news:

Sul de Minas

Após recorde, doador de sangue pousoalegrense ganha certificado diamante

Publicado por TV Minas em 25/11/2015

foto_principal.jpg

Aurélio Dalton de Freitas, de 53 anos, já doou sangue 55 vezes. Ele espera poder fazer pelo menos quatro doações por ano.

 

Nesta quarta-feira (35) é comemorado o Dia do Doador Voluntário de Sangue e a história do motorista Aurélio Dalton de Freitas, de 53 anos, é inspiradora para quem quer ajudar a salvar vidas. Ele é considerado pelo Hemominas de Pouso Alegre (MG) um doador diamante, de tantas vezes que já fez doações.

 

Ele conta que começou a dor sangue ainda na adolescência. “Eu comecei a fazer isso quando precisei passar por uma triagem e fui considerado apto a doar sangue. Eu tinha entre 18 e 19 anos. Comecei a doar e desde então não parei mais”, relatou.

 

De lá pra cá, ele foi doando sangue e  colecionando certificados. Até 2004, eram 15 doações. Há cinco anos, ele já tinha doado 35 vezes e em 2013, alcançou a marca de 48 doações. Agora, ele alcançou a doação de número 55 e por isso, vai receber um novo certificado. “Enquanto eu puder doar, ajudar, eu vou fazer isso. Quero sempre poder ajudar”, destacou.

 

Morador de Natércia (MG), aos 50 anos, Freitas já era considerado doador diamante, o título mais alto da categoria, mas, nem por isso ele pretende parar. “Eu quero doar quatro vezes por ano. Eu tenho 53 anos atualmente, se eu fizer isso até os 65, que é até quando é permitido, eu doarei por mais 13 anos e serão mais 52 doações. Posso passar das 100”, acrescentou.

 

A Hilda Freitas, mulher dele, fica orgulhosa. Enfermeira aposentada, ela sabe da importância da marca de doações. “É muito gratificante pra gente, né? Eu não posso doar, já fui anêmica, já recebi transfusão de sangue, então pra mim é difícil, mas eu queria doar”, comentou.

 

Já pelas ruas da cidade, Aurélio recebe o reconhecimento dos amigos pelo que faz. “Ele tá na meia idade, né? Não é novo e nem velho e tem muita força e muita garra para que possa sempre fazer isso”, disse o pedreiro Ronaldo Rodrigues de Souza.

Aurélio Dalton de Freitas, de 53 anos, já doou sangue 55 vezes. Ele espera poder fazer pelo menos quatro doações por ano.


 


Nesta quarta-feira (35) é comemorado o Dia do Doador Voluntário de Sangue e a história do motorista Aurélio Dalton de Freitas, de 53 anos, é inspiradora para quem quer ajudar a salvar vidas. Ele é considerado pelo Hemominas de Pouso Alegre (MG) um doador diamante, de tantas vezes que já fez doações.


 


Ele conta que começou a dor sangue ainda na adolescência. “Eu comecei a fazer isso quando precisei passar por uma triagem e fui considerado apto a doar sangue. Eu tinha entre 18 e 19 anos. Comecei a doar e desde então não parei mais”, relatou.


 


PATROCINADORES

De lá pra cá, ele foi doando sangue e  colecionando certificados. Até 2004, eram 15 doações. Há cinco anos, ele já tinha doado 35 vezes e em 2013, alcançou a marca de 48 doações. Agora, ele alcançou a doação de número 55 e por isso, vai receber um novo certificado. “Enquanto eu puder doar, ajudar, eu vou fazer isso. Quero sempre poder ajudar”, destacou.


 


Morador de Natércia (MG), aos 50 anos, Freitas já era considerado doador diamante, o título mais alto da categoria, mas, nem por isso ele pretende parar. “Eu quero doar quatro vezes por ano. Eu tenho 53 anos atualmente, se eu fizer isso até os 65, que é até quando é permitido, eu doarei por mais 13 anos e serão mais 52 doações. Posso passar das 100”, acrescentou.


 


A Hilda Freitas, mulher dele, fica orgulhosa. Enfermeira aposentada, ela sabe da importância da marca de doações. “É muito gratificante pra gente, né? Eu não posso doar, já fui anêmica, já recebi transfusão de sangue, então pra mim é difícil, mas eu queria doar”, comentou.


 


Já pelas ruas da cidade, Aurélio recebe o reconhecimento dos amigos pelo que faz. “Ele tá na meia idade, né? Não é novo e nem velho e tem muita força e muita garra para que possa sempre fazer isso”, disse o pedreiro Ronaldo Rodrigues de Souza.


Aurélio Dalton de Freitas, de 53 anos, já doou sangue 55 vezes. Ele espera poder fazer pelo menos quatro doações por ano.



Nesta quarta-feira (35) é comemorado o Dia do Doador Voluntário de Sangue e a história do motorista Aurélio Dalton de Freitas, de 53 anos, é inspiradora para quem quer ajudar a salvar vidas. Ele é considerado pelo Hemominas de Pouso Alegre (MG) um doador diamante, de tantas vezes que já fez doações.



Ele conta que começou a dor sangue ainda na adolescência. “Eu comecei a fazer isso quando precisei passar por uma triagem e fui considerado apto a doar sangue. Eu tinha entre 18 e 19 anos. Comecei a doar e desde então não parei mais”, relatou.



PATROCINADORES

De lá pra cá, ele foi doando sangue e  colecionando certificados. Até 2004, eram 15 doações. Há cinco anos, ele já tinha doado 35 vezes e em 2013, alcançou a marca de 48 doações. Agora, ele alcançou a doação de número 55 e por isso, vai receber um novo certificado. “Enquanto eu puder doar, ajudar, eu vou fazer isso. Quero sempre poder ajudar”, destacou.



Morador de Natércia (MG), aos 50 anos, Freitas já era considerado doador diamante, o título mais alto da categoria, mas, nem por isso ele pretende parar. “Eu quero doar quatro vezes por ano. Eu tenho 53 anos atualmente, se eu fizer isso até os 65, que é até quando é permitido, eu doarei por mais 13 anos e serão mais 52 doações. Posso passar das 100”, acrescentou.



A Hilda Freitas, mulher dele, fica orgulhosa. Enfermeira aposentada, ela sabe da importância da marca de doações. “É muito gratificante pra gente, né? Eu não posso doar, já fui anêmica, já recebi transfusão de sangue, então pra mim é difícil, mas eu queria doar”, comentou.



Já pelas ruas da cidade, Aurélio recebe o reconhecimento dos amigos pelo que faz. “Ele tá na meia idade, né? Não é novo e nem velho e tem muita força e muita garra para que possa sempre fazer isso”, disse o pedreiro Ronaldo Rodrigues de Souza.



Veja Também