Avô e neta morrem carbonizados após motorista bêbado atingir carro da família

Publicado por Tv Minas em 16/01/2021 às 19h17

Teste do bafômetro confirmou embriaguez de motorista, que pode ter se envolvido em um racha. Carro das vítimas explodiu.

 

Avô e neta morreram carbonizados depois que um motorista embriagado e em alta velocidade atingiu o carro da família na noite desta sexta-feira (15), no bairro Caiçara, na Região Noroeste de Belo Horizonte.

 

O veículo das vítimas explodiu.

 

Uma suposta disputa em alta velocidade entre dois motoristas pode ter provocado o acidente, que deixou outras duas pessoas feridas, todas da mesma família.

 

De acordo com a Polícia Militar (PM), Alexsandro Felipe Domingues, de 46 anos, foi submetido ao teste do bafômetro e teve álcool detectado no organismo.

 

A carteira de habilitação dele estava vencida.

 

Testemunhas que passavam no sentido bairro da Avenida Presidente Carlos Luz contaram à PM que presenciaram dois veículos seguindo em alta velocidade no sentido oposto. Um deles fez uma manobra que atingiu e levou à capotagem uma Volkswagen Parati, com quatro ocupantes.

 

O veículo rodou na pista e só parou após atingir uma árvore no canteiro central. O segundo carro em alta velocidade não foi localizado.

 

Duas das vítimas foram arremessadas para fora do veículo. Logo em seguida, o carro pegou fogo, com sucessivas explosões. Mãe e filho, de 10 anos, foram socorridos e encaminhados para o pronto socorro do Hospital João XXIII. Os outros dois ocupantes, o avô e a neta, de 14 anos, ficaram presos às ferragens e morreram carbonizados.

 

 

Embriaguez

 

Segundo a polícia, testemunhas contaram que um dos motoristas, supostamente envolvido no "racha", estava em uma Mercedes CLA 200, que atingiu a Parati. O carro ficou destruído.

 

 

PM fez teste do bafômetro que confirmou presença de álcool no sangue do motorista.

 

 

Uma das rodas se desprendeu e foi arremessada para o meio da pista. O homem que dirigia o veículo, de acordo com os militares, apresentava sinais de embriaguez.

 

Alexsandro Felipe Domingues, de 46 anos, foi submetido ao teste do bafômetro. Os policiais informaram que o resultado foi de 0,76mg/L de álcool no sangue, o que configura crime de trânsito.

 

Além disso, a carteira de habilitação de Alexsandro estava vencida desde 2015. Ele foi preso e encaminhado para a delegacia do Detran, na capital.

 

De acordo com a Polícia Civil, o motorista foi autuado em flagrante pelos crimes previstos nos artigos 302 e 306 do Código de Trânsito, por "praticar homicídio culposo na direção de veículo automotor" e "conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool". Ele foi encaminhado ao sistema prisional.

 

O homem já possuía outras passagens por crimes de trânsito registradas pela PM. Em 2006, ele fugiu de uma blitz e, na época, estava com a CNH suspensa. Em 2019, depois de um acidente, ele agrediu o motorista do outro carro. Neste dia ele também estava com sinais de embriaguez.

 

 

Vítimas


O estado de saúde de Glennia Nayara Dias Carmo, de 33 anos, é considerado grave. Ela foi arremessada do veículo junto ao filho, Arthur Carmo dos Santos, de 10 anos. A suspeita é que o menino tenha quebrado uma das pernas.

 

Aleyson Machado Carmo, de 65 anos, e Ana Beatriz Dias Carmo, de 14 anos, foram totalmente carbonizados e morreram no local.

 

Patrocinador:

Fonte: G1

Compartilhe essa matéria: