news:

Notícias

Polícia identifica mentor dos atentados em Paris

Publicado por TV Minas em 16/11/2015

foto_principal.jpeg

Segundo investigadores da França e da Bélgica, terrorista por trás dos ato tem origem Marroquina e nacionalidade belga.

 

As polícias da Bélgica e da França identificaram nesta segunda-feira o suspeito de estar por trás dos ataques terroristas de Paris, que deixaram 129 mortos. Trata-se de Abdelhamid Abaaoud, de 27 anos, nascido em Molenbeek, subúrbio de Bruxelas, na Bélgica. Ele teria planejado e financiado os atos e estaria atualmente na Síria. À agência Reuters, um oficial francês afirmou que o suspeito tem origem marroquina e é acusado de envolvimento com outros atentados na Europa, como a tentativa de um massacre no trem Thalys que fazia o trajeto entre Amsterdã e Paris, em agosto deste ano.

 

Abaaoud é considerado uma das figuras midiáticas mais importantes entre os jihadistas belgas por sua atividade em redes sociais. Em um vídeo publicado na internet em 2014, ele diz que reza "para que Allah extermine aqueles que se opõem a ele, seus soldados e admiradores".

 

O suspeito é tido pelos investigadores, segundo o Le Monde, como alguém próximo a Salah Abdeslam - atualmente foragido e irmão do homem-bomba que se explodiu no bar Comptoir Voltaire, na noite de sexta. Abaaoud e Abdeslam estiveram presos juntos na Bélgica, em 2010, por assalto à mão armada. Além disso, o possível mentor dos últimos atentados estava em contato com Mehdi Nemmouch, autor do ataque ao Museu Judaico de Bruxelas, que custou a vida de três pessoas em 24 de maio de 2014.

 

Segundo a rádio francesa RTL, Abdelhamid Abaaoud é um dos militantes mais ativos do Estado Islâmico (EI). Filho de um comerciante do Marrocos, o suspeito teria se unido ao grupo terrorista em 2013 na Síria. De acordo com a imprensa belga, ele recrutou para o EI o seu irmão mais novo, Younes Abaaoud, de 13 anos, que se tornou um dos membros mais jovens do grupo.

 

 

Leia também:

 

O Ocidente pode derrotar o Estado Islâmico. Basta querer

 

Atentados em Paris: perguntas e respostas sobre os ataques

 

Paris amanhece aterrorizada após pior pesadelo da história da França

 

Segundo investigadores da França e da Bélgica, terrorista por trás dos ato tem origem Marroquina e nacionalidade belga.


 


As polícias da Bélgica e da França identificaram nesta segunda-feira o suspeito de estar por trás dos ataques terroristas de Paris, que deixaram 129 mortos. Trata-se de Abdelhamid Abaaoud, de 27 anos, nascido em Molenbeek, subúrbio de Bruxelas, na Bélgica. Ele teria planejado e financiado os atos e estaria atualmente na Síria. À agência Reuters, um oficial francês afirmou que o suspeito tem origem marroquina e é acusado de envolvimento com outros atentados na Europa, como a tentativa de um massacre no trem Thalys que fazia o trajeto entre Amsterdã e Paris, em agosto deste ano.


 


Abaaoud é considerado uma das figuras midiáticas mais importantes entre os jihadistas belgas por sua atividade em redes sociais. Em um vídeo publicado na internet em 2014, ele diz que reza "para que Allah extermine aqueles que se opõem a ele, seus soldados e admiradores".


 


O suspeito é tido pelos investigadores, segundo o Le Monde, como alguém próximo a Salah Abdeslam - atualmente foragido e irmão do homem-bomba que se explodiu no bar Comptoir Voltaire, na noite de sexta. Abaaoud e Abdeslam estiveram presos juntos na Bélgica, em 2010, por assalto à mão armada. Além disso, o possível mentor dos últimos atentados estava em contato com Mehdi Nemmouch, autor do ataque ao Museu Judaico de Bruxelas, que custou a vida de três pessoas em 24 de maio de 2014.


 


Segundo a rádio francesa RTL, Abdelhamid Abaaoud é um dos militantes mais ativos do Estado Islâmico (EI). Filho de um comerciante do Marrocos, o suspeito teria se unido ao grupo terrorista em 2013 na Síria. De acordo com a imprensa belga, ele recrutou para o EI o seu irmão mais novo, Younes Abaaoud, de 13 anos, que se tornou um dos membros mais jovens do grupo.


PATROCINADORES

 


 


Leia também:


 


O Ocidente pode derrotar o Estado Islâmico. Basta querer


 


Atentados em Paris: perguntas e respostas sobre os ataques


 


Paris amanhece aterrorizada após pior pesadelo da história da França


 


Segundo investigadores da França e da Bélgica, terrorista por trás dos ato tem origem Marroquina e nacionalidade belga.



As polícias da Bélgica e da França identificaram nesta segunda-feira o suspeito de estar por trás dos ataques terroristas de Paris, que deixaram 129 mortos. Trata-se de Abdelhamid Abaaoud, de 27 anos, nascido em Molenbeek, subúrbio de Bruxelas, na Bélgica. Ele teria planejado e financiado os atos e estaria atualmente na Síria. À agência Reuters, um oficial francês afirmou que o suspeito tem origem marroquina e é acusado de envolvimento com outros atentados na Europa, como a tentativa de um massacre no trem Thalys que fazia o trajeto entre Amsterdã e Paris, em agosto deste ano.



Abaaoud é considerado uma das figuras midiáticas mais importantes entre os jihadistas belgas por sua atividade em redes sociais. Em um vídeo publicado na internet em 2014, ele diz que reza "para que Allah extermine aqueles que se opõem a ele, seus soldados e admiradores".



PATROCINADORES

O suspeito é tido pelos investigadores, segundo o Le Monde, como alguém próximo a Salah Abdeslam - atualmente foragido e irmão do homem-bomba que se explodiu no bar Comptoir Voltaire, na noite de sexta. Abaaoud e Abdeslam estiveram presos juntos na Bélgica, em 2010, por assalto à mão armada. Além disso, o possível mentor dos últimos atentados estava em contato com Mehdi Nemmouch, autor do ataque ao Museu Judaico de Bruxelas, que custou a vida de três pessoas em 24 de maio de 2014.



Segundo a rádio francesa RTL, Abdelhamid Abaaoud é um dos militantes mais ativos do Estado Islâmico (EI). Filho de um comerciante do Marrocos, o suspeito teria se unido ao grupo terrorista em 2013 na Síria. De acordo com a imprensa belga, ele recrutou para o EI o seu irmão mais novo, Younes Abaaoud, de 13 anos, que se tornou um dos membros mais jovens do grupo.



Leia também:



PATROCINADORES

O Ocidente pode derrotar o Estado Islâmico. Basta querer



Atentados em Paris: perguntas e respostas sobre os ataques



Paris amanhece aterrorizada após pior pesadelo da história da França



Veja Também