Hacker trava aparelho sexual eletrônico e cobra resgate de usuários

Publicado por Tv Minas em 14/01/2021 às 21h52

Invasores pediram valor em bitcoin para desbloquear órgão masculino.

 

O aparelho de castidade masculina Cellmate Chastity Cage sofreu um novo ataque de hackers.

 

Usuários relataram que tiveram suas genitálias travadas até que pagassem 0,02 bitcoin, equivalente R$ 1.440 em conversão direta.

 

Os relatos foram identificados por pesquisadores de segurança do site VX-Underground, especializado em coletar amostras de malware.

 

O dispositivo vestível fica acoplado ao órgão sexual do homem e pode ser controlado por aplicativo.

 

Contudo, uma falha de comunicação entre o celular e o gadget permite que qualquer pessoa bloqueie o aparelho, o que torna impossível tirar o objeto sem destrui-lo.

 

O Cellmate Chastity Cage, desenvolvido pela empresa chinesa Qiui, tem o objetivo de controlar a castidade do parceiro e é usado por “dezenas de milhares de pessoas” pelo mundo, de acordo com a fabricante.

 

A genitália é colocada dentro de um tubo de metal, que pode ser travado ou liberado por meio de um anel rente aos testículos.

 

O dispositivo só pode ser manipulado remotamente. Para isso há um aplicativo que fica conectado via Bluetooth. Não há travas manuais.

 

Além disso, o aplicativo não tem senhas nem codificação. Segundo o site Pen Tests Partners, um invasor levaria apenas alguns dias para acessar todo o banco de dados do usuário e controlá-lo.

 

Uma vez preso, só é possível se liberar destruindo o aparelho, seja por meio do uso de alicates ou pela sobrecarga do chip interno.

 

Patrocinador:

Fonte: Techtudo

Compartilhe essa matéria: