news:

Bem Estar

Por que listas fazem bem à saúde e à carreira profissional

Publicado por TV Minas em 17/10/2017

foto_principal.jpg

Ansiedade, procrastinação e falta de confiança são as maiores inimigas da produtividade  e tais relações podem ajudar a resolvê-las.

 

De acordo com um estudo publicado no periódico científico Journal of Personality and Social Psychology, o próprio ato de planejar pode ajudar a conter a ansiedade dos objetivos a serem cumpridos.

 

Ainda, segundo informações da BBC, o hábito de fazer resoluções de ano novo, planejamento de tarefas e até mesmo listas de compras podem trazer benefícios.

 

Veja abaixo algumas razões pelas quais isso acontece.

 

 

Memória

 

Nem sempre temos espaço suficiente no cérebro. De acordo com o neurocietista Daniel Levitin, só conseguimos ter quatro pensamentos de forma simultânea. Dessa forma, quando fazemos listas, conseguimos gerenciar nossa memória e nosso tempo reservando ideias para mais tarde. Além disso, nos livramos da preocupação de que estamos esquecendo algo.

 

 

Melhor desempenho

 

De acordo com estudos feitos pelo psicólogo Jordan Peterson, estudantes têm um desempenho melhor quando refletem sobre seus hábitos e estabelecem metas para o futuro. Quando as pessoas traçam seus objetivos, assim como metas pessoais de longo prazo, de maneira linear, desafiadora e realista, elas conseguem aumentar em 10% a produtividade.

 

 

Mais economia

 

As listas de supermercado são conhecidas aliadas da economia na hora das compras. Ao determinar exatamente o que você precisa comprar naquele momento, você evita adquirir produtos por impulso ou coisas desnecessárias. No entanto, isso também exige uma dose de autocontrole.

 

 

Autoestima

 

Fazer listas elevam a autoestima e a autoconfiança. Se você não estiver satisfeito com alguma coisa na vida, uma boa forma de melhorar é listar aspectos positivos sobre o assunto, desde sucessos acadêmicos até conquistas pessoais. A Mind, organização não-governamental de combate a doenças mentais, do Reino Unido, recomenda, em momentos de baixo autoestima, fazer uma lista com 50 coisas que gostamos a respeito de nós mesmos — ainda que este exercício leve dias para ser finalizado.Depois de feita, devemos ler um tópico a cada dia, compreender e valorizar determinada qualidade.

 

 

Menos esquecimentos

 

Fazer a “checklist“, aquela lista de tarefas que vamos reduzindo conforme realizamos, pode ter diversas funcionalidades, seja nas compras, na organização de um evento, na limpeza da casa ou nos preparativos de uma viagem. Ao fazê-la, você dificilmente esquecerá de comprar algum ingrediente da receita ou um documento importante. Nos Estados Unidos, as “checklists” são bastante utilizadas em hospitais afim de evitar acidentes em cirurgias, por exemplo.

 

 

Menos procrastinação

 

Algo pode estar atrapalhando a sua produtividade sem você perceber. Isso se chama  ‘efeito Zeigarnik’: quando nosso cérebro, programado para ter o menor esforço possível, nos recorda de tarefas menos importantes (e mais fáceis) que deixamos em aberto, nos levando a adiar as outras e aumentar a sensação de incompletude que sentimos ao procrastinar. Para evitar esse efeito, especialistas sugerem que façamos uma lista com todos nossos objetivos não cumpridos, focando nas mais urgentes.

Ansiedade, procrastinação e falta de confiança são as maiores inimigas da produtividade  e tais relações podem ajudar a resolvê-las.


 


De acordo com um estudo publicado no periódico científico Journal of Personality and Social Psychology, o próprio ato de planejar pode ajudar a conter a ansiedade dos objetivos a serem cumpridos.


 


Ainda, segundo informações da BBC, o hábito de fazer resoluções de ano novo, planejamento de tarefas e até mesmo listas de compras podem trazer benefícios.


 


Veja abaixo algumas razões pelas quais isso acontece.


 


 


Memória


 


Nem sempre temos espaço suficiente no cérebro. De acordo com o neurocietista Daniel Levitin, só conseguimos ter quatro pensamentos de forma simultânea. Dessa forma, quando fazemos listas, conseguimos gerenciar nossa memória e nosso tempo reservando ideias para mais tarde. Além disso, nos livramos da preocupação de que estamos esquecendo algo.


 


 


Melhor desempenho


 


De acordo com estudos feitos pelo psicólogo Jordan Peterson, estudantes têm um desempenho melhor quando refletem sobre seus hábitos e estabelecem metas para o futuro. Quando as pessoas traçam seus objetivos, assim como metas pessoais de longo prazo, de maneira linear, desafiadora e realista, elas conseguem aumentar em 10% a produtividade.


 


PATROCINADORES

 


Mais economia


 


As listas de supermercado são conhecidas aliadas da economia na hora das compras. Ao determinar exatamente o que você precisa comprar naquele momento, você evita adquirir produtos por impulso ou coisas desnecessárias. No entanto, isso também exige uma dose de autocontrole.


 


 


Autoestima


 


Fazer listas elevam a autoestima e a autoconfiança. Se você não estiver satisfeito com alguma coisa na vida, uma boa forma de melhorar é listar aspectos positivos sobre o assunto, desde sucessos acadêmicos até conquistas pessoais. A Mind, organização não-governamental de combate a doenças mentais, do Reino Unido, recomenda, em momentos de baixo autoestima, fazer uma lista com 50 coisas que gostamos a respeito de nós mesmos — ainda que este exercício leve dias para ser finalizado.Depois de feita, devemos ler um tópico a cada dia, compreender e valorizar determinada qualidade.


 


 


Menos esquecimentos


 


Fazer a “checklist“, aquela lista de tarefas que vamos reduzindo conforme realizamos, pode ter diversas funcionalidades, seja nas compras, na organização de um evento, na limpeza da casa ou nos preparativos de uma viagem. Ao fazê-la, você dificilmente esquecerá de comprar algum ingrediente da receita ou um documento importante. Nos Estados Unidos, as “checklists” são bastante utilizadas em hospitais afim de evitar acidentes em cirurgias, por exemplo.


 


 


Menos procrastinação


 


Algo pode estar atrapalhando a sua produtividade sem você perceber. Isso se chama  ‘efeito Zeigarnik’: quando nosso cérebro, programado para ter o menor esforço possível, nos recorda de tarefas menos importantes (e mais fáceis) que deixamos em aberto, nos levando a adiar as outras e aumentar a sensação de incompletude que sentimos ao procrastinar. Para evitar esse efeito, especialistas sugerem que façamos uma lista com todos nossos objetivos não cumpridos, focando nas mais urgentes.


Ansiedade, procrastinação e falta de confiança são as maiores inimigas da produtividade  e tais relações podem ajudar a resolvê-las.



De acordo com um estudo publicado no periódico científico Journal of Personality and Social Psychology, o próprio ato de planejar pode ajudar a conter a ansiedade dos objetivos a serem cumpridos.



Ainda, segundo informações da BBC, o hábito de fazer resoluções de ano novo, planejamento de tarefas e até mesmo listas de compras podem trazer benefícios.



Veja abaixo algumas razões pelas quais isso acontece.



Memória



Nem sempre temos espaço suficiente no cérebro. De acordo com o neurocietista Daniel Levitin, só conseguimos ter quatro pensamentos de forma simultânea. Dessa forma, quando fazemos listas, conseguimos gerenciar nossa memória e nosso tempo reservando ideias para mais tarde. Além disso, nos livramos da preocupação de que estamos esquecendo algo.



PATROCINADORES

Melhor desempenho



De acordo com estudos feitos pelo psicólogo Jordan Peterson, estudantes têm um desempenho melhor quando refletem sobre seus hábitos e estabelecem metas para o futuro. Quando as pessoas traçam seus objetivos, assim como metas pessoais de longo prazo, de maneira linear, desafiadora e realista, elas conseguem aumentar em 10% a produtividade.



Mais economia



As listas de supermercado são conhecidas aliadas da economia na hora das compras. Ao determinar exatamente o que você precisa comprar naquele momento, você evita adquirir produtos por impulso ou coisas desnecessárias. No entanto, isso também exige uma dose de autocontrole.



PATROCINADORES

Autoestima



Fazer listas elevam a autoestima e a autoconfiança. Se você não estiver satisfeito com alguma coisa na vida, uma boa forma de melhorar é listar aspectos positivos sobre o assunto, desde sucessos acadêmicos até conquistas pessoais. A Mind, organização não-governamental de combate a doenças mentais, do Reino Unido, recomenda, em momentos de baixo autoestima, fazer uma lista com 50 coisas que gostamos a respeito de nós mesmos — ainda que este exercício leve dias para ser finalizado.Depois de feita, devemos ler um tópico a cada dia, compreender e valorizar determinada qualidade.



Menos esquecimentos



Fazer a “checklist“, aquela lista de tarefas que vamos reduzindo conforme realizamos, pode ter diversas funcionalidades, seja nas compras, na organização de um evento, na limpeza da casa ou nos preparativos de uma viagem. Ao fazê-la, você dificilmente esquecerá de comprar algum ingrediente da receita ou um documento importante. Nos Estados Unidos, as “checklists” são bastante utilizadas em hospitais afim de evitar acidentes em cirurgias, por exemplo.



Menos procrastinação



Algo pode estar atrapalhando a sua produtividade sem você perceber. Isso se chama  ‘efeito Zeigarnik’: quando nosso cérebro, programado para ter o menor esforço possível, nos recorda de tarefas menos importantes (e mais fáceis) que deixamos em aberto, nos levando a adiar as outras e aumentar a sensação de incompletude que sentimos ao procrastinar. Para evitar esse efeito, especialistas sugerem que façamos uma lista com todos nossos objetivos não cumpridos, focando nas mais urgentes.



Veja Também