news:

Ciência & Tecnologia

Alinhamento de Júpiter e Saturno que ocorre em dezembro será o maior desde 1623

Publicado por TV Minas em 27/11/2020 às 20h49

foto_principal.jpg

Os planetas estarão excepcionalmente próximos, algo que não acontece desde 16 de julho de 1623.  em plena Idade Média.

 

Em 21 de dezembro, dia do solstício de verão, acontecerá um fenômeno astronômico como há muito tempo não se vê: um alinhamento entre os planetas Júpiter e Saturno, que a olho nu se parecerão com um “planeta duplo”.

 

Devido ao diferente período orbital dos planetas, isso não é algo que acontece com frequência: Júpiter completa uma órbita ao redor do Sol a cada 12 anos, e Saturno leva 30 anos. Portanto, visto aqui da Terra, um alinhamento só acontece a cada duas décadas, aproximadamente.

 

Mas neste ano ele será especial: os planetas estarão excepcionalmente próximos, algo que não acontece desde 16 de julho de 1623. Seria necessário voltar até 4 de março de 1226, em plena Idade Média, para ver um alinhamento ainda mais próximo.

 

Em declaração à BBC Patrick Hartigan, astrônomo da Universidade de Rice (EUA), afirma “aqueles que preferirem esperar e ver Júpiter e Saturno tão perto e mais acima no céu noturno terão que aguardar até 15 de março de 2080.

 

Depois disso, a dupla não fará aparição semelhante até depois de 2400”, diz ele.

 

Os planetas estarão próximos o suficiente para que caibam juntos no campo de visão de um telescópio, mas o fenômeno também poderá ser observado a olho nu ou com binóculos.

 

Eles serão visíveis a partir do pôr do Sol (às 18h57, considerando um observador em Brasília), 24º acima do horizonte a oeste, e ficarão no céu até sumirem sob o horizonte às 20h46.

 

 

Como se orientar


Para facilitar a orientação e saber em que direção olhar, é importante identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque por meio de uma bússola ou app de astronomia em seu celular.

 

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

 

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android a recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

 

O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum.

 

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular junto com sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar.

 

Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp, que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

 

Patrocinador:

Os planetas estarão excepcionalmente próximos, algo que não acontece desde 16 de julho de 1623.  em plena Idade Média.


 


Em 21 de dezembro, dia do solstício de verão, acontecerá um fenômeno astronômico como há muito tempo não se vê: um alinhamento entre os planetas Júpiter e Saturno, que a olho nu se parecerão com um “planeta duplo”.


 


Devido ao diferente período orbital dos planetas, isso não é algo que acontece com frequência: Júpiter completa uma órbita ao redor do Sol a cada 12 anos, e Saturno leva 30 anos. Portanto, visto aqui da Terra, um alinhamento só acontece a cada duas décadas, aproximadamente.


 


Mas neste ano ele será especial: os planetas estarão excepcionalmente próximos, algo que não acontece desde 16 de julho de 1623. Seria necessário voltar até 4 de março de 1226, em plena Idade Média, para ver um alinhamento ainda mais próximo.


 


Em declaração à BBC Patrick Hartigan, astrônomo da Universidade de Rice (EUA), afirma “aqueles que preferirem esperar e ver Júpiter e Saturno tão perto e mais acima no céu noturno terão que aguardar até 15 de março de 2080.


 


Depois disso, a dupla não fará aparição semelhante até depois de 2400”, diz ele.


 


Os planetas estarão próximos o suficiente para que caibam juntos no campo de visão de um telescópio, mas o fenômeno também poderá ser observado a olho nu ou com binóculos.


 


Eles serão visíveis a partir do pôr do Sol (às 18h57, considerando um observador em Brasília), 24º acima do horizonte a oeste, e ficarão no céu até sumirem sob o horizonte às 20h46.


 


PATROCINADORES

 


Como se orientar



Para facilitar a orientação e saber em que direção olhar, é importante identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque por meio de uma bússola ou app de astronomia em seu celular.


 


O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.


 


Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android a recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.


 


O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum.


 


Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular junto com sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar.


 


Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp, que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 


 


Patrocinador:



Os planetas estarão excepcionalmente próximos, algo que não acontece desde 16 de julho de 1623.  em plena Idade Média.



Em 21 de dezembro, dia do solstício de verão, acontecerá um fenômeno astronômico como há muito tempo não se vê: um alinhamento entre os planetas Júpiter e Saturno, que a olho nu se parecerão com um “planeta duplo”.



Devido ao diferente período orbital dos planetas, isso não é algo que acontece com frequência: Júpiter completa uma órbita ao redor do Sol a cada 12 anos, e Saturno leva 30 anos. Portanto, visto aqui da Terra, um alinhamento só acontece a cada duas décadas, aproximadamente.



Mas neste ano ele será especial: os planetas estarão excepcionalmente próximos, algo que não acontece desde 16 de julho de 1623. Seria necessário voltar até 4 de março de 1226, em plena Idade Média, para ver um alinhamento ainda mais próximo.



Em declaração à BBC Patrick Hartigan, astrônomo da Universidade de Rice (EUA), afirma “aqueles que preferirem esperar e ver Júpiter e Saturno tão perto e mais acima no céu noturno terão que aguardar até 15 de março de 2080.



PATROCINADORES

Depois disso, a dupla não fará aparição semelhante até depois de 2400”, diz ele.



Os planetas estarão próximos o suficiente para que caibam juntos no campo de visão de um telescópio, mas o fenômeno também poderá ser observado a olho nu ou com binóculos.



Eles serão visíveis a partir do pôr do Sol (às 18h57, considerando um observador em Brasília), 24º acima do horizonte a oeste, e ficarão no céu até sumirem sob o horizonte às 20h46.



Como se orientar




Para facilitar a orientação e saber em que direção olhar, é importante identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque por meio de uma bússola ou app de astronomia em seu celular.



PATROCINADORES

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.



Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android a recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.



O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum.



Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular junto com sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar.



Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp, que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 



Patrocinador:





Veja Também