news:

Notícias

Pai tenta matar a filha de 3 anos dentro de hotel em Minas Gerais

Publicado por TV Minas em 05/10/2020 às 16h04 - Atualizado às 13h05

foto_principal.jpg

Segundo a polícia, homem deu remédios para a criança, tentou enforcá-la e se enforcar em seguida. Pais são separados e ela estava sob responsabilidade dele nesse fim de semana.

 

Um homem de 34 anos que viajou do Paraná para Minas Gerais no fim de semana tentou matar a filha de 3 anos e se matar em seguida em um quarto de hotel de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime foi evitado por hóspedes e funcionários que perceberam a ação violenta no cômodo e chamaram a Polícia Militar (PM) na madrugada desta segunda-feira. 

 

O hotel fica no centro de Contagem. A Polícia Militar contou que foi acionada por volta das 2h. Quando eles entraram no quarto, o homem estava sentado no chão abraçado com a menina e chegou a pedir calma para que ela não começasse a chorar. Os policiais viram que a criança tinha hematomas no pescoço e estava com os olhos inchados. Eles a tiraram dos braços do homem e prestaram socorro. Em determinado momento, o criminoso tentou tomar a arma de um dos militares, mas foi contido e algemado. 

 

O homem contou que mora em São José dos Pinhais (PR) e que aproveitou que tinha direito de ficar com a criança entre os dias 3 e 5 de outubro para leva-la a Contagem, onde morou por muitos anos e tem família. De acordo com a PM, ele disse que, inicialmente, não tinha a intenção de fazer mal à filha, mas cogitava o suicídio. Após se hospedar no hotel, ele ingeriu bebida alcoólica e deu remédios para a criança. Na sequência, ele usou uma barra de exercícios portátil e cordas para tentar se enforcar com a criança, mas acha que perdeu a consciência, porque acordou no chão com a polícia e outras pessoas no quarto. 

 

Ainda segundo a polícia, o homem ressaltou que não houve abuso sexual e que não falaria mais nada, pois tinha detalhado tudo em uma agenda que foi apreendida pela PM, e que a partir dali só se pronunciaria em juízo. De acordo com o boletim de ocorrência, o caderno tem bilhetes de despedida e anotações dos atos que seriam executados, mas o registro policial não fala da motivação para o crime. 

 

 

Hóspedes assustados

 

Uma testemunha contou aos militares que estava no quarto ao lado quando ouviu objetos sendo arremessados nas paredes e no chão. Essa pessoa também ouviu a menina dizer “papai, está doendo”. A testemunha saiu no corredor e começou a pedir socorro, atraindo a atenção de outros hóspedes e funcionários. 

 

As pessoas bateram na porta, mas o homem não abria. Eles também perceberam que alguém estava com a boca sendo coberta para não conseguir falar. Ainda segundo a polícia, as testemunhas ouviram o homem falar que iria dopar a filha, enforcá-la e se enforcar em seguida. 

 

Também consta no boletim de ocorrência que a recepcionista recebeu ligações de hóspedes falando sobre a criança chorando no quarto. Ela também não foi atendida ao bater na porta, mas pegou a chave reserva e entrou no quarto. Lá, ela viu o homem e a criança no chão do banheiro e as cordas. A menina estava andando em volta do pai, que dizia ser um “monstro” e que “tinha feito mal a ela”. Nesse momento, a PM foi acionada. 

 

Além da agenda, a PM apreendeu duas cordas com laços para o enforcamento, uma garrafa de vinho meio vazia, dois rolos de fita, uma faca, a barra de exercícios e vários medicamentos espalhados. Essa barra teria caído quando o homem se pendurou com a criança. 

 

A criança foi socorrida no Hospital Municipal de Contagem, onde ficou sob responsabilidade do tio, irmão do criminoso. O Conselho Tutelar de Contagem foi chamado para acompanhar a ocorrência. A PM entrou em contato com os avós maternos da menina, que confirmaram que a guarda dela é compartilhada entre os pais, e que o homem deveria entregar a criança hoje. A ocorrência foi registrada como tentativa de homicídio e o homem foi levado à Delegacia de Plantão de Contagem. 

Segundo a polícia, homem deu remédios para a criança, tentou enforcá-la e se enforcar em seguida. Pais são separados e ela estava sob responsabilidade dele nesse fim de semana.


 


Um homem de 34 anos que viajou do Paraná para Minas Gerais no fim de semana tentou matar a filha de 3 anos e se matar em seguida em um quarto de hotel de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime foi evitado por hóspedes e funcionários que perceberam a ação violenta no cômodo e chamaram a Polícia Militar (PM) na madrugada desta segunda-feira. 


 


O hotel fica no centro de Contagem. A Polícia Militar contou que foi acionada por volta das 2h. Quando eles entraram no quarto, o homem estava sentado no chão abraçado com a menina e chegou a pedir calma para que ela não começasse a chorar. Os policiais viram que a criança tinha hematomas no pescoço e estava com os olhos inchados. Eles a tiraram dos braços do homem e prestaram socorro. Em determinado momento, o criminoso tentou tomar a arma de um dos militares, mas foi contido e algemado. 


 


O homem contou que mora em São José dos Pinhais (PR) e que aproveitou que tinha direito de ficar com a criança entre os dias 3 e 5 de outubro para leva-la a Contagem, onde morou por muitos anos e tem família. De acordo com a PM, ele disse que, inicialmente, não tinha a intenção de fazer mal à filha, mas cogitava o suicídio. Após se hospedar no hotel, ele ingeriu bebida alcoólica e deu remédios para a criança. Na sequência, ele usou uma barra de exercícios portátil e cordas para tentar se enforcar com a criança, mas acha que perdeu a consciência, porque acordou no chão com a polícia e outras pessoas no quarto. 


 


Ainda segundo a polícia, o homem ressaltou que não houve abuso sexual e que não falaria mais nada, pois tinha detalhado tudo em uma agenda que foi apreendida pela PM, e que a partir dali só se pronunciaria em juízo. De acordo com o boletim de ocorrência, o caderno tem bilhetes de despedida e anotações dos atos que seriam executados, mas o registro policial não fala da motivação para o crime. 


 


 


PATROCINADORES

Hóspedes assustados


 


Uma testemunha contou aos militares que estava no quarto ao lado quando ouviu objetos sendo arremessados nas paredes e no chão. Essa pessoa também ouviu a menina dizer “papai, está doendo”. A testemunha saiu no corredor e começou a pedir socorro, atraindo a atenção de outros hóspedes e funcionários. 


 


As pessoas bateram na porta, mas o homem não abria. Eles também perceberam que alguém estava com a boca sendo coberta para não conseguir falar. Ainda segundo a polícia, as testemunhas ouviram o homem falar que iria dopar a filha, enforcá-la e se enforcar em seguida. 


 


Também consta no boletim de ocorrência que a recepcionista recebeu ligações de hóspedes falando sobre a criança chorando no quarto. Ela também não foi atendida ao bater na porta, mas pegou a chave reserva e entrou no quarto. Lá, ela viu o homem e a criança no chão do banheiro e as cordas. A menina estava andando em volta do pai, que dizia ser um “monstro” e que “tinha feito mal a ela”. Nesse momento, a PM foi acionada. 


 


Além da agenda, a PM apreendeu duas cordas com laços para o enforcamento, uma garrafa de vinho meio vazia, dois rolos de fita, uma faca, a barra de exercícios e vários medicamentos espalhados. Essa barra teria caído quando o homem se pendurou com a criança. 


 


A criança foi socorrida no Hospital Municipal de Contagem, onde ficou sob responsabilidade do tio, irmão do criminoso. O Conselho Tutelar de Contagem foi chamado para acompanhar a ocorrência. A PM entrou em contato com os avós maternos da menina, que confirmaram que a guarda dela é compartilhada entre os pais, e que o homem deveria entregar a criança hoje. A ocorrência foi registrada como tentativa de homicídio e o homem foi levado à Delegacia de Plantão de Contagem. 


Segundo a polícia, homem deu remédios para a criança, tentou enforcá-la e se enforcar em seguida. Pais são separados e ela estava sob responsabilidade dele nesse fim de semana.



Um homem de 34 anos que viajou do Paraná para Minas Gerais no fim de semana tentou matar a filha de 3 anos e se matar em seguida em um quarto de hotel de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime foi evitado por hóspedes e funcionários que perceberam a ação violenta no cômodo e chamaram a Polícia Militar (PM) na madrugada desta segunda-feira. 



O hotel fica no centro de Contagem. A Polícia Militar contou que foi acionada por volta das 2h. Quando eles entraram no quarto, o homem estava sentado no chão abraçado com a menina e chegou a pedir calma para que ela não começasse a chorar. Os policiais viram que a criança tinha hematomas no pescoço e estava com os olhos inchados. Eles a tiraram dos braços do homem e prestaram socorro. Em determinado momento, o criminoso tentou tomar a arma de um dos militares, mas foi contido e algemado. 



O homem contou que mora em São José dos Pinhais (PR) e que aproveitou que tinha direito de ficar com a criança entre os dias 3 e 5 de outubro para leva-la a Contagem, onde morou por muitos anos e tem família. De acordo com a PM, ele disse que, inicialmente, não tinha a intenção de fazer mal à filha, mas cogitava o suicídio. Após se hospedar no hotel, ele ingeriu bebida alcoólica e deu remédios para a criança. Na sequência, ele usou uma barra de exercícios portátil e cordas para tentar se enforcar com a criança, mas acha que perdeu a consciência, porque acordou no chão com a polícia e outras pessoas no quarto. 



PATROCINADORES

Ainda segundo a polícia, o homem ressaltou que não houve abuso sexual e que não falaria mais nada, pois tinha detalhado tudo em uma agenda que foi apreendida pela PM, e que a partir dali só se pronunciaria em juízo. De acordo com o boletim de ocorrência, o caderno tem bilhetes de despedida e anotações dos atos que seriam executados, mas o registro policial não fala da motivação para o crime. 



Hóspedes assustados



Uma testemunha contou aos militares que estava no quarto ao lado quando ouviu objetos sendo arremessados nas paredes e no chão. Essa pessoa também ouviu a menina dizer “papai, está doendo”. A testemunha saiu no corredor e começou a pedir socorro, atraindo a atenção de outros hóspedes e funcionários. 



PATROCINADORES

As pessoas bateram na porta, mas o homem não abria. Eles também perceberam que alguém estava com a boca sendo coberta para não conseguir falar. Ainda segundo a polícia, as testemunhas ouviram o homem falar que iria dopar a filha, enforcá-la e se enforcar em seguida. 



Também consta no boletim de ocorrência que a recepcionista recebeu ligações de hóspedes falando sobre a criança chorando no quarto. Ela também não foi atendida ao bater na porta, mas pegou a chave reserva e entrou no quarto. Lá, ela viu o homem e a criança no chão do banheiro e as cordas. A menina estava andando em volta do pai, que dizia ser um “monstro” e que “tinha feito mal a ela”. Nesse momento, a PM foi acionada. 



Além da agenda, a PM apreendeu duas cordas com laços para o enforcamento, uma garrafa de vinho meio vazia, dois rolos de fita, uma faca, a barra de exercícios e vários medicamentos espalhados. Essa barra teria caído quando o homem se pendurou com a criança. 



A criança foi socorrida no Hospital Municipal de Contagem, onde ficou sob responsabilidade do tio, irmão do criminoso. O Conselho Tutelar de Contagem foi chamado para acompanhar a ocorrência. A PM entrou em contato com os avós maternos da menina, que confirmaram que a guarda dela é compartilhada entre os pais, e que o homem deveria entregar a criança hoje. A ocorrência foi registrada como tentativa de homicídio e o homem foi levado à Delegacia de Plantão de Contagem. 



Veja Também