Governo "desautoriza" Maia a negociar insumos para vacinas com chineses

Publicado por Tv Minas em 21/01/2021 às 14h46

Ministério das Comunicações emitiu nota e afirmou que o 'governo federal é o único interlocutor oficial com o governo chinês'

 

Após a reunião do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, nesta quarta-feira (20/01), o governo federal se posicionou “desautorizando” Maia a negociar com os asiáticos. Uma nota foi emitida pelo Ministério das Comunicações, afirmando que apenas o corpo ministerial do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é que conduz conversas oficiais com a China.

 

Com o entrave para o envio do principal ingrediente para a fabricação de vacinas da CoronaVac e da Universidade de Oxford para o Brasil, Rodrigo Maia entrou no assunto e marcou uma reunião com a embaixada na China para tentar viabilizar a liberação do produto por parte do país asiático. Além de Maia, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, também esteve conversando com os chineses nesta quarta-feira.

 

Horas depois da conversa, uma nota foi emitida pelo Ministério das Comunicações afirmando que o “governo federal vem tratando com seriedade as questões referentes ao fornecimento de insumos farmacêuticos para produção de vacinas”. A pasta informou, também, que o Ministério das Relações Exteriores e outros braços do governo estão dialogando com o embaixador Yang Wanming.

 

A nota também destacou a conversa de Wanming com Eduardo Pazuello, além da participação de Tereza Cristina, ministra da Agricultura, e de Fábio Faria, ministro das Comunicações. O informe não cita a conversa entre Rodrigo Maia e o embaixador da China no Brasil. Pelo contrário: diz que apenas o governo federal é o interlocutor oficial com o governo chinês.

 

Horas depois da nota do Ministério das Comunicações, Rodrigo Maia se posicionou nas redes sociais. O deputado federal disse que o governo federal entendeu a importância de manter uma boa relação com a China. Vale lembrar que a entrada de Maia no caso também se deu por uma tentativa de aparar "arestas" entre os governos brasileiro e chinês, uma vez que ataques contra o país asiático foram feitos pelo filho de Bolsonaro, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP).

 

"Ótima notícia. Finalmente o governo entendeu a importância de manter uma boa relação com a China. Menos ideologia e mais pragmatismo costumam render frutos."

 

 

Veja, na íntegra, a nota do Ministério das Comunicações

 

 

Nota Oficial 

 

O Governo Federal vem tratando com seriedade todas as questões referentes ao fornecimento de insumos farmacêuticos para produção de vacinas (IFA). 

 

O Ministério das Relações Exteriores, por meio da embaixada do Brasil em Pequim, tem mantido negociações com o Governo da China. Outros ministros do Governo Federal têm conversado com o Embaixador Yang Wanming.

 

No dia de hoje, foi realizada com o Embaixador, uma conferência telefônica com participação dos ministros da Saúde, da Agricultura e das Comunicações.

 

Ressalta-se que o Governo Federal é o único interlocutor oficial com o governo chinês.

 

Secretaria Especial de Comunicação
Mcom

 

 

Patrocinador:

Compartilhe essa matéria: