news:

Sul de Minas

Empresas de cidades sul-mineiras são alvo de operação da Receita Estadual

Publicado por TV Minas em 20/09/2020 às 13h22

foto_principal.jpg

Operação investiga empresas mineiras que teriam sonegado R$ 450 milhões em ICMS.

 

Durante essa semana a Receita Estadual de Minas Gerais realizou uma megaoperação para fiscalizar a situação de 61 empresas do estado, inclusive em cidades do Sul de Minas. Elas teriam sido abertas por "laranjas" para emitir notas fiscais e teriam sonegado R$ 450 milhões. 

 

A operação denominada "Noteira" investiga a sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). As empresas envolvidas emitiram entre 2019 e 2020 cerca de R$ 2,5 bilhões em notas fiscais falsas, somando R$ 450 milhões em sonegação.

 

A ação foi realizada simultaneamente em 38 cidades mineiras em empresas dos segmentos de metalurgia, transporte de cargas, calçados, pneus, alimentos e bebidas. As empresas irregulares terão suas inscrições canceladas. Além disso os envolvidos podem ser indiciados por falsidade ideológica e terão cobrado o imposto sonegado.

 

A operação Noteira aconteceu, além de Andradas e Ibitiúra de Minas, em Betim, Contagem, Juatuba, Mário Campos, Campos Altos, Patos de Minas, Santa Bárbara, Serro, Sete Lagoas, Bom Despacho, Perdigão, Perdões, Piumhi, Cabeceira Grande, Guarda-Mor, Paracatu, Unaí, Chapada Gaúcha, Manga, Montes Claros, Pirapora, Urucuia, Engenheiro Caldas, Nova Belém, São Sebastião do Anta, Bueno Brandão, Itajubá, Jacutinga, Lavras, Minduri, Pouso Alegre, Pratápolis, Varginha, Prata, Tupaciguara e Uberlândia.

Operação investiga empresas mineiras que teriam sonegado R$ 450 milhões em ICMS.


 


Durante essa semana a Receita Estadual de Minas Gerais realizou uma megaoperação para fiscalizar a situação de 61 empresas do estado, inclusive em cidades do Sul de Minas. Elas teriam sido abertas por "laranjas" para emitir notas fiscais e teriam sonegado R$ 450 milhões. 


 


PATROCINADORES

A operação denominada "Noteira" investiga a sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). As empresas envolvidas emitiram entre 2019 e 2020 cerca de R$ 2,5 bilhões em notas fiscais falsas, somando R$ 450 milhões em sonegação.


 


A ação foi realizada simultaneamente em 38 cidades mineiras em empresas dos segmentos de metalurgia, transporte de cargas, calçados, pneus, alimentos e bebidas. As empresas irregulares terão suas inscrições canceladas. Além disso os envolvidos podem ser indiciados por falsidade ideológica e terão cobrado o imposto sonegado.


 


A operação Noteira aconteceu, além de Andradas e Ibitiúra de Minas, em Betim, Contagem, Juatuba, Mário Campos, Campos Altos, Patos de Minas, Santa Bárbara, Serro, Sete Lagoas, Bom Despacho, Perdigão, Perdões, Piumhi, Cabeceira Grande, Guarda-Mor, Paracatu, Unaí, Chapada Gaúcha, Manga, Montes Claros, Pirapora, Urucuia, Engenheiro Caldas, Nova Belém, São Sebastião do Anta, Bueno Brandão, Itajubá, Jacutinga, Lavras, Minduri, Pouso Alegre, Pratápolis, Varginha, Prata, Tupaciguara e Uberlândia.


Operação investiga empresas mineiras que teriam sonegado R$ 450 milhões em ICMS.



Durante essa semana a Receita Estadual de Minas Gerais realizou uma megaoperação para fiscalizar a situação de 61 empresas do estado, inclusive em cidades do Sul de Minas. Elas teriam sido abertas por "laranjas" para emitir notas fiscais e teriam sonegado R$ 450 milhões. 



A operação denominada "Noteira" investiga a sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). As empresas envolvidas emitiram entre 2019 e 2020 cerca de R$ 2,5 bilhões em notas fiscais falsas, somando R$ 450 milhões em sonegação.



PATROCINADORES

A ação foi realizada simultaneamente em 38 cidades mineiras em empresas dos segmentos de metalurgia, transporte de cargas, calçados, pneus, alimentos e bebidas. As empresas irregulares terão suas inscrições canceladas. Além disso os envolvidos podem ser indiciados por falsidade ideológica e terão cobrado o imposto sonegado.



A operação Noteira aconteceu, além de Andradas e Ibitiúra de Minas, em Betim, Contagem, Juatuba, Mário Campos, Campos Altos, Patos de Minas, Santa Bárbara, Serro, Sete Lagoas, Bom Despacho, Perdigão, Perdões, Piumhi, Cabeceira Grande, Guarda-Mor, Paracatu, Unaí, Chapada Gaúcha, Manga, Montes Claros, Pirapora, Urucuia, Engenheiro Caldas, Nova Belém, São Sebastião do Anta, Bueno Brandão, Itajubá, Jacutinga, Lavras, Minduri, Pouso Alegre, Pratápolis, Varginha, Prata, Tupaciguara e Uberlândia.



Veja Também