news:

Notícias

Criança de 6 anos morre em hospital de Minas e mãe é suspeita de maus-tratos

Publicado por TV Minas em 20/10/2020 às 19h13

foto_principal.jpg

Menino foi internado em estado gravíssimo no Hospital das Clínicas e morreu logo em seguida.

 

Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) para apurar a morte de uma criança de apenas 6 anos, internada em estado gravíssimo no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) nesse domingo (18).

 

A mãe, uma mulher de 35 anos, é suspeita de cometer maus-tratos contra a criança que chegou à unidade de saúde extremamente magro, com hematoma na perna de direita e dificuldade para respirar, o que obrigou a equipe médica a entubá-lo.

 

Apesar de ter recebido cuidados, o menino não resistiu e morreu. A mãe dele foi ouvida na delegacia de plantão e negou ter cometido crime, mas, de acordo com a Polícia Militar, ela tem histórico de agressões e maus-tratos contra os filhos.

 

A Polícia Militar de Uberaba foi acionada no domingo (18) pela médica responsável pelo tratamento da criança, que denunciou o fato do menino ter dado entrada na unidade com sinais de maus-tratos.

 

Ela esclareceu à PM que a mãe foi embora do hospital após o menino ter recebido atendimento médico e não prestou quaisquer esclarecimentos sobre a situação dele.

 

Como acompanhante da criança ficou apenas o pai, que não é casado com a mulher de 35 anos. Ele contou à polícia que não via a criança há cerca de dez dias e também não tinha notícias do paradeiro da ex-companheira.

 

O pai também declarou ter recebido no domingo uma mensagem da mãe da criança pelo Facebook dizendo que o filho estava internado no hospital, ela escreveu: “vem pra cá, porque ele está em estado grave”.

 

Após receber o alerta, ele correu até a unidade de saúde e chegando lá encontrou a mulher. Segundo o histórico da ocorrência, ela teria dito a ele que não conseguiria suportar aquela situação, e, por isso, iria embora.

 

A ele, a mãe do menino teria dito apenas que ele se machucou após cair durante uma brincadeira em um pula-pula.

 

Apuração no sistema interno da polícia indicou que a suspeita tem histórico de agressões e maus-tratos contra os filhos – entretanto, não se sabe ainda, quantos outros filhos ela têm além do menino que perdeu a vida no domingo.

 

Questionada, a Polícia Civil declarou que um inquérito foi aberto para apurar os fatos, e que, na delegacia, a mãe negou ter cometido crime.

 

O laudo pericial feito na criança será concluído no próximo mês, e a investigação segue na Delegacia de Proteção e Orientação à Família de Uberaba.

Menino foi internado em estado gravíssimo no Hospital das Clínicas e morreu logo em seguida.


 


Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) para apurar a morte de uma criança de apenas 6 anos, internada em estado gravíssimo no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) nesse domingo (18).


 


A mãe, uma mulher de 35 anos, é suspeita de cometer maus-tratos contra a criança que chegou à unidade de saúde extremamente magro, com hematoma na perna de direita e dificuldade para respirar, o que obrigou a equipe médica a entubá-lo.


 


Apesar de ter recebido cuidados, o menino não resistiu e morreu. A mãe dele foi ouvida na delegacia de plantão e negou ter cometido crime, mas, de acordo com a Polícia Militar, ela tem histórico de agressões e maus-tratos contra os filhos.


 


A Polícia Militar de Uberaba foi acionada no domingo (18) pela médica responsável pelo tratamento da criança, que denunciou o fato do menino ter dado entrada na unidade com sinais de maus-tratos.


 


Ela esclareceu à PM que a mãe foi embora do hospital após o menino ter recebido atendimento médico e não prestou quaisquer esclarecimentos sobre a situação dele.


 


PATROCINADORES

Como acompanhante da criança ficou apenas o pai, que não é casado com a mulher de 35 anos. Ele contou à polícia que não via a criança há cerca de dez dias e também não tinha notícias do paradeiro da ex-companheira.


 


O pai também declarou ter recebido no domingo uma mensagem da mãe da criança pelo Facebook dizendo que o filho estava internado no hospital, ela escreveu: “vem pra cá, porque ele está em estado grave”.


 


Após receber o alerta, ele correu até a unidade de saúde e chegando lá encontrou a mulher. Segundo o histórico da ocorrência, ela teria dito a ele que não conseguiria suportar aquela situação, e, por isso, iria embora.


 


A ele, a mãe do menino teria dito apenas que ele se machucou após cair durante uma brincadeira em um pula-pula.


 


Apuração no sistema interno da polícia indicou que a suspeita tem histórico de agressões e maus-tratos contra os filhos – entretanto, não se sabe ainda, quantos outros filhos ela têm além do menino que perdeu a vida no domingo.


 


Questionada, a Polícia Civil declarou que um inquérito foi aberto para apurar os fatos, e que, na delegacia, a mãe negou ter cometido crime.


 


O laudo pericial feito na criança será concluído no próximo mês, e a investigação segue na Delegacia de Proteção e Orientação à Família de Uberaba.


Menino foi internado em estado gravíssimo no Hospital das Clínicas e morreu logo em seguida.



Um inquérito foi instaurado pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) para apurar a morte de uma criança de apenas 6 anos, internada em estado gravíssimo no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) nesse domingo (18).



A mãe, uma mulher de 35 anos, é suspeita de cometer maus-tratos contra a criança que chegou à unidade de saúde extremamente magro, com hematoma na perna de direita e dificuldade para respirar, o que obrigou a equipe médica a entubá-lo.



Apesar de ter recebido cuidados, o menino não resistiu e morreu. A mãe dele foi ouvida na delegacia de plantão e negou ter cometido crime, mas, de acordo com a Polícia Militar, ela tem histórico de agressões e maus-tratos contra os filhos.



PATROCINADORES

A Polícia Militar de Uberaba foi acionada no domingo (18) pela médica responsável pelo tratamento da criança, que denunciou o fato do menino ter dado entrada na unidade com sinais de maus-tratos.



Ela esclareceu à PM que a mãe foi embora do hospital após o menino ter recebido atendimento médico e não prestou quaisquer esclarecimentos sobre a situação dele.



Como acompanhante da criança ficou apenas o pai, que não é casado com a mulher de 35 anos. Ele contou à polícia que não via a criança há cerca de dez dias e também não tinha notícias do paradeiro da ex-companheira.



O pai também declarou ter recebido no domingo uma mensagem da mãe da criança pelo Facebook dizendo que o filho estava internado no hospital, ela escreveu: “vem pra cá, porque ele está em estado grave”.



PATROCINADORES

Após receber o alerta, ele correu até a unidade de saúde e chegando lá encontrou a mulher. Segundo o histórico da ocorrência, ela teria dito a ele que não conseguiria suportar aquela situação, e, por isso, iria embora.



A ele, a mãe do menino teria dito apenas que ele se machucou após cair durante uma brincadeira em um pula-pula.



Apuração no sistema interno da polícia indicou que a suspeita tem histórico de agressões e maus-tratos contra os filhos – entretanto, não se sabe ainda, quantos outros filhos ela têm além do menino que perdeu a vida no domingo.



Questionada, a Polícia Civil declarou que um inquérito foi aberto para apurar os fatos, e que, na delegacia, a mãe negou ter cometido crime.



O laudo pericial feito na criança será concluído no próximo mês, e a investigação segue na Delegacia de Proteção e Orientação à Família de Uberaba.



Veja Também