news:

Ciência & Tecnologia

‘Proibidões’: 7 apps polêmicos que foram barrados no iPhone e Android

Publicado por TV Minas em 27/11/2015

foto_principal.jpg

As lojas oficiais do iPhone e do Android possuem apps com conteúdos polêmicos, como apologia ao uso de drogas, erotismo e religião. A temática pode fazer com que um app seja retirado da App Store ou Google Play Store, como aconteceu recentemente com o Secret no Brasil. O programa de postagens anônimas foi retirado pela Apple após uma determinação judicial expedida no Espírito Santo.

 

Pode parecer que sim, mas o Secret não foi um caso isolado. Está curioso para conhecer outros programas um tanto quanto inusitados que foram removidos das lojas oficiais? Confira nesta lista especial de apps “proibidões”.

 

 

iSnort

 

O aplicativo, que permitia ao usuário simular perfeitamente o uso de cocaína, foi removido da Google Play Store e nem chegou a ser disponibilizado na App Store. Entretanto, o programa ainda pode ser comprado no site oficial dos desenvolvedores.

 

iSnort é um aplicativo que faz apologia ao uso de cocaína.

 

 

Confession

 

O programa possibilita a fiéis se confessar com os próprios smartphones e, em seguida, uma penitência é determinada pelo aplicativo. Como a Apple não permite apps de cunho religioso, o Confession foi removido da App Store, mas ainda pode ser encontrado na loja do Google.

 

Confession permite que usuários se confessem com o prórpio smartphone.

 

 

Secret

 

O aplicativo fez sucesso em 2014. Ele permitia que segredos fossem revelados de forma anônima na web. Após queixas de cyberbullying e reprodução de conteúdo pornográfico, o programa foi proibido no Brasil.

 

Secret: aplicativo polêmico foi proibido no Brasil.

 

 

Phone Story

 

O mini-jogo faz uma sátira pesada ao processo de produção de um smartphone. Entre as etapas, o jogador vai se deparar com a exploração infantil, os prejuízos causados ao meio ambiente e as condições de trabalho degradantes vividas pelos chineses.

 

Mesmo tendo sido aprovado inicialmente, o programa foi retirado da App Store alguns dias após a disponibilização para os usuários. Apesar disso, ele ainda pode ser comprado pelos donos de aparelhos Android.

 

Phone Story faz uma crítica ao processo de produção dos smartphones.

 

 

Baby Shake

 

Assustador. Essa palavra define o aplicativo Baby Shaker. O jogo consiste em acalmar um bebê que aparece chorando na tela do smartphone. O problema? O objetivo do game é que a criança morra, pois só assim o choro é cessado. O app foi retirado de ambas as lojas.

 

Baby Shaker é um app em que o jogador só vence quando consegue matar o bebê.

As lojas oficiais do iPhone e do Android possuem apps com conteúdos polêmicos, como apologia ao uso de drogas, erotismo e religião. A temática pode fazer com que um app seja retirado da App Store ou Google Play Store, como aconteceu recentemente com o Secret no Brasil. O programa de postagens anônimas foi retirado pela Apple após uma determinação judicial expedida no Espírito Santo.


 


Pode parecer que sim, mas o Secret não foi um caso isolado. Está curioso para conhecer outros programas um tanto quanto inusitados que foram removidos das lojas oficiais? Confira nesta lista especial de apps “proibidões”.


 


 


iSnort


 


O aplicativo, que permitia ao usuário simular perfeitamente o uso de cocaína, foi removido da Google Play Store e nem chegou a ser disponibilizado na App Store. Entretanto, o programa ainda pode ser comprado no site oficial dos desenvolvedores.


 


iSnort é um aplicativo que faz apologia ao uso de cocaína.


 


 


Confession


 


O programa possibilita a fiéis se confessar com os próprios smartphones e, em seguida, uma penitência é determinada pelo aplicativo. Como a Apple não permite apps de cunho religioso, o Confession foi removido da App Store, mas ainda pode ser encontrado na loja do Google.


 


Confession permite que usuários se confessem com o prórpio smartphone.


 


 


Secret


PATROCINADORES

 


O aplicativo fez sucesso em 2014. Ele permitia que segredos fossem revelados de forma anônima na web. Após queixas de cyberbullying e reprodução de conteúdo pornográfico, o programa foi proibido no Brasil.


 


Secret: aplicativo polêmico foi proibido no Brasil.


 


 


Phone Story


 


O mini-jogo faz uma sátira pesada ao processo de produção de um smartphone. Entre as etapas, o jogador vai se deparar com a exploração infantil, os prejuízos causados ao meio ambiente e as condições de trabalho degradantes vividas pelos chineses.


 


Mesmo tendo sido aprovado inicialmente, o programa foi retirado da App Store alguns dias após a disponibilização para os usuários. Apesar disso, ele ainda pode ser comprado pelos donos de aparelhos Android.


 


Phone Story faz uma crítica ao processo de produção dos smartphones.


 


 


Baby Shake


 


Assustador. Essa palavra define o aplicativo Baby Shaker. O jogo consiste em acalmar um bebê que aparece chorando na tela do smartphone. O problema? O objetivo do game é que a criança morra, pois só assim o choro é cessado. O app foi retirado de ambas as lojas.


 


Baby Shaker é um app em que o jogador só vence quando consegue matar o bebê.


As lojas oficiais do iPhone e do Android possuem apps com conteúdos polêmicos, como apologia ao uso de drogas, erotismo e religião. A temática pode fazer com que um app seja retirado da App Store ou Google Play Store, como aconteceu recentemente com o Secret no Brasil. O programa de postagens anônimas foi retirado pela Apple após uma determinação judicial expedida no Espírito Santo.



Pode parecer que sim, mas o Secret não foi um caso isolado. Está curioso para conhecer outros programas um tanto quanto inusitados que foram removidos das lojas oficiais? Confira nesta lista especial de apps “proibidões”.



iSnort



O aplicativo, que permitia ao usuário simular perfeitamente o uso de cocaína, foi removido da Google Play Store e nem chegou a ser disponibilizado na App Store. Entretanto, o programa ainda pode ser comprado no site oficial dos desenvolvedores.



iSnort é um aplicativo que faz apologia ao uso de cocaína.



Confession



PATROCINADORES

O programa possibilita a fiéis se confessar com os próprios smartphones e, em seguida, uma penitência é determinada pelo aplicativo. Como a Apple não permite apps de cunho religioso, o Confession foi removido da App Store, mas ainda pode ser encontrado na loja do Google.



Confession permite que usuários se confessem com o prórpio smartphone.



Secret



O aplicativo fez sucesso em 2014. Ele permitia que segredos fossem revelados de forma anônima na web. Após queixas de cyberbullying e reprodução de conteúdo pornográfico, o programa foi proibido no Brasil.



Secret: aplicativo polêmico foi proibido no Brasil.



PATROCINADORES

Phone Story



O mini-jogo faz uma sátira pesada ao processo de produção de um smartphone. Entre as etapas, o jogador vai se deparar com a exploração infantil, os prejuízos causados ao meio ambiente e as condições de trabalho degradantes vividas pelos chineses.



Mesmo tendo sido aprovado inicialmente, o programa foi retirado da App Store alguns dias após a disponibilização para os usuários. Apesar disso, ele ainda pode ser comprado pelos donos de aparelhos Android.



Phone Story faz uma crítica ao processo de produção dos smartphones.



Baby Shake



Assustador. Essa palavra define o aplicativo Baby Shaker. O jogo consiste em acalmar um bebê que aparece chorando na tela do smartphone. O problema? O objetivo do game é que a criança morra, pois só assim o choro é cessado. O app foi retirado de ambas as lojas.



Baby Shaker é um app em que o jogador só vence quando consegue matar o bebê.



Veja Também