news:

Notícias

Argentina reabre aeroportos para turistas brasileiros em novembro

Publicado por TV Minas em 25/10/2020 às 15h07

foto_principal.jpg

Medida atinge também viajantes residentes em Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia. Governo argentino aposta na desvalorização do peso para atrair visitantes.

 

Mergulhada em uma profunda crise econômica, a Argentina vai voltar a receber turistas brasileiros a partir do dia 2 de novembro.

 

A medida, confirmada neste sábado pelo ministro do Turismo do país, Matías Lammens, ao jornal La Nación inclui ainda viajantes de Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia.

 

A um par de meses do início da temporada de verão, a aposta está em reativar o turismo, um dos setores da economia mais afetados pela pandemia do coronavírus.

 

A estimativa é que, entre novembro e dezembro, ao menos 50 mil brasileiros cheguem à Argentina, registrando volume pouco menor de uruguaios e chilenos.

 

O país está de olho nos viajantes que enxergam na Argentina um destino em que têm vantagem cambial, pela desvalorização da moeda local.

 

Somente este ano, mercado cambial argentino passou por tubulências que levaram o dólar paralelo a cotações superiores a 150 pesos.

 

O decreto que autoriza a reabertura do aeroporto de Ezeiza, nos arredores da capital Buenos Aires, a voltar a receber voos regulares será publicado na segunda-feira.

 

Os turistas poderão chegar apenas por via aérea, com exceção dos uruguaios, que poderão utilizar também o transporte marítimo.

 

As fronteiras terrestres seguirão fechadas. Portanto, viajantes não poderão chegar à Argentina pelas rodovias.

 

Lammens explicou que a decisão de permitir a chegada de turistas do Brasil e dos outros quatros países foi tomada em razão do impacto econômico que a pandemia tem para o turismo.

 

"A abertura das fronteiras vai permitir medir o fluxo de turistas e, por isso, tomamos a decisão de, agora, não abrir para entrada terrestre. Vamos monitorar como será a partir de novembro e como evolui para que possamos decidir em relação a outros países", explicou, frisando que a decisão não contempla a Europa neste momento.

 

Na semana passada, foram retomados os voos de cabotagem. Também a partir de novembro, os argentinos poderão voltar a visitar os destinos turísticos do país, com todo o setor reativado a partir de dezembro.

 

A chegada dos viajantes vindos de avião de países que fazem fronteira com a Argentina vai funcionar como um projeto piloto. Se funcionar, não resultando em surtos de Covid-19, poderá ser ampliado a outros países e regiões, como a Europa.

Medida atinge também viajantes residentes em Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia. Governo argentino aposta na desvalorização do peso para atrair visitantes.


 


Mergulhada em uma profunda crise econômica, a Argentina vai voltar a receber turistas brasileiros a partir do dia 2 de novembro.


 


A medida, confirmada neste sábado pelo ministro do Turismo do país, Matías Lammens, ao jornal La Nación inclui ainda viajantes de Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia.


 


A um par de meses do início da temporada de verão, a aposta está em reativar o turismo, um dos setores da economia mais afetados pela pandemia do coronavírus.


 


A estimativa é que, entre novembro e dezembro, ao menos 50 mil brasileiros cheguem à Argentina, registrando volume pouco menor de uruguaios e chilenos.


 


O país está de olho nos viajantes que enxergam na Argentina um destino em que têm vantagem cambial, pela desvalorização da moeda local.


 


Somente este ano, mercado cambial argentino passou por tubulências que levaram o dólar paralelo a cotações superiores a 150 pesos.


PATROCINADORES

 


O decreto que autoriza a reabertura do aeroporto de Ezeiza, nos arredores da capital Buenos Aires, a voltar a receber voos regulares será publicado na segunda-feira.


 


Os turistas poderão chegar apenas por via aérea, com exceção dos uruguaios, que poderão utilizar também o transporte marítimo.


 


As fronteiras terrestres seguirão fechadas. Portanto, viajantes não poderão chegar à Argentina pelas rodovias.


 


Lammens explicou que a decisão de permitir a chegada de turistas do Brasil e dos outros quatros países foi tomada em razão do impacto econômico que a pandemia tem para o turismo.


 


"A abertura das fronteiras vai permitir medir o fluxo de turistas e, por isso, tomamos a decisão de, agora, não abrir para entrada terrestre. Vamos monitorar como será a partir de novembro e como evolui para que possamos decidir em relação a outros países", explicou, frisando que a decisão não contempla a Europa neste momento.


 


Na semana passada, foram retomados os voos de cabotagem. Também a partir de novembro, os argentinos poderão voltar a visitar os destinos turísticos do país, com todo o setor reativado a partir de dezembro.


 


A chegada dos viajantes vindos de avião de países que fazem fronteira com a Argentina vai funcionar como um projeto piloto. Se funcionar, não resultando em surtos de Covid-19, poderá ser ampliado a outros países e regiões, como a Europa.


Medida atinge também viajantes residentes em Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia. Governo argentino aposta na desvalorização do peso para atrair visitantes.



Mergulhada em uma profunda crise econômica, a Argentina vai voltar a receber turistas brasileiros a partir do dia 2 de novembro.



A medida, confirmada neste sábado pelo ministro do Turismo do país, Matías Lammens, ao jornal La Nación inclui ainda viajantes de Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia.



A um par de meses do início da temporada de verão, a aposta está em reativar o turismo, um dos setores da economia mais afetados pela pandemia do coronavírus.



A estimativa é que, entre novembro e dezembro, ao menos 50 mil brasileiros cheguem à Argentina, registrando volume pouco menor de uruguaios e chilenos.



PATROCINADORES

O país está de olho nos viajantes que enxergam na Argentina um destino em que têm vantagem cambial, pela desvalorização da moeda local.



Somente este ano, mercado cambial argentino passou por tubulências que levaram o dólar paralelo a cotações superiores a 150 pesos.



O decreto que autoriza a reabertura do aeroporto de Ezeiza, nos arredores da capital Buenos Aires, a voltar a receber voos regulares será publicado na segunda-feira.



Os turistas poderão chegar apenas por via aérea, com exceção dos uruguaios, que poderão utilizar também o transporte marítimo.



PATROCINADORES

As fronteiras terrestres seguirão fechadas. Portanto, viajantes não poderão chegar à Argentina pelas rodovias.



Lammens explicou que a decisão de permitir a chegada de turistas do Brasil e dos outros quatros países foi tomada em razão do impacto econômico que a pandemia tem para o turismo.



"A abertura das fronteiras vai permitir medir o fluxo de turistas e, por isso, tomamos a decisão de, agora, não abrir para entrada terrestre. Vamos monitorar como será a partir de novembro e como evolui para que possamos decidir em relação a outros países", explicou, frisando que a decisão não contempla a Europa neste momento.



Na semana passada, foram retomados os voos de cabotagem. Também a partir de novembro, os argentinos poderão voltar a visitar os destinos turísticos do país, com todo o setor reativado a partir de dezembro.



A chegada dos viajantes vindos de avião de países que fazem fronteira com a Argentina vai funcionar como um projeto piloto. Se funcionar, não resultando em surtos de Covid-19, poderá ser ampliado a outros países e regiões, como a Europa.



Veja Também