news:

Notícias

Empresa envolvida em acidente com mais de 40 mortos era clandestina

Publicado por TV Minas em 26/11/2020 às 12h37 - Atualizado às 09h44

foto_principal.jpeg

Star Viagem e Turismo perdeu a autorização para operar em outubro de 2019 e já foi multada várias vezes.

 

O ônibus que se envolveu num acidente com um caminhão em Itaguaí nesta quarta-feira, deixando mais de 40 mortos, pertence a uma empresa clandestina. A Star Viagem e Turismo perdeu a autorização para operar no ano passado e desde então vem acumulando multas.

 

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) informou ao GLOBO que a empresa roda ilegalmente desde 11 de outubro de 2019.

 

Em 3 de março de 2020, por exemplo, a Star foi multada por transportar irregularmente 30 estudantes da cidade de Fartura até uma faculdade em Avaré. Apesar de multada e ter o veículo retido para a retirada dos passageiros, a empresa voltou a transportar 43 estudantes irregularmente naquele mesmo dia e destino.

 

Em nota, a Artesp ressaltou "a importância dos contratantes e passageiros sempre conferirem se as empresas que oferecem o serviço de fretamento estão cadastradas e reguladas, através do site da agência". O órgão estadual realiza auditoria de frota, garagem e instalações, ações fiscais na operação das linhas regulares, nos terminais rodoviários e nas rodovias.

 

Além dos 41 mortos até o momento, há 10 feridos. A batida aconteceu no km 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, na cidade de Taguaí, que fica a 350 km da capital paulista, próxima à fronteira com o Paraná.

 

Saiba mais:Saúde tem só 600 mil reagentes para testes de Covid-19, após contrato cancelado; gestores temem desabastecimento

 

Segundo a assessoria da Polícia Militar, os números ainda podem mudar, pois o local é de difícil acesso, o que dificulta a obtenção de informações.

 

Ainda de acordo com a polícia, 37 pessoas morreram no local e quatro no hospital ou a caminho dele.

 

Após o acidente, o caminhão, que levava esterco, invadiu uma propriedade rural. O motorista do caminhão foi resgatado com vida e encaminhado para o pronto-socorro, segundo o G1.

 

 

Patrocinador:

Star Viagem e Turismo perdeu a autorização para operar em outubro de 2019 e já foi multada várias vezes.


 


O ônibus que se envolveu num acidente com um caminhão em Itaguaí nesta quarta-feira, deixando mais de 40 mortos, pertence a uma empresa clandestina. A Star Viagem e Turismo perdeu a autorização para operar no ano passado e desde então vem acumulando multas.


 


A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) informou ao GLOBO que a empresa roda ilegalmente desde 11 de outubro de 2019.


 


Em 3 de março de 2020, por exemplo, a Star foi multada por transportar irregularmente 30 estudantes da cidade de Fartura até uma faculdade em Avaré. Apesar de multada e ter o veículo retido para a retirada dos passageiros, a empresa voltou a transportar 43 estudantes irregularmente naquele mesmo dia e destino.


 


Em nota, a Artesp ressaltou "a importância dos contratantes e passageiros sempre conferirem se as empresas que oferecem o serviço de fretamento estão cadastradas e reguladas, através do site da agência". O órgão estadual realiza auditoria de frota, garagem e instalações, ações fiscais na operação das linhas regulares, nos terminais rodoviários e nas rodovias.


 


Além dos 41 mortos até o momento, há 10 feridos. A batida aconteceu no km 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, na cidade de Taguaí, que fica a 350 km da capital paulista, próxima à fronteira com o Paraná.


PATROCINADORES

 


Saiba mais:Saúde tem só 600 mil reagentes para testes de Covid-19, após contrato cancelado; gestores temem desabastecimento


 


Segundo a assessoria da Polícia Militar, os números ainda podem mudar, pois o local é de difícil acesso, o que dificulta a obtenção de informações.


 


Ainda de acordo com a polícia, 37 pessoas morreram no local e quatro no hospital ou a caminho dele.


 


Após o acidente, o caminhão, que levava esterco, invadiu uma propriedade rural. O motorista do caminhão foi resgatado com vida e encaminhado para o pronto-socorro, segundo o G1.


 


 


Patrocinador:



Star Viagem e Turismo perdeu a autorização para operar em outubro de 2019 e já foi multada várias vezes.



O ônibus que se envolveu num acidente com um caminhão em Itaguaí nesta quarta-feira, deixando mais de 40 mortos, pertence a uma empresa clandestina. A Star Viagem e Turismo perdeu a autorização para operar no ano passado e desde então vem acumulando multas.



A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) informou ao GLOBO que a empresa roda ilegalmente desde 11 de outubro de 2019.



Em 3 de março de 2020, por exemplo, a Star foi multada por transportar irregularmente 30 estudantes da cidade de Fartura até uma faculdade em Avaré. Apesar de multada e ter o veículo retido para a retirada dos passageiros, a empresa voltou a transportar 43 estudantes irregularmente naquele mesmo dia e destino.



PATROCINADORES

Em nota, a Artesp ressaltou "a importância dos contratantes e passageiros sempre conferirem se as empresas que oferecem o serviço de fretamento estão cadastradas e reguladas, através do site da agência". O órgão estadual realiza auditoria de frota, garagem e instalações, ações fiscais na operação das linhas regulares, nos terminais rodoviários e nas rodovias.



Além dos 41 mortos até o momento, há 10 feridos. A batida aconteceu no km 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, na cidade de Taguaí, que fica a 350 km da capital paulista, próxima à fronteira com o Paraná.



Saiba mais:Saúde tem só 600 mil reagentes para testes de Covid-19, após contrato cancelado; gestores temem desabastecimento



PATROCINADORES

Segundo a assessoria da Polícia Militar, os números ainda podem mudar, pois o local é de difícil acesso, o que dificulta a obtenção de informações.



Ainda de acordo com a polícia, 37 pessoas morreram no local e quatro no hospital ou a caminho dele.



Após o acidente, o caminhão, que levava esterco, invadiu uma propriedade rural. O motorista do caminhão foi resgatado com vida e encaminhado para o pronto-socorro, segundo o G1.



Patrocinador:





Veja Também