news:

Notícias

Senador flagrado com dinheiro na cueca pede licença do cargo

Publicado por TV Minas em 20/10/2020 às 14h46 - Atualizado às 11h58

foto_principal.jpg

Pedido do parlamentar coincide com o prazo estipulado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na última quinta.

 

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal (PF) na última semana com mais de R$ 30 mil na cueca, encaminhou ao Senado Federal na manhã desta terça-feira, 20, um pedido de afastamento de 90 dias. A informação foi confirmada à Jovem Pan pela assessoria do senador, que afirmou que a decisão é “irrevogável, irretratável e sem recebimento de salários no período”.

 

O pedido de Chico Rodrigues coincide com o prazo estipulado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na última quinta. O julgamento sobre o afastamento do senador seria realizado nesta quarta-feira, 21, no STF.

 

Com a licença de 90 dias entregue pelo parlamentar, o STF não tem mais motivo para manter o julgamento da liminar. O primeiro suplente do senador é o seu filho, Pedro Arthur, que não deve assumir a cadeira do pai. Pela Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma política de 2017, o prazo mínimo para o suplente assumir a vaga é de 120 dias.

Pedido do parlamentar coincide com o prazo estipulado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na última quinta.


 


O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal (PF) na última semana com mais de R$ 30 mil na cueca, encaminhou ao Senado Federal na manhã desta terça-feira, 20, um pedido de afastamento de 90 dias. A informação foi confirmada à Jovem Pan pela assessoria do senador, que afirmou que a decisão é “irrevogável, irretratável e sem recebimento de salários no período”.


PATROCINADORES

 


O pedido de Chico Rodrigues coincide com o prazo estipulado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na última quinta. O julgamento sobre o afastamento do senador seria realizado nesta quarta-feira, 21, no STF.


 


Com a licença de 90 dias entregue pelo parlamentar, o STF não tem mais motivo para manter o julgamento da liminar. O primeiro suplente do senador é o seu filho, Pedro Arthur, que não deve assumir a cadeira do pai. Pela Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma política de 2017, o prazo mínimo para o suplente assumir a vaga é de 120 dias.


Pedido do parlamentar coincide com o prazo estipulado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na última quinta.



O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal (PF) na última semana com mais de R$ 30 mil na cueca, encaminhou ao Senado Federal na manhã desta terça-feira, 20, um pedido de afastamento de 90 dias. A informação foi confirmada à Jovem Pan pela assessoria do senador, que afirmou que a decisão é “irrevogável, irretratável e sem recebimento de salários no período”.



O pedido de Chico Rodrigues coincide com o prazo estipulado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na última quinta. O julgamento sobre o afastamento do senador seria realizado nesta quarta-feira, 21, no STF.



PATROCINADORES

Com a licença de 90 dias entregue pelo parlamentar, o STF não tem mais motivo para manter o julgamento da liminar. O primeiro suplente do senador é o seu filho, Pedro Arthur, que não deve assumir a cadeira do pai. Pela Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da reforma política de 2017, o prazo mínimo para o suplente assumir a vaga é de 120 dias.



Veja Também