news:

Notícias

Relógio da Luz funciona após fogo no Museu da Língua Portuguesa, em SP

Publicado por TV Minas em 23/12/2015

foto_principal.jpg

Fogo não atingiu torre símbolo do prédio histórico da Estação da Luz. Incêndio começou no primeiro andar e destruiu telhado.

 

Apesar de o incêndio desta segunda-feira (21) destruir o telhado e boa parte do Museu da Língua Portuguesa, na região central de São Paulo, o relógio do complexo que inclui a Estação da Luz continua funcionando. As chamas não chegaram a atingir o relógio.

 

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Defesa Civil do município  ainda não informaram por quanto tempo a Estação da Luz ficará interditada. Eles vistoriam as condições estruturais do prédio que faz parte do Museu da Língua Portuguesa após o incêndio.

 

O coordenador geral da defesa civil do município, Milton Persoli, disse que o fogo começou no primeiro andar do Museu, em uma sala de exposições.

 

De acordo com o relato que um funcionário fez para a defesa civil, ele estava trocando uma luminária neste andar e quando retornou com a lâmpada nova o fogo já tinha começado.

 

O local é exatamente onde estão as três janelas que ficaram com marcas de fumaça na parte externa do edifício.

 

 

Incêndio no Museu da Língua Portuguesa.

 

 

A defesa civil do município já fez a vistoria e aguarda o trabalho do IPT para poder dizer por quanto tempo a Estação da Luz ficará fechada.

 

Por medida de segurança, os trens da CPTM não estão parando na estação da Luz.  estação de CPTM que funciona no local só será liberada após a realização da vistoria e desde que não haja riscos para os passageiros.

 

O engenheiro civil e pesquisador do IPT, José Theophilo, disse que foi feito um reconhecimento preliminar na noite desta segunda-feira, mas devido à falta de condições de visibilidade e de acesso, a vistoria ficou para a manhã desta terça (22). Para ele a prioridade são as condições da edificação.

 

"O próximo passo é verificar as partes mais afetadas do sinistro e relacionados à cobertura", afirmou. Questionado se a trepidação dos trens seria uma grande preocupação, ele negou. "Esse é um parâmetro secundário. No momento nós estamos preocupados só com as condições físicas da edificação", disse o engenheiro.

 

Nesta primeira fase da vistoria será feita a identificação visual. "Identificação das partes construtivas, das partes estruturais e as condições que elas apresentam", especificou. De acordo com o engenheiro, a principal preocupação é com a estabilidade dos painéis onde estavam ligadas estruturas destruídas. Não há previsão de quando tempo vai levar o trabalho.

 

Eles usam a escada dos bombeiros  para ter uma visão da parte superior do prédio.

 

 

Incêndio no Museu da Língua Portuguesa.

Fogo não atingiu torre símbolo do prédio histórico da Estação da Luz. Incêndio começou no primeiro andar e destruiu telhado.


 


Apesar de o incêndio desta segunda-feira (21) destruir o telhado e boa parte do Museu da Língua Portuguesa, na região central de São Paulo, o relógio do complexo que inclui a Estação da Luz continua funcionando. As chamas não chegaram a atingir o relógio.


 


O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Defesa Civil do município  ainda não informaram por quanto tempo a Estação da Luz ficará interditada. Eles vistoriam as condições estruturais do prédio que faz parte do Museu da Língua Portuguesa após o incêndio.


 


O coordenador geral da defesa civil do município, Milton Persoli, disse que o fogo começou no primeiro andar do Museu, em uma sala de exposições.


 


De acordo com o relato que um funcionário fez para a defesa civil, ele estava trocando uma luminária neste andar e quando retornou com a lâmpada nova o fogo já tinha começado.


 


O local é exatamente onde estão as três janelas que ficaram com marcas de fumaça na parte externa do edifício.


 


 


Incêndio no Museu da Língua Portuguesa.


 


PATROCINADORES

 


A defesa civil do município já fez a vistoria e aguarda o trabalho do IPT para poder dizer por quanto tempo a Estação da Luz ficará fechada.


 


Por medida de segurança, os trens da CPTM não estão parando na estação da Luz.  estação de CPTM que funciona no local só será liberada após a realização da vistoria e desde que não haja riscos para os passageiros.


 


O engenheiro civil e pesquisador do IPT, José Theophilo, disse que foi feito um reconhecimento preliminar na noite desta segunda-feira, mas devido à falta de condições de visibilidade e de acesso, a vistoria ficou para a manhã desta terça (22). Para ele a prioridade são as condições da edificação.


 


"O próximo passo é verificar as partes mais afetadas do sinistro e relacionados à cobertura", afirmou. Questionado se a trepidação dos trens seria uma grande preocupação, ele negou. "Esse é um parâmetro secundário. No momento nós estamos preocupados só com as condições físicas da edificação", disse o engenheiro.


 


Nesta primeira fase da vistoria será feita a identificação visual. "Identificação das partes construtivas, das partes estruturais e as condições que elas apresentam", especificou. De acordo com o engenheiro, a principal preocupação é com a estabilidade dos painéis onde estavam ligadas estruturas destruídas. Não há previsão de quando tempo vai levar o trabalho.


 


Eles usam a escada dos bombeiros  para ter uma visão da parte superior do prédio.


 


 


Incêndio no Museu da Língua Portuguesa.


Fogo não atingiu torre símbolo do prédio histórico da Estação da Luz. Incêndio começou no primeiro andar e destruiu telhado.



Apesar de o incêndio desta segunda-feira (21) destruir o telhado e boa parte do Museu da Língua Portuguesa, na região central de São Paulo, o relógio do complexo que inclui a Estação da Luz continua funcionando. As chamas não chegaram a atingir o relógio.



O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Defesa Civil do município  ainda não informaram por quanto tempo a Estação da Luz ficará interditada. Eles vistoriam as condições estruturais do prédio que faz parte do Museu da Língua Portuguesa após o incêndio.



O coordenador geral da defesa civil do município, Milton Persoli, disse que o fogo começou no primeiro andar do Museu, em uma sala de exposições.



De acordo com o relato que um funcionário fez para a defesa civil, ele estava trocando uma luminária neste andar e quando retornou com a lâmpada nova o fogo já tinha começado.



PATROCINADORES

O local é exatamente onde estão as três janelas que ficaram com marcas de fumaça na parte externa do edifício.



Incêndio no Museu da Língua Portuguesa.



A defesa civil do município já fez a vistoria e aguarda o trabalho do IPT para poder dizer por quanto tempo a Estação da Luz ficará fechada.



Por medida de segurança, os trens da CPTM não estão parando na estação da Luz.  estação de CPTM que funciona no local só será liberada após a realização da vistoria e desde que não haja riscos para os passageiros.



PATROCINADORES

O engenheiro civil e pesquisador do IPT, José Theophilo, disse que foi feito um reconhecimento preliminar na noite desta segunda-feira, mas devido à falta de condições de visibilidade e de acesso, a vistoria ficou para a manhã desta terça (22). Para ele a prioridade são as condições da edificação.



"O próximo passo é verificar as partes mais afetadas do sinistro e relacionados à cobertura", afirmou. Questionado se a trepidação dos trens seria uma grande preocupação, ele negou. "Esse é um parâmetro secundário. No momento nós estamos preocupados só com as condições físicas da edificação", disse o engenheiro.



Nesta primeira fase da vistoria será feita a identificação visual. "Identificação das partes construtivas, das partes estruturais e as condições que elas apresentam", especificou. De acordo com o engenheiro, a principal preocupação é com a estabilidade dos painéis onde estavam ligadas estruturas destruídas. Não há previsão de quando tempo vai levar o trabalho.



Eles usam a escada dos bombeiros  para ter uma visão da parte superior do prédio.



Incêndio no Museu da Língua Portuguesa.



Veja Também