news:

Notícias

Israel descobre parte oculta do Muro das Lamentações

Publicado por TV Minas em 17/10/2017

foto_principal.jpg

Além de 8 metros do muro ocidental, os arqueólogos desenterraram um pequeno teatro romano oculto há 1.700 anos.

 

Arqueólogos israelenses apresentaram nesta segunda-feira, 16, uma parte oculta do Muro das Lamentações, descoberta recentemente, e os vestígios do primeiro edifício público romano encontrado na Cidade Velha de Jerusalém.

 

O arqueólogo Joe Uziel, que participou das escavações, afirmou que ele e seus colegas sabiam da existência de uma parte não descoberta do Muro das Lamentações e esperavam encontrar uma rua romana em sua base. “Mas à medida que cavávamos, fomos percebendo que não conseguíamos encontrar a rua. Em vez disso, descobrimos um edifício circular”, declarou à imprensa.

 

“Percebemos que, na verdade, estávamos descobrindo uma estrutura do tipo teatro (romano)”, acrescentou Uziel. O uso de carbono 14 e outros métodos de datação permitiu determinar que o edifício remonta ao século II ou III da nossa era, mas sua construção nunca foi concluída.

 

A Autoridade de Antiguidades de Israel, responsável pelas escavações no local nos últimos dois anos, afirmou que em suas pesquisas encontraram várias fontes históricas que mencionavam a existência do edifício, mas foi necessário um século e meio de pesquisas arqueológicas modernas para encontrá-lo.

 

A parte do Muro das lamentações descoberta tem 15 metros de largura e 8 de altura. As pedras utilizadas em sua construção estão bem preservadas, embora o conjunto tenha permanecido debaixo de oito metros de terra durante 17 séculos. Já o pequeno teatro tem capacidade para um público de 200 pessoas.

 

Ao contrário de outros grandes teatros romanos, como o de Cesareia, também em Israel, a construção encontrada parece se tratar de um odeão utilizado para interpretações acústicas, ou um bouleuterion onde se reunia o conselho da cidade. Os arqueólogos israelenses acreditam que o teatro nunca foi utilizado porque as escadas não estão completas e que o mesmo foi abandonado possivelmente devido à revolta judaica contra o Império Romano.

 

O Muro das Lamentações é o único vestígio de um muro de contenção do Segundo Templo judaico de Jerusalém destruído pelos romanos no ano 70 de nossa era. Junto a essa construção se estende o Monte do Templo, o lugar mais sagrado do judaísmo, conhecido como Esplanada das Mesquitas pelos muçulmanos, que o consideram o terceiro lugar mais sagrado da sua religião.

 

A Cidade Velha se encontra em Jerusalém Oriental, a parte palestina da localidade ocupada e anexada por Israel.

Além de 8 metros do muro ocidental, os arqueólogos desenterraram um pequeno teatro romano oculto há 1.700 anos.


 


Arqueólogos israelenses apresentaram nesta segunda-feira, 16, uma parte oculta do Muro das Lamentações, descoberta recentemente, e os vestígios do primeiro edifício público romano encontrado na Cidade Velha de Jerusalém.


 


O arqueólogo Joe Uziel, que participou das escavações, afirmou que ele e seus colegas sabiam da existência de uma parte não descoberta do Muro das Lamentações e esperavam encontrar uma rua romana em sua base. “Mas à medida que cavávamos, fomos percebendo que não conseguíamos encontrar a rua. Em vez disso, descobrimos um edifício circular”, declarou à imprensa.


 


“Percebemos que, na verdade, estávamos descobrindo uma estrutura do tipo teatro (romano)”, acrescentou Uziel. O uso de carbono 14 e outros métodos de datação permitiu determinar que o edifício remonta ao século II ou III da nossa era, mas sua construção nunca foi concluída.


 


PATROCINADORES

A Autoridade de Antiguidades de Israel, responsável pelas escavações no local nos últimos dois anos, afirmou que em suas pesquisas encontraram várias fontes históricas que mencionavam a existência do edifício, mas foi necessário um século e meio de pesquisas arqueológicas modernas para encontrá-lo.


 


A parte do Muro das lamentações descoberta tem 15 metros de largura e 8 de altura. As pedras utilizadas em sua construção estão bem preservadas, embora o conjunto tenha permanecido debaixo de oito metros de terra durante 17 séculos. Já o pequeno teatro tem capacidade para um público de 200 pessoas.


 


Ao contrário de outros grandes teatros romanos, como o de Cesareia, também em Israel, a construção encontrada parece se tratar de um odeão utilizado para interpretações acústicas, ou um bouleuterion onde se reunia o conselho da cidade. Os arqueólogos israelenses acreditam que o teatro nunca foi utilizado porque as escadas não estão completas e que o mesmo foi abandonado possivelmente devido à revolta judaica contra o Império Romano.


 


O Muro das Lamentações é o único vestígio de um muro de contenção do Segundo Templo judaico de Jerusalém destruído pelos romanos no ano 70 de nossa era. Junto a essa construção se estende o Monte do Templo, o lugar mais sagrado do judaísmo, conhecido como Esplanada das Mesquitas pelos muçulmanos, que o consideram o terceiro lugar mais sagrado da sua religião.


 


A Cidade Velha se encontra em Jerusalém Oriental, a parte palestina da localidade ocupada e anexada por Israel.


Além de 8 metros do muro ocidental, os arqueólogos desenterraram um pequeno teatro romano oculto há 1.700 anos.



Arqueólogos israelenses apresentaram nesta segunda-feira, 16, uma parte oculta do Muro das Lamentações, descoberta recentemente, e os vestígios do primeiro edifício público romano encontrado na Cidade Velha de Jerusalém.



O arqueólogo Joe Uziel, que participou das escavações, afirmou que ele e seus colegas sabiam da existência de uma parte não descoberta do Muro das Lamentações e esperavam encontrar uma rua romana em sua base. “Mas à medida que cavávamos, fomos percebendo que não conseguíamos encontrar a rua. Em vez disso, descobrimos um edifício circular”, declarou à imprensa.



PATROCINADORES

“Percebemos que, na verdade, estávamos descobrindo uma estrutura do tipo teatro (romano)”, acrescentou Uziel. O uso de carbono 14 e outros métodos de datação permitiu determinar que o edifício remonta ao século II ou III da nossa era, mas sua construção nunca foi concluída.



A Autoridade de Antiguidades de Israel, responsável pelas escavações no local nos últimos dois anos, afirmou que em suas pesquisas encontraram várias fontes históricas que mencionavam a existência do edifício, mas foi necessário um século e meio de pesquisas arqueológicas modernas para encontrá-lo.



PATROCINADORES

A parte do Muro das lamentações descoberta tem 15 metros de largura e 8 de altura. As pedras utilizadas em sua construção estão bem preservadas, embora o conjunto tenha permanecido debaixo de oito metros de terra durante 17 séculos. Já o pequeno teatro tem capacidade para um público de 200 pessoas.



Ao contrário de outros grandes teatros romanos, como o de Cesareia, também em Israel, a construção encontrada parece se tratar de um odeão utilizado para interpretações acústicas, ou um bouleuterion onde se reunia o conselho da cidade. Os arqueólogos israelenses acreditam que o teatro nunca foi utilizado porque as escadas não estão completas e que o mesmo foi abandonado possivelmente devido à revolta judaica contra o Império Romano.



O Muro das Lamentações é o único vestígio de um muro de contenção do Segundo Templo judaico de Jerusalém destruído pelos romanos no ano 70 de nossa era. Junto a essa construção se estende o Monte do Templo, o lugar mais sagrado do judaísmo, conhecido como Esplanada das Mesquitas pelos muçulmanos, que o consideram o terceiro lugar mais sagrado da sua religião.



A Cidade Velha se encontra em Jerusalém Oriental, a parte palestina da localidade ocupada e anexada por Israel.



Veja Também