news:

Entretenimento e Curiosidade

Conheça os 'Culatori', homens que se deformam pela fé

Publicado por TV Minas em 04/01/2016

foto_principal.jpg

Tudo pela Fé: Conheça os ‘culatori’, homens que se deformam ao carregar estruturas de 900 kg nas costas em festival religioso.

 

Todos os anos, na cidade de Nola, perto de Nápoles, no sul da Itália, centenas de homens movidos pela fé, acabam deformando seus corpos em nome de sua religião.

 

A anual Festa dei Gigli, ou Festival de Lírios, atrai milhares de visitantes - muitos dos quais vêm apenas para assistir os moradores locais transportar oito estruturas de 82 metros, pesando, aproximadamente, 910 kg, ao redor da cidade. 

 

O enorme esforço deixa os homens com calos horríveis sobre seus ombros, que ao invés de escondê-los, são orgulhosamente expostos, como símbolo de sacrifício e devoção religiosa.

 

Apesar de parecer estranho, a cerimônia vem ocorrendo em Nola há mais de 1.500 anos. Os homens que participam do desfile, são chamados de ‘cullatori’. 

 

O Festival de Lírios é dedicado a São Paulino, que segundo a tradição, desistiu de sua liberdade e de todos os seus bens para salvar os cidadãos de Nola, durante a Invasão de Visigodo em 410 d.C.

 

 

Multidão: a festa anual atrai milhares de visitantes.

 

 

Este ano, o Festival de Lírios foi finalmente agraciado com o status de proteção da UNESCO - ou seja, os organizadores agora recebem uma pequena quantidade de dinheiro da ONU anualmente para garantir que tradição nunca morra.

 

Conhecido como Gigli - ou lírios - as estruturas gigantes são realizadas ao som de músicas religiosa e tradicionais canções folclóricas napolitanas.

 

Para piorar a situação, crianças e músicos sobem nessas estruturas em formato de plataforma, enquanto elas são transportadas pelas ruas estreitas até circundarem a Piazza del Duomo, no centro de Nola.

 

 

Motivação: as estruturas gigantes são carregadas ao som de músicas religiosas e canções folclóricas e regionais.

 

 

O fotógrafo Antonio Busiello capturou as imagens marcantes dos Cullatori - inclusive com uma de suas imagens ganhando a medalha de ouro em uma exposição fotográfica em 2013. 

 

Busiello diz que se orgulha de ter tirado as imagens premiadas e diz que admira a falta de vaidade dos participantes. “Em uma época onde muitos de nós estão obcecados com a aparência, os cullatori são felizes por deformar-se em prol da religião e da tradição”, diz ele. "Fiquei impressionado pela forma como orgulhosamente, apesar dos padrões de beleza de nosso tempo, eles usam seus calos enormes como símbolos de seu sacrifício e devoção a São Paulino”, declarou o fotógrafo.

 

O Festival de Lírios começa sempre no domingo que antecede a data de 22 de junho e dura sete dias. Ao contrário de muitas celebrações religiosas realizadas na Itália rural, a tradição não mostra nenhum sinal de extinção. Com o novo apoio financeiro da UNESCO, acredita-se que, anualmente, um em cada 120 jovens torne-se um ‘cullatori’.

 

 

Assista a uma demostração da festa:

 

Tudo pela Fé: Conheça os ‘culatori’, homens que se deformam ao carregar estruturas de 900 kg nas costas em festival religioso.


 


Todos os anos, na cidade de Nola, perto de Nápoles, no sul da Itália, centenas de homens movidos pela fé, acabam deformando seus corpos em nome de sua religião.


 


A anual Festa dei Gigli, ou Festival de Lírios, atrai milhares de visitantes - muitos dos quais vêm apenas para assistir os moradores locais transportar oito estruturas de 82 metros, pesando, aproximadamente, 910 kg, ao redor da cidade. 


 


O enorme esforço deixa os homens com calos horríveis sobre seus ombros, que ao invés de escondê-los, são orgulhosamente expostos, como símbolo de sacrifício e devoção religiosa.


 


Apesar de parecer estranho, a cerimônia vem ocorrendo em Nola há mais de 1.500 anos. Os homens que participam do desfile, são chamados de ‘cullatori’. 


 


O Festival de Lírios é dedicado a São Paulino, que segundo a tradição, desistiu de sua liberdade e de todos os seus bens para salvar os cidadãos de Nola, durante a Invasão de Visigodo em 410 d.C.


 


 


Multidão: a festa anual atrai milhares de visitantes.


 


 


Este ano, o Festival de Lírios foi finalmente agraciado com o status de proteção da UNESCO - ou seja, os organizadores agora recebem uma pequena quantidade de dinheiro da ONU anualmente para garantir que tradição nunca morra.


 


PATROCINADORES

Conhecido como Gigli - ou lírios - as estruturas gigantes são realizadas ao som de músicas religiosa e tradicionais canções folclóricas napolitanas.


 


Para piorar a situação, crianças e músicos sobem nessas estruturas em formato de plataforma, enquanto elas são transportadas pelas ruas estreitas até circundarem a Piazza del Duomo, no centro de Nola.


 


 


Motivação: as estruturas gigantes são carregadas ao som de músicas religiosas e canções folclóricas e regionais.


 


 


O fotógrafo Antonio Busiello capturou as imagens marcantes dos Cullatori - inclusive com uma de suas imagens ganhando a medalha de ouro em uma exposição fotográfica em 2013. 


 


Busiello diz que se orgulha de ter tirado as imagens premiadas e diz que admira a falta de vaidade dos participantes. “Em uma época onde muitos de nós estão obcecados com a aparência, os cullatori são felizes por deformar-se em prol da religião e da tradição”, diz ele. "Fiquei impressionado pela forma como orgulhosamente, apesar dos padrões de beleza de nosso tempo, eles usam seus calos enormes como símbolos de seu sacrifício e devoção a São Paulino”, declarou o fotógrafo.


 


O Festival de Lírios começa sempre no domingo que antecede a data de 22 de junho e dura sete dias. Ao contrário de muitas celebrações religiosas realizadas na Itália rural, a tradição não mostra nenhum sinal de extinção. Com o novo apoio financeiro da UNESCO, acredita-se que, anualmente, um em cada 120 jovens torne-se um ‘cullatori’.


 


 


Assista a uma demostração da festa:


 



Tudo pela Fé: Conheça os ‘culatori’, homens que se deformam ao carregar estruturas de 900 kg nas costas em festival religioso.



Todos os anos, na cidade de Nola, perto de Nápoles, no sul da Itália, centenas de homens movidos pela fé, acabam deformando seus corpos em nome de sua religião.



A anual Festa dei Gigli, ou Festival de Lírios, atrai milhares de visitantes - muitos dos quais vêm apenas para assistir os moradores locais transportar oito estruturas de 82 metros, pesando, aproximadamente, 910 kg, ao redor da cidade. 



O enorme esforço deixa os homens com calos horríveis sobre seus ombros, que ao invés de escondê-los, são orgulhosamente expostos, como símbolo de sacrifício e devoção religiosa.



Apesar de parecer estranho, a cerimônia vem ocorrendo em Nola há mais de 1.500 anos. Os homens que participam do desfile, são chamados de ‘cullatori’. 



O Festival de Lírios é dedicado a São Paulino, que segundo a tradição, desistiu de sua liberdade e de todos os seus bens para salvar os cidadãos de Nola, durante a Invasão de Visigodo em 410 d.C.



PATROCINADORES

Multidão: a festa anual atrai milhares de visitantes.



Este ano, o Festival de Lírios foi finalmente agraciado com o status de proteção da UNESCO - ou seja, os organizadores agora recebem uma pequena quantidade de dinheiro da ONU anualmente para garantir que tradição nunca morra.



Conhecido como Gigli - ou lírios - as estruturas gigantes são realizadas ao som de músicas religiosa e tradicionais canções folclóricas napolitanas.



Para piorar a situação, crianças e músicos sobem nessas estruturas em formato de plataforma, enquanto elas são transportadas pelas ruas estreitas até circundarem a Piazza del Duomo, no centro de Nola.



Motivação: as estruturas gigantes são carregadas ao som de músicas religiosas e canções folclóricas e regionais.



PATROCINADORES

O fotógrafo Antonio Busiello capturou as imagens marcantes dos Cullatori - inclusive com uma de suas imagens ganhando a medalha de ouro em uma exposição fotográfica em 2013. 



Busiello diz que se orgulha de ter tirado as imagens premiadas e diz que admira a falta de vaidade dos participantes. “Em uma época onde muitos de nós estão obcecados com a aparência, os cullatori são felizes por deformar-se em prol da religião e da tradição”, diz ele. "Fiquei impressionado pela forma como orgulhosamente, apesar dos padrões de beleza de nosso tempo, eles usam seus calos enormes como símbolos de seu sacrifício e devoção a São Paulino”, declarou o fotógrafo.



O Festival de Lírios começa sempre no domingo que antecede a data de 22 de junho e dura sete dias. Ao contrário de muitas celebrações religiosas realizadas na Itália rural, a tradição não mostra nenhum sinal de extinção. Com o novo apoio financeiro da UNESCO, acredita-se que, anualmente, um em cada 120 jovens torne-se um ‘cullatori’.



Assista a uma demostração da festa:





Veja Também