news:

Sul de Minas

Comércio espera alta de até 30% na venda de espumantes no Sul de Minas

Publicado por TV Minas em 12/12/2015

foto_principal.jpg

Vinícola de Andradas já vendeu 40% da produção no último trimestre. Segundo produtor, espumantes tem procura bem superior a do vinho.

 

Presença certa nas festas de Natal, ano novo e nas confraternizações, o setor de espumantes é um dos poucos que não foi afetado pela crise, e as vinícolas e mercados esperam aumento nas vendas em relação ao último ano no Sul de Minas.

 

No último trimestre, a venda de vinhos, sucos de uva e espumantes teve aumento de 10% em relação ao mesmo período de 2014. Segundo o Instituto Brasileiro do Vinho, o crescimento dos espumantes é ainda maior, de 15%.

 

Uma vinícola de Andradas (MG) produz espumantes desde 2003. Já são 12 anos de vendas e a produção tem crescido. A fábrica deve fechar 2015 com uma produção de 80 mil litros da bebida.

 

Nos últimos três meses, a vinícola vendeu 40% da produção anual do espumante. A bebida segue, principalmente, para lojas e supermercados da região metropolitana de Belo Horizonte (MG), no Sul de Minas e no interior de São Paulo. E mesmo com o preço em torno de 10% mais alto em relação ao último ano, a expectativa é de aumento nas vendas."Tem números mais ou menos em torno de 30% a mais nesse produto. 30% a mais do que no ano passado. Vende mais do que o vinho", disse o dono da vinícola Michel Marcon.

 

Em um supermercado de Poços de Caldas (MG), a variedade de rótulos e preços surpreende. Tem espumante nacional e importado a partir de R$ 8. “"A expectativa é que cresça muito as vendas para este fim de ano. Em torno de duas ou trez vezes o consumo normal durante o ano. Em torno de 100, 150%", disse o gerente Paulo Pereira do Lago.

 

E nem a alta do dólar e a situação econômica do país tiram o otimismo do comerciante Jair Antônio Vieira Silva, que já reforçou o estoque para as vendas do período.  "O que supera isso tudo é que o consumidor está aprendendo a beber vinho, até pela alegria que ele dá. Ele tem vida. Ele tem aquela acidez, que dá vontade de continuar bebendo", disse.

Vinícola de Andradas já vendeu 40% da produção no último trimestre. Segundo produtor, espumantes tem procura bem superior a do vinho.


 


Presença certa nas festas de Natal, ano novo e nas confraternizações, o setor de espumantes é um dos poucos que não foi afetado pela crise, e as vinícolas e mercados esperam aumento nas vendas em relação ao último ano no Sul de Minas.


 


No último trimestre, a venda de vinhos, sucos de uva e espumantes teve aumento de 10% em relação ao mesmo período de 2014. Segundo o Instituto Brasileiro do Vinho, o crescimento dos espumantes é ainda maior, de 15%.


 


PATROCINADORES

Uma vinícola de Andradas (MG) produz espumantes desde 2003. Já são 12 anos de vendas e a produção tem crescido. A fábrica deve fechar 2015 com uma produção de 80 mil litros da bebida.


 


Nos últimos três meses, a vinícola vendeu 40% da produção anual do espumante. A bebida segue, principalmente, para lojas e supermercados da região metropolitana de Belo Horizonte (MG), no Sul de Minas e no interior de São Paulo. E mesmo com o preço em torno de 10% mais alto em relação ao último ano, a expectativa é de aumento nas vendas."Tem números mais ou menos em torno de 30% a mais nesse produto. 30% a mais do que no ano passado. Vende mais do que o vinho", disse o dono da vinícola Michel Marcon.


 


Em um supermercado de Poços de Caldas (MG), a variedade de rótulos e preços surpreende. Tem espumante nacional e importado a partir de R$ 8. “"A expectativa é que cresça muito as vendas para este fim de ano. Em torno de duas ou trez vezes o consumo normal durante o ano. Em torno de 100, 150%", disse o gerente Paulo Pereira do Lago.


 


E nem a alta do dólar e a situação econômica do país tiram o otimismo do comerciante Jair Antônio Vieira Silva, que já reforçou o estoque para as vendas do período.  "O que supera isso tudo é que o consumidor está aprendendo a beber vinho, até pela alegria que ele dá. Ele tem vida. Ele tem aquela acidez, que dá vontade de continuar bebendo", disse.


Vinícola de Andradas já vendeu 40% da produção no último trimestre. Segundo produtor, espumantes tem procura bem superior a do vinho.



Presença certa nas festas de Natal, ano novo e nas confraternizações, o setor de espumantes é um dos poucos que não foi afetado pela crise, e as vinícolas e mercados esperam aumento nas vendas em relação ao último ano no Sul de Minas.



No último trimestre, a venda de vinhos, sucos de uva e espumantes teve aumento de 10% em relação ao mesmo período de 2014. Segundo o Instituto Brasileiro do Vinho, o crescimento dos espumantes é ainda maior, de 15%.



PATROCINADORES

Uma vinícola de Andradas (MG) produz espumantes desde 2003. Já são 12 anos de vendas e a produção tem crescido. A fábrica deve fechar 2015 com uma produção de 80 mil litros da bebida.



Nos últimos três meses, a vinícola vendeu 40% da produção anual do espumante. A bebida segue, principalmente, para lojas e supermercados da região metropolitana de Belo Horizonte (MG), no Sul de Minas e no interior de São Paulo. E mesmo com o preço em torno de 10% mais alto em relação ao último ano, a expectativa é de aumento nas vendas."Tem números mais ou menos em torno de 30% a mais nesse produto. 30% a mais do que no ano passado. Vende mais do que o vinho", disse o dono da vinícola Michel Marcon.



Em um supermercado de Poços de Caldas (MG), a variedade de rótulos e preços surpreende. Tem espumante nacional e importado a partir de R$ 8. “"A expectativa é que cresça muito as vendas para este fim de ano. Em torno de duas ou trez vezes o consumo normal durante o ano. Em torno de 100, 150%", disse o gerente Paulo Pereira do Lago.



E nem a alta do dólar e a situação econômica do país tiram o otimismo do comerciante Jair Antônio Vieira Silva, que já reforçou o estoque para as vendas do período.  "O que supera isso tudo é que o consumidor está aprendendo a beber vinho, até pela alegria que ele dá. Ele tem vida. Ele tem aquela acidez, que dá vontade de continuar bebendo", disse.



Veja Também