news:

Esporte

Cruzeiro é derrotado pelo Avaí e pode terminar rodada no Z4 da Série B

Publicado por TV Minas em 26/09/2020 às 13h51

foto_principal.jpg

Time celeste acumulou a quinta derrota na Segunda Divisão.

 

O Cruzeiro empilha vexames em 2020. Nesta sexta-feira, o time de Ney Franco registrou mais um: acabou derrotado por 1 a 0 para o Avaí, em pleno Mineirão, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Os catarinenses, derrotados por 5 a 2 pelo Sampaio Corrêa na última rodada, se reabilitaram na competição nacional.

 

Já a Raposa vê sua situação na tabela ficar ainda mais crítica. Com oito pontos em 11 jogos, o time se mantém na 15ª posição, mas ainda poderá ser ultrapassado até o fim da rodada por CSA, Guarani e Oeste. 

 

O próximo adversário será a Ponte Preta, em novo duelo no Mineirão. O compromisso está marcado para quarta-feira, às 19h15. O Avaí, por sua vez, tem pela frente o clássico diante do Figueirense, na terça, às 19h15, na Ressacada, em Florianópolis.

 

Embora tenha tido mais uma semana livre para treinamentos na Toca da Raposa II, o Cruzeiro não mostrou qualquer evolução nos 45 minutos iniciais do jogo contra o Avaí. O enredo foi muito parecido com o de compromissos anteriores: domínio de posse de bola (65%), quase o dobro de passes trocados em relação ao adversário (202 a 104), finalizações de média distância, mas nenhuma infiltração e nada de chances claras de gols.

 

A principal oportunidade foi de Manoel. Aos 44’, após cobrança de falta de Filipe Machado, o zagueiro fintou o marcador com o corpo e ficou livre para tentar o gol de cabeça. A bola raspou a trave esquerda do goleiro Lucas Frigeri e saiu pela linha de fundo. Antes, o Cruzeiro já havia tentado em jogadas de bola parada aos 24’ e aos 26’, mas nada de balançar a rede. 

 

Mesmo com o futebol pobre da etapa inicial, Ney Franco optou por retornar ao tempo final com a mesma formação. Aos 7’, porém, ele mudou de ideia. Marquinhos Gabriel substituiu Maurício, enquanto Régis entrou na vaga de Airton. 

 

Mas foi com Arthur Caíke que o Cruzeiro quase abriu o placar. Aos 16’, Daniel Guedes cruzou da direita e o atacante cabeceou com perigo. Ele acabou se chocando com a trave e precisou ser substituído por Thiago. A equipe celeste cobrou a marcação de um pênalti na jogada, mas o árbitro Alexandre Tavares mandou seguir. 

 

Sem conseguir assustar com frequência o Avaí, o Cruzeiro ainda abriu espaços para o adversário. Desta forma, acabou sofrendo o gol. Aos 33', Pedro Castro apareceu nas costas de Matheus Pereira e recebeu de Getúlio, que se livrou facilmente de Cacá. O meia-atacante finalizou no lado direito do gol de Fábio. 1 a 0. A ansiedade da Raposa ganhou contornos de desespero, e o jogo caminhou para o fim sem novas alterações no placar.

Time celeste acumulou a quinta derrota na Segunda Divisão.


 


O Cruzeiro empilha vexames em 2020. Nesta sexta-feira, o time de Ney Franco registrou mais um: acabou derrotado por 1 a 0 para o Avaí, em pleno Mineirão, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Os catarinenses, derrotados por 5 a 2 pelo Sampaio Corrêa na última rodada, se reabilitaram na competição nacional.


 


Já a Raposa vê sua situação na tabela ficar ainda mais crítica. Com oito pontos em 11 jogos, o time se mantém na 15ª posição, mas ainda poderá ser ultrapassado até o fim da rodada por CSA, Guarani e Oeste. 


 


O próximo adversário será a Ponte Preta, em novo duelo no Mineirão. O compromisso está marcado para quarta-feira, às 19h15. O Avaí, por sua vez, tem pela frente o clássico diante do Figueirense, na terça, às 19h15, na Ressacada, em Florianópolis.


 


PATROCINADORES

Embora tenha tido mais uma semana livre para treinamentos na Toca da Raposa II, o Cruzeiro não mostrou qualquer evolução nos 45 minutos iniciais do jogo contra o Avaí. O enredo foi muito parecido com o de compromissos anteriores: domínio de posse de bola (65%), quase o dobro de passes trocados em relação ao adversário (202 a 104), finalizações de média distância, mas nenhuma infiltração e nada de chances claras de gols.


 


A principal oportunidade foi de Manoel. Aos 44’, após cobrança de falta de Filipe Machado, o zagueiro fintou o marcador com o corpo e ficou livre para tentar o gol de cabeça. A bola raspou a trave esquerda do goleiro Lucas Frigeri e saiu pela linha de fundo. Antes, o Cruzeiro já havia tentado em jogadas de bola parada aos 24’ e aos 26’, mas nada de balançar a rede. 


 


Mesmo com o futebol pobre da etapa inicial, Ney Franco optou por retornar ao tempo final com a mesma formação. Aos 7’, porém, ele mudou de ideia. Marquinhos Gabriel substituiu Maurício, enquanto Régis entrou na vaga de Airton. 


 


Mas foi com Arthur Caíke que o Cruzeiro quase abriu o placar. Aos 16’, Daniel Guedes cruzou da direita e o atacante cabeceou com perigo. Ele acabou se chocando com a trave e precisou ser substituído por Thiago. A equipe celeste cobrou a marcação de um pênalti na jogada, mas o árbitro Alexandre Tavares mandou seguir. 


 


Sem conseguir assustar com frequência o Avaí, o Cruzeiro ainda abriu espaços para o adversário. Desta forma, acabou sofrendo o gol. Aos 33', Pedro Castro apareceu nas costas de Matheus Pereira e recebeu de Getúlio, que se livrou facilmente de Cacá. O meia-atacante finalizou no lado direito do gol de Fábio. 1 a 0. A ansiedade da Raposa ganhou contornos de desespero, e o jogo caminhou para o fim sem novas alterações no placar.


Time celeste acumulou a quinta derrota na Segunda Divisão.



O Cruzeiro empilha vexames em 2020. Nesta sexta-feira, o time de Ney Franco registrou mais um: acabou derrotado por 1 a 0 para o Avaí, em pleno Mineirão, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Os catarinenses, derrotados por 5 a 2 pelo Sampaio Corrêa na última rodada, se reabilitaram na competição nacional.



Já a Raposa vê sua situação na tabela ficar ainda mais crítica. Com oito pontos em 11 jogos, o time se mantém na 15ª posição, mas ainda poderá ser ultrapassado até o fim da rodada por CSA, Guarani e Oeste. 



PATROCINADORES

O próximo adversário será a Ponte Preta, em novo duelo no Mineirão. O compromisso está marcado para quarta-feira, às 19h15. O Avaí, por sua vez, tem pela frente o clássico diante do Figueirense, na terça, às 19h15, na Ressacada, em Florianópolis.



Embora tenha tido mais uma semana livre para treinamentos na Toca da Raposa II, o Cruzeiro não mostrou qualquer evolução nos 45 minutos iniciais do jogo contra o Avaí. O enredo foi muito parecido com o de compromissos anteriores: domínio de posse de bola (65%), quase o dobro de passes trocados em relação ao adversário (202 a 104), finalizações de média distância, mas nenhuma infiltração e nada de chances claras de gols.



PATROCINADORES

A principal oportunidade foi de Manoel. Aos 44’, após cobrança de falta de Filipe Machado, o zagueiro fintou o marcador com o corpo e ficou livre para tentar o gol de cabeça. A bola raspou a trave esquerda do goleiro Lucas Frigeri e saiu pela linha de fundo. Antes, o Cruzeiro já havia tentado em jogadas de bola parada aos 24’ e aos 26’, mas nada de balançar a rede. 



Mesmo com o futebol pobre da etapa inicial, Ney Franco optou por retornar ao tempo final com a mesma formação. Aos 7’, porém, ele mudou de ideia. Marquinhos Gabriel substituiu Maurício, enquanto Régis entrou na vaga de Airton. 



Mas foi com Arthur Caíke que o Cruzeiro quase abriu o placar. Aos 16’, Daniel Guedes cruzou da direita e o atacante cabeceou com perigo. Ele acabou se chocando com a trave e precisou ser substituído por Thiago. A equipe celeste cobrou a marcação de um pênalti na jogada, mas o árbitro Alexandre Tavares mandou seguir. 



Sem conseguir assustar com frequência o Avaí, o Cruzeiro ainda abriu espaços para o adversário. Desta forma, acabou sofrendo o gol. Aos 33', Pedro Castro apareceu nas costas de Matheus Pereira e recebeu de Getúlio, que se livrou facilmente de Cacá. O meia-atacante finalizou no lado direito do gol de Fábio. 1 a 0. A ansiedade da Raposa ganhou contornos de desespero, e o jogo caminhou para o fim sem novas alterações no placar.



Veja Também