news:

Bem Estar

Denúncias de abandono de animais quintuplicam durante a pandemia

Publicado por TV Minas em 21/06/2020 às 15h07 - Atualizado às 16h01

foto_principal.jpg

O aumento dos casos é notado pela superlotação de abrigos públicos e privados.

 

Casos de abandono de animais têm crescido em meio à pandemia de Covid-19. Números da Comissão de Direitos dos Animais da Câmara Municipal do Rio encaminhados ao G1 indicam que as denúncias aumentaram cinco vezes entre os meses de março e maio, na comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Nos três meses iniciais da pandemia, a comissão recebeu, por meio das redes sociais, 2.345 denúncias de abandono. Nos mesmo período do ano passado, esse número não chegou a 500.

 

"É uma realidade triste. As pessoas foram perdendo renda e se viram sem condições de manter seus bichinhos de estimação. Cães e gatos foram jogados nas ruas, sem dó nem piedade", lamentou o presidente da comissão, vereador Luiz Carlos Ramos Filho.

 

O aumento dos casos é notado pela superlotação de abrigos públicos e privados. O abrigo municipal Fazenda Modelo, em Guaratiba, na Zona Oeste da cidade, tem 900 vagas, mas hoje está com 987 animais.

 

O vereador disse que tutores e protetores também têm passado por dificuldades. Ele afirmou que o aumento do número de animais nas ruas também é uma ameaça à saúde pública, já que essa situação provoca o crescimento dos casos de zoonoses – doenças de animais transmitidas aos seres humanos.

 

 

Funcionamento de 'Castramóvel' é antecipado


Para tentar conter o aumento da natalidade de animais nas ruas, a comissão se reuniu com membros da Subsecretaria de Bem Estar Animal.

 

No encontro, ficou decidido que o "primeiro castramóvel" do município, que só começaria a funcionar após a quarentena, vai entrar em atividade nesta segunda-feira(22) – o veículo estará no estacionamento do Cadeg, na Zona Norte.

 

A expectativa é que, com o veículo, fique mais fácil fazer a esterilização dos animais. O veículo também deverá ir a comunidades e bairros.

 

"O castramovel facilita o acesso dos animais das comunidades ao serviço de esterilização, inclusive para o morador que não tem dinheiro para castrar seu animal", explicou o subsecretário de Bem Estar Animal da Prefeitura do Rio, Roberto de Paula.


A prefeitura estipulou que a meta é atender 300 animais em cada bairro. Para ter acesso ao serviço, é preciso fazer o agendamento pelo aplicativo Bicho Rio – Subem, criado para evitar aglomeração durante a pandemia. O Castramóvel tem capacidade para esterilizar 30 animais por dia.

O aumento dos casos é notado pela superlotação de abrigos públicos e privados.


 


Casos de abandono de animais têm crescido em meio à pandemia de Covid-19. Números da Comissão de Direitos dos Animais da Câmara Municipal do Rio encaminhados ao G1 indicam que as denúncias aumentaram cinco vezes entre os meses de março e maio, na comparação com o mesmo período do ano passado.


 


Nos três meses iniciais da pandemia, a comissão recebeu, por meio das redes sociais, 2.345 denúncias de abandono. Nos mesmo período do ano passado, esse número não chegou a 500.


 


"É uma realidade triste. As pessoas foram perdendo renda e se viram sem condições de manter seus bichinhos de estimação. Cães e gatos foram jogados nas ruas, sem dó nem piedade", lamentou o presidente da comissão, vereador Luiz Carlos Ramos Filho.


 


O aumento dos casos é notado pela superlotação de abrigos públicos e privados. O abrigo municipal Fazenda Modelo, em Guaratiba, na Zona Oeste da cidade, tem 900 vagas, mas hoje está com 987 animais.


 


O vereador disse que tutores e protetores também têm passado por dificuldades. Ele afirmou que o aumento do número de animais nas ruas também é uma ameaça à saúde pública, já que essa situação provoca o crescimento dos casos de zoonoses – doenças de animais transmitidas aos seres humanos.


PATROCINADORES

 


 


Funcionamento de 'Castramóvel' é antecipado



Para tentar conter o aumento da natalidade de animais nas ruas, a comissão se reuniu com membros da Subsecretaria de Bem Estar Animal.


 


No encontro, ficou decidido que o "primeiro castramóvel" do município, que só começaria a funcionar após a quarentena, vai entrar em atividade nesta segunda-feira(22) – o veículo estará no estacionamento do Cadeg, na Zona Norte.


 


A expectativa é que, com o veículo, fique mais fácil fazer a esterilização dos animais. O veículo também deverá ir a comunidades e bairros.


 


"O castramovel facilita o acesso dos animais das comunidades ao serviço de esterilização, inclusive para o morador que não tem dinheiro para castrar seu animal", explicou o subsecretário de Bem Estar Animal da Prefeitura do Rio, Roberto de Paula.



A prefeitura estipulou que a meta é atender 300 animais em cada bairro. Para ter acesso ao serviço, é preciso fazer o agendamento pelo aplicativo Bicho Rio – Subem, criado para evitar aglomeração durante a pandemia. O Castramóvel tem capacidade para esterilizar 30 animais por dia.


O aumento dos casos é notado pela superlotação de abrigos públicos e privados.



Casos de abandono de animais têm crescido em meio à pandemia de Covid-19. Números da Comissão de Direitos dos Animais da Câmara Municipal do Rio encaminhados ao G1 indicam que as denúncias aumentaram cinco vezes entre os meses de março e maio, na comparação com o mesmo período do ano passado.



Nos três meses iniciais da pandemia, a comissão recebeu, por meio das redes sociais, 2.345 denúncias de abandono. Nos mesmo período do ano passado, esse número não chegou a 500.



"É uma realidade triste. As pessoas foram perdendo renda e se viram sem condições de manter seus bichinhos de estimação. Cães e gatos foram jogados nas ruas, sem dó nem piedade", lamentou o presidente da comissão, vereador Luiz Carlos Ramos Filho.



PATROCINADORES

O aumento dos casos é notado pela superlotação de abrigos públicos e privados. O abrigo municipal Fazenda Modelo, em Guaratiba, na Zona Oeste da cidade, tem 900 vagas, mas hoje está com 987 animais.



O vereador disse que tutores e protetores também têm passado por dificuldades. Ele afirmou que o aumento do número de animais nas ruas também é uma ameaça à saúde pública, já que essa situação provoca o crescimento dos casos de zoonoses – doenças de animais transmitidas aos seres humanos.



Funcionamento de 'Castramóvel' é antecipado



PATROCINADORES


Para tentar conter o aumento da natalidade de animais nas ruas, a comissão se reuniu com membros da Subsecretaria de Bem Estar Animal.



No encontro, ficou decidido que o "primeiro castramóvel" do município, que só começaria a funcionar após a quarentena, vai entrar em atividade nesta segunda-feira(22) – o veículo estará no estacionamento do Cadeg, na Zona Norte.



A expectativa é que, com o veículo, fique mais fácil fazer a esterilização dos animais. O veículo também deverá ir a comunidades e bairros.



"O castramovel facilita o acesso dos animais das comunidades ao serviço de esterilização, inclusive para o morador que não tem dinheiro para castrar seu animal", explicou o subsecretário de Bem Estar Animal da Prefeitura do Rio, Roberto de Paula.




A prefeitura estipulou que a meta é atender 300 animais em cada bairro. Para ter acesso ao serviço, é preciso fazer o agendamento pelo aplicativo Bicho Rio – Subem, criado para evitar aglomeração durante a pandemia. O Castramóvel tem capacidade para esterilizar 30 animais por dia.



Veja Também