido dela chegou a levar o corpo para o Hospital Risoleta Neves, no bairro Vila Clóris, na Região Norte de Belo Horizonte, alegando que ela teria sido vítima de um assalto.





Mulher é assassinada com nove facadas no peito pelo marido, em BH.



PATROCINADORES

O médico desconfiou da versão do suspeito e acionou a polícia. A unidade de saúde confirmou que ela já chegou sem vida ao local.



"Ele alegou ao médico que, enquanto levava a mulher para o trabalho, dois homens teriam abordado o carro onde eles estavam e pediram o celular da esposa dele.



Com a negativa, os homens teriam golpeado a mulher com uma facada, mas o laudo médico mostrou que as facadas aconteceram de dentro do carro", contou o Tenente-Coronel Bruno de Assunção Coelho, comandante do 13º batalhão que atendeu a ocorrência.



O homem foi levado para o Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil e, segundo a corporação, durante depoimento, ele confessou a autoria do crime.





Segundo PM a faca supostamente usada no crime foi encontrada em uma mata.



PATROCINADORES

"Relacionamento conturbado"



Em conversa com o G1, a irmã da vítima, Márcia da Penha Lima Nunes, disse que o casamento da irmã era "conturbado".



"Ele sempre foi agressivo, já agrediu ela e o filho de 13 anos. Minha irmã queria separar, mas ele não aceitava. Eles moravam na mesma casa, mas não tinha vida de casado mais", disse a irmã.




Márcia ainda contou que, nesta última briga, antes do crime, o filho do casal disse que teve que se esconder debaixo da cama, com medo do pai e do que ele poderia fazer com a mãe.




"Meu sobrinho, desde muito novo, presenciava tudo. Ele já foi espancado por tentar defender a mãe. Tudo muito triste. Era uma 'prisão' que minha irmã não conseguia sair", lamentou.




A irmã de Vanuza disse que espera que a justiça seja feita para que a família consiga seguir a vida.



"Nossa família está dilacerada, Vanuza era a caçula de 10 irmãos. Muito trabalhadeira, fazia de tudo para colocar as coisas dentro de casa. Vaidosa demais, sempre muito bem arrumada. Estamos vivendo um pesadelo, mas agora é pensar no meu sobrinho que está sem a mãe", afirmou Márcia.




Em nota, a Polícia Civil informou que as investigações ainda estão em andamento.





Mulher é assassinada pelo marido que simulou assalto.



Veja Também