news:

Notícias

Venda de veículos cai 26,55% em 2015, o 3º ano seguido de baixa

Publicado por TV Minas em 06/01/2016

foto_principal.jpg

Mercado brasileiro volta ao nível de vendas de 2007. Foram emplacados 2,5 milhões de veículos no ano passado.

 

As vendas de carros, caminhões e ônibus caíram 26,55% em 2015 em relação ao ano passado, informou a federação dos concessionários, a Fenabrave, nesta quarta-feira (6). Foram emplacados 2.569.014 veículos - as motos são contadas à parte.

 

Foi o terceiro ano seguido de baixa, porém, mais aguda que nos períodos anteriores. Em 2014, o declínio foi de 7,15% sobre 2013, com 3.497.810 emplacamentos.

 

É a primeira vez, desde 2009, que o país não vende mais de 3 milhões unidades, e o pior resultado no ano desde 2007, quando foram comercializadas 2,46 milhões de unidades.

 

"A crise política prejudicou e causou a falta de confiança do consumidor", disse o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção. O executivo também citou o aumento do desemprego na cadeia produtiva, alta do dólar e baixa do PIB como motivos que afetaram as vendas em 2015.

 

 

Por segmentos

 

O segmento de carros, que engloba automóveis e comerciais leves (SUVs, picapes e furgões), acumulou 2.476.904 unidades, o que representa recuo de 25% em relação a 2014, quando o número chegou a 3,32 milhões.

 

Mas o setor de veículos pesados foi o que mais sofreu no ano passado. As vendas de caminhões caíram quase pela metade (47,6%), para 71.787 unidades, enquanto as de ônibus encolheram 36,5%, para 20.323.

 

Menos afetado pela crise no setor, o segmento de motocicletas fechou o ano com 1.273.250 emplacamentos, ante 1.429.929 em 2014 - uma queda de quase 11%.

 

 

Pior em 2016

 

A expectativa para este ano continua sendo de retração, porém menos intensa. A Fenabrave estima que o segmento de automóveis e comerciais leves sofrerá nova queda, de 5,9%, para 2,33 milhões de veículos.

Mercado brasileiro volta ao nível de vendas de 2007. Foram emplacados 2,5 milhões de veículos no ano passado.


 


As vendas de carros, caminhões e ônibus caíram 26,55% em 2015 em relação ao ano passado, informou a federação dos concessionários, a Fenabrave, nesta quarta-feira (6). Foram emplacados 2.569.014 veículos - as motos são contadas à parte.


 


Foi o terceiro ano seguido de baixa, porém, mais aguda que nos períodos anteriores. Em 2014, o declínio foi de 7,15% sobre 2013, com 3.497.810 emplacamentos.


 


É a primeira vez, desde 2009, que o país não vende mais de 3 milhões unidades, e o pior resultado no ano desde 2007, quando foram comercializadas 2,46 milhões de unidades.


 


"A crise política prejudicou e causou a falta de confiança do consumidor", disse o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção. O executivo também citou o aumento do desemprego na cadeia produtiva, alta do dólar e baixa do PIB como motivos que afetaram as vendas em 2015.


 


 


PATROCINADORES

Por segmentos


 


O segmento de carros, que engloba automóveis e comerciais leves (SUVs, picapes e furgões), acumulou 2.476.904 unidades, o que representa recuo de 25% em relação a 2014, quando o número chegou a 3,32 milhões.


 


Mas o setor de veículos pesados foi o que mais sofreu no ano passado. As vendas de caminhões caíram quase pela metade (47,6%), para 71.787 unidades, enquanto as de ônibus encolheram 36,5%, para 20.323.


 


Menos afetado pela crise no setor, o segmento de motocicletas fechou o ano com 1.273.250 emplacamentos, ante 1.429.929 em 2014 - uma queda de quase 11%.


 


 


Pior em 2016


 


A expectativa para este ano continua sendo de retração, porém menos intensa. A Fenabrave estima que o segmento de automóveis e comerciais leves sofrerá nova queda, de 5,9%, para 2,33 milhões de veículos.


Mercado brasileiro volta ao nível de vendas de 2007. Foram emplacados 2,5 milhões de veículos no ano passado.



As vendas de carros, caminhões e ônibus caíram 26,55% em 2015 em relação ao ano passado, informou a federação dos concessionários, a Fenabrave, nesta quarta-feira (6). Foram emplacados 2.569.014 veículos - as motos são contadas à parte.



Foi o terceiro ano seguido de baixa, porém, mais aguda que nos períodos anteriores. Em 2014, o declínio foi de 7,15% sobre 2013, com 3.497.810 emplacamentos.



É a primeira vez, desde 2009, que o país não vende mais de 3 milhões unidades, e o pior resultado no ano desde 2007, quando foram comercializadas 2,46 milhões de unidades.



PATROCINADORES

"A crise política prejudicou e causou a falta de confiança do consumidor", disse o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção. O executivo também citou o aumento do desemprego na cadeia produtiva, alta do dólar e baixa do PIB como motivos que afetaram as vendas em 2015.



Por segmentos



O segmento de carros, que engloba automóveis e comerciais leves (SUVs, picapes e furgões), acumulou 2.476.904 unidades, o que representa recuo de 25% em relação a 2014, quando o número chegou a 3,32 milhões.



PATROCINADORES

Mas o setor de veículos pesados foi o que mais sofreu no ano passado. As vendas de caminhões caíram quase pela metade (47,6%), para 71.787 unidades, enquanto as de ônibus encolheram 36,5%, para 20.323.



Menos afetado pela crise no setor, o segmento de motocicletas fechou o ano com 1.273.250 emplacamentos, ante 1.429.929 em 2014 - uma queda de quase 11%.



Pior em 2016



A expectativa para este ano continua sendo de retração, porém menos intensa. A Fenabrave estima que o segmento de automóveis e comerciais leves sofrerá nova queda, de 5,9%, para 2,33 milhões de veículos.



Veja Também