news:

Notícias

Manifestantes protestam contra o impeachment de Dilma

Publicado por TV Minas em 17/12/2015

foto_principal.jpeg

Ao menos 42 cidades tiveram atos contra o pedido de impeachment. Polícia estimou 51 mil manifestantes; para organizadores, foram 292 mil.

 

Manifestações contra o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), aconteceram nesta quarta-feira (16) em ao menos 42 cidades de 25 estados do país e no Distrito Federal. A estimativa do total de manifestantes no Brasil foi de 51 mil pela Polícia Militar e 292 mil pelos organizadores. Os protestos ocorreram três dias depois de manifestações contra a presidente da República acontecerem no país.

 

Os atos desta quarta-feira tiveram diferentes adesões em relação aos de 20 de agosto, data das manifestações anteriores a favor de Dilma, quando foram estimadas 73 mil pessoas pela polícia e 190 mil por organizadores. 

 

As manifestações foram pacíficas, com poucos incidentes isolados em algumas cidades. Grande parte dos manifestantes vestia vermelho e levava cartazes contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), contra a corrupção e pelo fim do ajuste fiscal.

 

 

DISTRITO FEDERAL

 

Manifestantes contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff começaram a se reunir por volta das 16h desta quarta no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

 

A marcha começou pouco depois de a chefe do Executivo participar. dentro da arena da Conferência Nacional da Juventude. O ato ocorreu no dia em que o Supremo Tribunal Federal definea os ritos do procedimento de impeachment no Senado e foi convocado por entidades sindicais.

 

A Polícia Militar estimou a presença de 3 mil pessoas no local. Os organizadores disseram 15 mil.

 

 

RIO DE JANEIRO

 

Manifestantes se reuniram no fim da tarde na Cinelândia, no Centro do Rio. Estão à frente do protesto a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

 

A CUT divulgou que por volta das 18h calculava em 6 mil os manifestantes reunidos na Cinelândia.

 

A Polícia Militar não divulgou números em relação à presença de manifestantes. Por volta das 20h30, o público começou a se dispersar.

 

 

SÃO PAULO

 

Manifestantes se reuniram no vão livre do Masp e na ciclovia da Avenida Paulista. Todas as faixas da Avenida Paulista, no sentido Consolação, e a ciclovia, foram bloqueadas durante protesto. Os manifestantes usam bandeiras e abriram uma faixa com a frase "Fora Cunha", pedindo a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).
A Secretaria da Segurança Pública (SSP) estimou o público desta quarta em 3 mil pessoas. O

 

Instituto Datafolha calculou em 55 mil os participantes na manifestação. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) afirmou que havia 100 mil pessoas. O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) falou em 70 mil participantes. A União Nacional dos Estudantes (UNE) disse que cerca de 75 mil pessoas estiveram no ato.

 

Segundo a assessoria de imprensa da PM, a concentração começou às 14h30, no vão livre do Masp. Por volta das 17h30, o grupo ocupou totalmente a Avenida Paulista, em frente ao museu. Eles iniciaram caminhada em direção à Praça da República, no Centro. Às 20h40 eles já estavam na Praça da República.

Ao menos 42 cidades tiveram atos contra o pedido de impeachment. Polícia estimou 51 mil manifestantes; para organizadores, foram 292 mil.


 


Manifestações contra o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), aconteceram nesta quarta-feira (16) em ao menos 42 cidades de 25 estados do país e no Distrito Federal. A estimativa do total de manifestantes no Brasil foi de 51 mil pela Polícia Militar e 292 mil pelos organizadores. Os protestos ocorreram três dias depois de manifestações contra a presidente da República acontecerem no país.


 


Os atos desta quarta-feira tiveram diferentes adesões em relação aos de 20 de agosto, data das manifestações anteriores a favor de Dilma, quando foram estimadas 73 mil pessoas pela polícia e 190 mil por organizadores. 


 


As manifestações foram pacíficas, com poucos incidentes isolados em algumas cidades. Grande parte dos manifestantes vestia vermelho e levava cartazes contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), contra a corrupção e pelo fim do ajuste fiscal.


 


 


DISTRITO FEDERAL


 


Manifestantes contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff começaram a se reunir por volta das 16h desta quarta no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.


 


A marcha começou pouco depois de a chefe do Executivo participar. dentro da arena da Conferência Nacional da Juventude. O ato ocorreu no dia em que o Supremo Tribunal Federal definea os ritos do procedimento de impeachment no Senado e foi convocado por entidades sindicais.


 


A Polícia Militar estimou a presença de 3 mil pessoas no local. Os organizadores disseram 15 mil.


 


PATROCINADORES

 


RIO DE JANEIRO


 


Manifestantes se reuniram no fim da tarde na Cinelândia, no Centro do Rio. Estão à frente do protesto a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).


 


A CUT divulgou que por volta das 18h calculava em 6 mil os manifestantes reunidos na Cinelândia.


 


A Polícia Militar não divulgou números em relação à presença de manifestantes. Por volta das 20h30, o público começou a se dispersar.


 


 


SÃO PAULO


 


Manifestantes se reuniram no vão livre do Masp e na ciclovia da Avenida Paulista. Todas as faixas da Avenida Paulista, no sentido Consolação, e a ciclovia, foram bloqueadas durante protesto. Os manifestantes usam bandeiras e abriram uma faixa com a frase "Fora Cunha", pedindo a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).
A Secretaria da Segurança Pública (SSP) estimou o público desta quarta em 3 mil pessoas. O


 


Instituto Datafolha calculou em 55 mil os participantes na manifestação. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) afirmou que havia 100 mil pessoas. O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) falou em 70 mil participantes. A União Nacional dos Estudantes (UNE) disse que cerca de 75 mil pessoas estiveram no ato.


 


Segundo a assessoria de imprensa da PM, a concentração começou às 14h30, no vão livre do Masp. Por volta das 17h30, o grupo ocupou totalmente a Avenida Paulista, em frente ao museu. Eles iniciaram caminhada em direção à Praça da República, no Centro. Às 20h40 eles já estavam na Praça da República.


Ao menos 42 cidades tiveram atos contra o pedido de impeachment. Polícia estimou 51 mil manifestantes; para organizadores, foram 292 mil.



Manifestações contra o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), aconteceram nesta quarta-feira (16) em ao menos 42 cidades de 25 estados do país e no Distrito Federal. A estimativa do total de manifestantes no Brasil foi de 51 mil pela Polícia Militar e 292 mil pelos organizadores. Os protestos ocorreram três dias depois de manifestações contra a presidente da República acontecerem no país.



Os atos desta quarta-feira tiveram diferentes adesões em relação aos de 20 de agosto, data das manifestações anteriores a favor de Dilma, quando foram estimadas 73 mil pessoas pela polícia e 190 mil por organizadores. 



As manifestações foram pacíficas, com poucos incidentes isolados em algumas cidades. Grande parte dos manifestantes vestia vermelho e levava cartazes contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), contra a corrupção e pelo fim do ajuste fiscal.



DISTRITO FEDERAL



PATROCINADORES

Manifestantes contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff começaram a se reunir por volta das 16h desta quarta no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.



A marcha começou pouco depois de a chefe do Executivo participar. dentro da arena da Conferência Nacional da Juventude. O ato ocorreu no dia em que o Supremo Tribunal Federal definea os ritos do procedimento de impeachment no Senado e foi convocado por entidades sindicais.



A Polícia Militar estimou a presença de 3 mil pessoas no local. Os organizadores disseram 15 mil.



RIO DE JANEIRO



Manifestantes se reuniram no fim da tarde na Cinelândia, no Centro do Rio. Estão à frente do protesto a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).



PATROCINADORES

A CUT divulgou que por volta das 18h calculava em 6 mil os manifestantes reunidos na Cinelândia.



A Polícia Militar não divulgou números em relação à presença de manifestantes. Por volta das 20h30, o público começou a se dispersar.



SÃO PAULO



Manifestantes se reuniram no vão livre do Masp e na ciclovia da Avenida Paulista. Todas as faixas da Avenida Paulista, no sentido Consolação, e a ciclovia, foram bloqueadas durante protesto. Os manifestantes usam bandeiras e abriram uma faixa com a frase "Fora Cunha", pedindo a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).
A Secretaria da Segurança Pública (SSP) estimou o público desta quarta em 3 mil pessoas. O



Instituto Datafolha calculou em 55 mil os participantes na manifestação. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) afirmou que havia 100 mil pessoas. O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) falou em 70 mil participantes. A União Nacional dos Estudantes (UNE) disse que cerca de 75 mil pessoas estiveram no ato.



Segundo a assessoria de imprensa da PM, a concentração começou às 14h30, no vão livre do Masp. Por volta das 17h30, o grupo ocupou totalmente a Avenida Paulista, em frente ao museu. Eles iniciaram caminhada em direção à Praça da República, no Centro. Às 20h40 eles já estavam na Praça da República.



Veja Também