news:

Notícias

TIM anuncia home office permanente para 2 mil funcionários e prevê baixar custos

Publicado por TV Minas em 01/12/2020 às 14h51 - Atualizado em 02/12/2020 às 20h37

foto_principal.jpg

A TIM decidiu manter permanentemente em home office cerca de 2 mil funcionários que trabalham nas centrais de atendimento da empresa. Os colaboradores atuavam nos escritórios de Santo André, na Grande São Paulo, e no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, espaços que manterão apenas 15% da atividade anterior à pandemia.

 

A operadora diz que tomou a decisão com base na vontade dos colaboradores. Uma pesquisa interna apontou que 98% dos funcionários gostariam de manter o home office ao menos uma vez por semana. 

 

O diretor de Operações da TIM Brasil, Paulo Henrique Campos, aponta que pesou também na decisão da empresa o crescimento na produtividade dos colaboradores e na satisfação dos clientes durante o atendimento remoto. “Especificamente sobre a equipe do call center, além de termos computado 8% de crescimento da produtividade e queda de 1% na rotatividade, recebemos alta de 37% no índice de satisfação dos clientes”, diz o executivo. 

 

Somente os atendentes contratados diretamente pela TIM serão mantidos em home office. Os terceirizados não participam da ação. 

 

 

Economia de gastos 

 

A TIM confirma que a transferência dos trabalhadores para suas casas vai reduzir os gastos da empresa com pagamento de vale-transporte, energia, água, aluguel, manutenção, serviços gerais, entre outros. Porém, o tamanho da economia não foi divulgado. “Os cálculos ainda estão em processo de finalização”, diz Campos. 

 

O diretor afirmou que os custos repassados para os colaboradores estão sendo incluídos no pagamento junto com os salários. “Foi acrescida uma ajuda de custo a todos os funcionários da TIM remanejados para home office para auxílio com ar-condicionado e energia. Também fornecemos a banda larga móvel da TIM sem custo ao funcionário”, acrescenta. 

 

O valor dessa ajuda de custo, porém, não foi divulgado. 

 

 

Patrocinador:

A TIM decidiu manter permanentemente em home office cerca de 2 mil funcionários que trabalham nas centrais de atendimento da empresa. Os colaboradores atuavam nos escritórios de Santo André, na Grande São Paulo, e no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, espaços que manterão apenas 15% da atividade anterior à pandemia.


 


A operadora diz que tomou a decisão com base na vontade dos colaboradores. Uma pesquisa interna apontou que 98% dos funcionários gostariam de manter o home office ao menos uma vez por semana. 


 


O diretor de Operações da TIM Brasil, Paulo Henrique Campos, aponta que pesou também na decisão da empresa o crescimento na produtividade dos colaboradores e na satisfação dos clientes durante o atendimento remoto. “Especificamente sobre a equipe do call center, além de termos computado 8% de crescimento da produtividade e queda de 1% na rotatividade, recebemos alta de 37% no índice de satisfação dos clientes”, diz o executivo. 


 


Somente os atendentes contratados diretamente pela TIM serão mantidos em home office. Os terceirizados não participam da ação. 


 


 


Economia de gastos 


PATROCINADORES

 


A TIM confirma que a transferência dos trabalhadores para suas casas vai reduzir os gastos da empresa com pagamento de vale-transporte, energia, água, aluguel, manutenção, serviços gerais, entre outros. Porém, o tamanho da economia não foi divulgado. “Os cálculos ainda estão em processo de finalização”, diz Campos. 


 


O diretor afirmou que os custos repassados para os colaboradores estão sendo incluídos no pagamento junto com os salários. “Foi acrescida uma ajuda de custo a todos os funcionários da TIM remanejados para home office para auxílio com ar-condicionado e energia. Também fornecemos a banda larga móvel da TIM sem custo ao funcionário”, acrescenta. 


 


O valor dessa ajuda de custo, porém, não foi divulgado. 


 


 


Patrocinador:



A TIM decidiu manter permanentemente em home office cerca de 2 mil funcionários que trabalham nas centrais de atendimento da empresa. Os colaboradores atuavam nos escritórios de Santo André, na Grande São Paulo, e no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, espaços que manterão apenas 15% da atividade anterior à pandemia.



A operadora diz que tomou a decisão com base na vontade dos colaboradores. Uma pesquisa interna apontou que 98% dos funcionários gostariam de manter o home office ao menos uma vez por semana. 



O diretor de Operações da TIM Brasil, Paulo Henrique Campos, aponta que pesou também na decisão da empresa o crescimento na produtividade dos colaboradores e na satisfação dos clientes durante o atendimento remoto. “Especificamente sobre a equipe do call center, além de termos computado 8% de crescimento da produtividade e queda de 1% na rotatividade, recebemos alta de 37% no índice de satisfação dos clientes”, diz o executivo. 



PATROCINADORES

Somente os atendentes contratados diretamente pela TIM serão mantidos em home office. Os terceirizados não participam da ação. 



Economia de gastos 



A TIM confirma que a transferência dos trabalhadores para suas casas vai reduzir os gastos da empresa com pagamento de vale-transporte, energia, água, aluguel, manutenção, serviços gerais, entre outros. Porém, o tamanho da economia não foi divulgado. “Os cálculos ainda estão em processo de finalização”, diz Campos. 



PATROCINADORES

O diretor afirmou que os custos repassados para os colaboradores estão sendo incluídos no pagamento junto com os salários. “Foi acrescida uma ajuda de custo a todos os funcionários da TIM remanejados para home office para auxílio com ar-condicionado e energia. Também fornecemos a banda larga móvel da TIM sem custo ao funcionário”, acrescenta. 



O valor dessa ajuda de custo, porém, não foi divulgado. 



Patrocinador:





Veja Também