news:

Notícias

Jornal italiano diz que papa tem tumor no cérebro; Vaticano nega

Publicado por TV Minas em 21/10/2015

foto_principal.jpeg

Apesar da resposta do Vaticano, o diretor de redação do jornal que publicou a notícia garantiu a veracidade da informação: "O desmentido era esperado e é compreensível".

 

O Vaticano desmentiu de maneira veemente nesta quarta-feira uma informação veiculada na imprensa italiana segundo a qual, há alguns meses, teria sido detectado um pequeno "tumor curável" no cérebro do papa Francisco. "A divulgação de notícias infundadas é gravemente irresponsável e não merece atenção", disse o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi.

 

De acordo com o jornal Quotidiano Nazionale (QN), "uma pequena sombra" foi detectada em um exame médico do papa, realizado há sete meses por um especialista japonês, o professor Takanori Fukushima, na clínica San Rossore di Barbaricina, perto da cidade de Pisa. O professor teria considerado inútil fazer uma operação, já que o tumor era benigno, segundo o QN.

 

Apesar da resposta do Vaticano, o diretor de redação do Quotidiano Nazionale, Andrea Cangini, garantiu a veracidade da informação. "O desmentido era esperado e é compreensível.

 

Seguramos a informação durante muito tempo para fazer as verificações. Não temos nenhuma dúvida de que está correta", disse Cangini.

 

O papa Francisco, de 78 anos, tem uma agenda intensa, apesar de em alguns momentos demonstrar sinais de cansaço e ter cancelado alguns compromissos no último momento. Em entrevistas recentes, o pontífice declarou que não tem muito tempo de vida pela frente, mas em nenhum momento citou uma doença. Francisco já afirmou que as viagens oficiais o deixam cansado, mas está preparando uma visita de cinco dias à África no fim de novembro, mais uma vez com uma agenda intensa. Na juventude, o papa teve retirada uma parte do pulmão direito devido a uma grave infecção e, recentemente, o Vaticano informou que o papa sofre de dores no quadril, que atrapalham sua locomoção.

Apesar da resposta do Vaticano, o diretor de redação do jornal que publicou a notícia garantiu a veracidade da informação: "O desmentido era esperado e é compreensível".


 


O Vaticano desmentiu de maneira veemente nesta quarta-feira uma informação veiculada na imprensa italiana segundo a qual, há alguns meses, teria sido detectado um pequeno "tumor curável" no cérebro do papa Francisco. "A divulgação de notícias infundadas é gravemente irresponsável e não merece atenção", disse o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi.


 


De acordo com o jornal Quotidiano Nazionale (QN), "uma pequena sombra" foi detectada em um exame médico do papa, realizado há sete meses por um especialista japonês, o professor Takanori Fukushima, na clínica San Rossore di Barbaricina, perto da cidade de Pisa. O professor teria considerado inútil fazer uma operação, já que o tumor era benigno, segundo o QN.


PATROCINADORES

 


Apesar da resposta do Vaticano, o diretor de redação do Quotidiano Nazionale, Andrea Cangini, garantiu a veracidade da informação. "O desmentido era esperado e é compreensível.


 


Seguramos a informação durante muito tempo para fazer as verificações. Não temos nenhuma dúvida de que está correta", disse Cangini.


 


O papa Francisco, de 78 anos, tem uma agenda intensa, apesar de em alguns momentos demonstrar sinais de cansaço e ter cancelado alguns compromissos no último momento. Em entrevistas recentes, o pontífice declarou que não tem muito tempo de vida pela frente, mas em nenhum momento citou uma doença. Francisco já afirmou que as viagens oficiais o deixam cansado, mas está preparando uma visita de cinco dias à África no fim de novembro, mais uma vez com uma agenda intensa. Na juventude, o papa teve retirada uma parte do pulmão direito devido a uma grave infecção e, recentemente, o Vaticano informou que o papa sofre de dores no quadril, que atrapalham sua locomoção.


Apesar da resposta do Vaticano, o diretor de redação do jornal que publicou a notícia garantiu a veracidade da informação: "O desmentido era esperado e é compreensível".



O Vaticano desmentiu de maneira veemente nesta quarta-feira uma informação veiculada na imprensa italiana segundo a qual, há alguns meses, teria sido detectado um pequeno "tumor curável" no cérebro do papa Francisco. "A divulgação de notícias infundadas é gravemente irresponsável e não merece atenção", disse o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi.



De acordo com o jornal Quotidiano Nazionale (QN), "uma pequena sombra" foi detectada em um exame médico do papa, realizado há sete meses por um especialista japonês, o professor Takanori Fukushima, na clínica San Rossore di Barbaricina, perto da cidade de Pisa. O professor teria considerado inútil fazer uma operação, já que o tumor era benigno, segundo o QN.



PATROCINADORES

Apesar da resposta do Vaticano, o diretor de redação do Quotidiano Nazionale, Andrea Cangini, garantiu a veracidade da informação. "O desmentido era esperado e é compreensível.



Seguramos a informação durante muito tempo para fazer as verificações. Não temos nenhuma dúvida de que está correta", disse Cangini.



O papa Francisco, de 78 anos, tem uma agenda intensa, apesar de em alguns momentos demonstrar sinais de cansaço e ter cancelado alguns compromissos no último momento. Em entrevistas recentes, o pontífice declarou que não tem muito tempo de vida pela frente, mas em nenhum momento citou uma doença. Francisco já afirmou que as viagens oficiais o deixam cansado, mas está preparando uma visita de cinco dias à África no fim de novembro, mais uma vez com uma agenda intensa. Na juventude, o papa teve retirada uma parte do pulmão direito devido a uma grave infecção e, recentemente, o Vaticano informou que o papa sofre de dores no quadril, que atrapalham sua locomoção.



Veja Também