news:

Notícias

Chuvas deixam mais de 160 mil desabrigados na América do Sul

Publicado por TV Minas em 27/12/2015

foto_principal.jpg

A forte chuva que atinge quatro países na América do Sul, incluindo o Brasil, provocou enchentes em diversas localidades e deixou mais de 160 mil pessoas desabrigadas. A maior parte das vítimas está no Paraguai, onde quase 130 mil pessoas tiveram de ser alojadas em abrigos improvisados pelas autoridades locais.

 

O rio Paraguai, um dos maiores da América do Sul, subiu 7,7 metros, atingindo o nível mais alto dos últimos 20 anos. Quatro pessoas morreram. Depois de decretar estado de emergência, o presidente Horacio Cartes anunciou que US$ 3,5 milhões serão destinados para auxiliar os desabrigados.

 

Na Argentina e no Uruguai, 20 mil pessoas tiveram que deixar suas casas, sendo 15 mil somente em cinco províncias do noroeste argentino, como Entre Ríos, Corrientes e Chaco. Duas pessoas morreram na região.

 

O presidente argentino, Mauricio Macri, disse que a ajuda social para áreas alagadas está sendo providenciada e que o governo trabalha em conjunto com as equipes de municípios e das províncias para dar uma resposta à situação, estudando o melhor uso dos recurso.

 

Macri sobrevoou algumas das regiões afetadas e viaja neste domingo (27) para Entre Ríos, onde participa de uma reunião do Comitê de Crise, que busca soluções para as inundações que afetaram a área da costa.

 

No Uruguai, quatro Estados estão em emergência. Duas pessoas morreram afogadas e 6,6 mil abandonaram suas casas no Norte do país.

 

 

Brasil

 

A chuva também atige o Rio Grande do Sul. De acordo com a Defesa Civil do Estado, chega a 40 o número de municípios atingidos pelas tempestades. O número de famílias que tiveram de deixar suas casas passou para 2.204.

 

No sábado (26), a presidente Dilma Rousseff sobrevoou a região que faz fronteira com a Argentina e o Uruguai e anunciou a liberação de R$ 6,6 milhões para ajuda às comunidades afetadas pelas inundações.

 

A enchente é a quinta e a pior deste ano na região. A cheia do Rio Quaraí já atingiu o recorde de 15,28 metros. A situação se agravou com a elevação do nível do Rio Uruguai. A forte chuva provocou a interrupção da colheita de arroz em Quaraí e levou à interdição, por 22 horas, da Ponte Internacional da Concórdia, entre o Brasil e o Uruguai, por Quaraí e Artigas.

A forte chuva que atinge quatro países na América do Sul, incluindo o Brasil, provocou enchentes em diversas localidades e deixou mais de 160 mil pessoas desabrigadas. A maior parte das vítimas está no Paraguai, onde quase 130 mil pessoas tiveram de ser alojadas em abrigos improvisados pelas autoridades locais.


 


O rio Paraguai, um dos maiores da América do Sul, subiu 7,7 metros, atingindo o nível mais alto dos últimos 20 anos. Quatro pessoas morreram. Depois de decretar estado de emergência, o presidente Horacio Cartes anunciou que US$ 3,5 milhões serão destinados para auxiliar os desabrigados.


 


Na Argentina e no Uruguai, 20 mil pessoas tiveram que deixar suas casas, sendo 15 mil somente em cinco províncias do noroeste argentino, como Entre Ríos, Corrientes e Chaco. Duas pessoas morreram na região.


 


O presidente argentino, Mauricio Macri, disse que a ajuda social para áreas alagadas está sendo providenciada e que o governo trabalha em conjunto com as equipes de municípios e das províncias para dar uma resposta à situação, estudando o melhor uso dos recurso.


 


Macri sobrevoou algumas das regiões afetadas e viaja neste domingo (27) para Entre Ríos, onde participa de uma reunião do Comitê de Crise, que busca soluções para as inundações que afetaram a área da costa.


 


PATROCINADORES

No Uruguai, quatro Estados estão em emergência. Duas pessoas morreram afogadas e 6,6 mil abandonaram suas casas no Norte do país.


 


 


Brasil


 


A chuva também atige o Rio Grande do Sul. De acordo com a Defesa Civil do Estado, chega a 40 o número de municípios atingidos pelas tempestades. O número de famílias que tiveram de deixar suas casas passou para 2.204.


 


No sábado (26), a presidente Dilma Rousseff sobrevoou a região que faz fronteira com a Argentina e o Uruguai e anunciou a liberação de R$ 6,6 milhões para ajuda às comunidades afetadas pelas inundações.


 


A enchente é a quinta e a pior deste ano na região. A cheia do Rio Quaraí já atingiu o recorde de 15,28 metros. A situação se agravou com a elevação do nível do Rio Uruguai. A forte chuva provocou a interrupção da colheita de arroz em Quaraí e levou à interdição, por 22 horas, da Ponte Internacional da Concórdia, entre o Brasil e o Uruguai, por Quaraí e Artigas.


A forte chuva que atinge quatro países na América do Sul, incluindo o Brasil, provocou enchentes em diversas localidades e deixou mais de 160 mil pessoas desabrigadas. A maior parte das vítimas está no Paraguai, onde quase 130 mil pessoas tiveram de ser alojadas em abrigos improvisados pelas autoridades locais.



O rio Paraguai, um dos maiores da América do Sul, subiu 7,7 metros, atingindo o nível mais alto dos últimos 20 anos. Quatro pessoas morreram. Depois de decretar estado de emergência, o presidente Horacio Cartes anunciou que US$ 3,5 milhões serão destinados para auxiliar os desabrigados.



Na Argentina e no Uruguai, 20 mil pessoas tiveram que deixar suas casas, sendo 15 mil somente em cinco províncias do noroeste argentino, como Entre Ríos, Corrientes e Chaco. Duas pessoas morreram na região.



PATROCINADORES

O presidente argentino, Mauricio Macri, disse que a ajuda social para áreas alagadas está sendo providenciada e que o governo trabalha em conjunto com as equipes de municípios e das províncias para dar uma resposta à situação, estudando o melhor uso dos recurso.



Macri sobrevoou algumas das regiões afetadas e viaja neste domingo (27) para Entre Ríos, onde participa de uma reunião do Comitê de Crise, que busca soluções para as inundações que afetaram a área da costa.



No Uruguai, quatro Estados estão em emergência. Duas pessoas morreram afogadas e 6,6 mil abandonaram suas casas no Norte do país.



PATROCINADORES

Brasil



A chuva também atige o Rio Grande do Sul. De acordo com a Defesa Civil do Estado, chega a 40 o número de municípios atingidos pelas tempestades. O número de famílias que tiveram de deixar suas casas passou para 2.204.



No sábado (26), a presidente Dilma Rousseff sobrevoou a região que faz fronteira com a Argentina e o Uruguai e anunciou a liberação de R$ 6,6 milhões para ajuda às comunidades afetadas pelas inundações.



A enchente é a quinta e a pior deste ano na região. A cheia do Rio Quaraí já atingiu o recorde de 15,28 metros. A situação se agravou com a elevação do nível do Rio Uruguai. A forte chuva provocou a interrupção da colheita de arroz em Quaraí e levou à interdição, por 22 horas, da Ponte Internacional da Concórdia, entre o Brasil e o Uruguai, por Quaraí e Artigas.



Veja Também