news:

Sul de Minas

Dupla que enterrou cachorro vivo no Sul de Minas vai responder na justiça

Publicado por TV Minas em 23/10/2020 às 13h19

foto_principal.jpg

A Polícia Civil concluiu investigação e indiciou a dupla que foi responsável pela tortura e morte do cão "Marley".

 

Um cão foi encontrado enterrado vivo, no dia 11 de agosto, em Lavras, Sul de Minas, com um olho furado e com traumatismo craniano, depois de sofrer maus-tratos. Na época ele foi encontrado sem forças e chorando com dor intensa.

 

O animal foi levado para a Clínica Veterinária Univet, na avenida Pedro Salles e deu entrada com um quadro de hipotermia, traumatismo craniano, com um dos olhos estourados e diversos ferimentos pelo corpo, devido a pauladas que recebeu.

 

Uma pista levou uma pessoa que se identifica com a causa a descobrir o nome do cachorro: "Marley". Ele estava com os pulsos raspados, sinal de que havia sido tratado recentemente em alguma clínica veterinária.

 

Então, a pessoa conseguiu descobrir onde ele foi internado e, na clínica, ela descobriu que o proprietário de Marley recebeu o diagnóstico de que o cão estava com cinomose, uma doença grave mas que tem cura. A situação em que Marley foi encontrado, dá a entender que seu dono preferiu matá-lo usando os métodos mais cruéis possíveis. Infelizmente Marley não resistiu a tanto sofrimento e morreu no dia seguinte.

 

Em seu post, a protetora Daiana Garcia desabafou e disse: eu estou fazendo tudo o que posso para o criminoso ser punido. Já estamos desde cedo assistindo às imagens das câmeras e a polícia já foi acionada. Também já solicitei apoio do deputado Noraldino Júnior que vai nos ajudar com a investigação da Policia Civil".

 

Nessa quinta-feira, dia 22, passados pouco mais de dois meses, a Polícia Civil concluiu as investigações e concluiu que os autores, tanto o dono do animal quanto o contratado por ele para executar o cachorro, responderão na forma da lei, podendo, se condenados, pagar multas e cumprir pena na prisão.

A Polícia Civil concluiu investigação e indiciou a dupla que foi responsável pela tortura e morte do cão "Marley".


 


Um cão foi encontrado enterrado vivo, no dia 11 de agosto, em Lavras, Sul de Minas, com um olho furado e com traumatismo craniano, depois de sofrer maus-tratos. Na época ele foi encontrado sem forças e chorando com dor intensa.


 


O animal foi levado para a Clínica Veterinária Univet, na avenida Pedro Salles e deu entrada com um quadro de hipotermia, traumatismo craniano, com um dos olhos estourados e diversos ferimentos pelo corpo, devido a pauladas que recebeu.


 


PATROCINADORES

Uma pista levou uma pessoa que se identifica com a causa a descobrir o nome do cachorro: "Marley". Ele estava com os pulsos raspados, sinal de que havia sido tratado recentemente em alguma clínica veterinária.


 


Então, a pessoa conseguiu descobrir onde ele foi internado e, na clínica, ela descobriu que o proprietário de Marley recebeu o diagnóstico de que o cão estava com cinomose, uma doença grave mas que tem cura. A situação em que Marley foi encontrado, dá a entender que seu dono preferiu matá-lo usando os métodos mais cruéis possíveis. Infelizmente Marley não resistiu a tanto sofrimento e morreu no dia seguinte.


 


Em seu post, a protetora Daiana Garcia desabafou e disse: eu estou fazendo tudo o que posso para o criminoso ser punido. Já estamos desde cedo assistindo às imagens das câmeras e a polícia já foi acionada. Também já solicitei apoio do deputado Noraldino Júnior que vai nos ajudar com a investigação da Policia Civil".


 


Nessa quinta-feira, dia 22, passados pouco mais de dois meses, a Polícia Civil concluiu as investigações e concluiu que os autores, tanto o dono do animal quanto o contratado por ele para executar o cachorro, responderão na forma da lei, podendo, se condenados, pagar multas e cumprir pena na prisão.


A Polícia Civil concluiu investigação e indiciou a dupla que foi responsável pela tortura e morte do cão "Marley".



Um cão foi encontrado enterrado vivo, no dia 11 de agosto, em Lavras, Sul de Minas, com um olho furado e com traumatismo craniano, depois de sofrer maus-tratos. Na época ele foi encontrado sem forças e chorando com dor intensa.



O animal foi levado para a Clínica Veterinária Univet, na avenida Pedro Salles e deu entrada com um quadro de hipotermia, traumatismo craniano, com um dos olhos estourados e diversos ferimentos pelo corpo, devido a pauladas que recebeu.



PATROCINADORES

Uma pista levou uma pessoa que se identifica com a causa a descobrir o nome do cachorro: "Marley". Ele estava com os pulsos raspados, sinal de que havia sido tratado recentemente em alguma clínica veterinária.



Então, a pessoa conseguiu descobrir onde ele foi internado e, na clínica, ela descobriu que o proprietário de Marley recebeu o diagnóstico de que o cão estava com cinomose, uma doença grave mas que tem cura. A situação em que Marley foi encontrado, dá a entender que seu dono preferiu matá-lo usando os métodos mais cruéis possíveis. Infelizmente Marley não resistiu a tanto sofrimento e morreu no dia seguinte.



Em seu post, a protetora Daiana Garcia desabafou e disse: eu estou fazendo tudo o que posso para o criminoso ser punido. Já estamos desde cedo assistindo às imagens das câmeras e a polícia já foi acionada. Também já solicitei apoio do deputado Noraldino Júnior que vai nos ajudar com a investigação da Policia Civil".



Nessa quinta-feira, dia 22, passados pouco mais de dois meses, a Polícia Civil concluiu as investigações e concluiu que os autores, tanto o dono do animal quanto o contratado por ele para executar o cachorro, responderão na forma da lei, podendo, se condenados, pagar multas e cumprir pena na prisão.



Veja Também